-

quarta-feira, 20 de maio de 2020

Dante I - O Desafio

Primeiro de uma série de postagens que farei sobre uma nova paixão....

Tentarei fazê-lo na métrica que ele criou.

Começo com o desafio que fiz a amigos, que, agora, perdeu o sentido, pois meu leitor saberá que é, pelo nome, ao menos o autor!

Canto I - O Desafio

Depois de lograr notável sucesso                                 
Devorando o épico de Camões
Não me permiti um simples recesso 

E direcionei todos meus canhões
A outro épico deveras antigo 
Que me lançou em outras emoções,

De um rimar que levarei comigo.
São breves terças bem encadeadas,
Num tal encantamento que, te digo,

Que nos deixa de calças arreadas
Com a perfeita métrica envolvida,
As emoções em muito ampliadas.

Onde então buscaremos a guarida
Pra recuperar fôlego perdido?
Onde encontrarei a contrapartida

Para um invento tão colorido?
Pois assim me deixou esse poeta
Há sete séculos já falecido.

E ainda não atingiu minha seta
Ao conteúdo da grande obra-prima,
Uma projeção perfeita, completa

Do que os aguarda no andar de cima
Ou de baixo, dependendo dos atos
Nesta nossa vida em constante esgrima.

Mas agora, vamos aos finais fatos:
Quem é o poeta em linguajar vivo
Que nos comove, tão estupefatos?

Um patrimônio tão substantivo
Que não feliz em criar um idioma,
Teve seu nome tornado adjetivo?

E pra lhe facilitar o diploma,
Para que sigas logo adiante
De duas dicas permito-lhe a soma

E assim resolva a dúvida asfixiante:
Sua grande obra rima com ‘eterno’
E seu primo nome, com ‘empolgante’...


_________________
Próximos Capítulos
Canto II - A inspiração e o legado
Canto III - O Início da Jornada
Canto IV - Arquitetura do Inferno
Canto V - Inferno - As Transgressões
Canto VI – Inferno - Penas da Incontinência
Canto VII - Inferno - Penas da Violência e Besti...
Canto VIII – Inferno - Penas da Fraude Simples - Parte I
Canto IX – Inferno - Penas da Fraude Simples - Parte II
Canto X – Inferno - Penas da Traição
Canto XI - Arquitetura do Purgatório
Canto XII – Purgatório – Arrependimento e Severidade
Canto XIII – O Portal do Purgatório
Canto XIV – Purgatório - As Penas do Orgulho
Canto XV – Purgatório - O Pai Nosso de Dante
Canto XVI – Purgatório – Inveja e Ira
Canto XVII – Purgatório – Preguiça e Avareza
Canto XVIII – Purgatório – Gula e Luxúria
Canto XIX – No Paraíso Terrestre
Canto XX – A Arquitetura do Paraíso
Canto XXI - Paraíso - Lua, Mercúrio, Vênus
Canto XXII – Paraíso – Sol e Marte
Canto XXIII – Paraíso – Júpiter e Saturno
Canto XXIV – Paraíso – Estrelas Fixas
Canto XXV – Paraíso – Primum Nóbile e Inteligências Celestes

Nenhum comentário:

Postar um comentário