-

domingo, 18 de abril de 2021

All Together Now, children!!

Esta é a  canção do Lado A do LP Yellow Sumarine 

a história do álbum, cenário, assuntos e canções, aqui neste LINK

É uma de 15 canções com Discurso para um Grupo

                                        as demais 14 canções de mesmo Assunto e Classe, neste LINK

Atenção, canções com títulos em vermelho 

são links que levam a análises sobre elas.

3. All Together Now  (Group Speech Song by Paul McCartney)

Paul chama "A, B, C, D, posso trazer meu amigo para o chá? E, F, G, H, I, J, Eu te amo. (Bom bom  bom-pa bom) Navegue o barco (bom-pa bom) Corte a árvore (bom-pa bom) Pule a corda (bom-pa bom) Olhe para mim! Todos juntos agora"
 
Paul chama crianças (O Grupo) a cantarem todos juntos!  Paul queria fazer uma nova canção para crianças, ao estilo de Yellow Submarine. E fez. Em 1967, mas foi lançada apenas na trilha sonora do filme Yellow Submarine lançado em 1968. Ela aparece acompanhando uma cena do filme, mas os Beatles gostaram tanto da animação que fizeram um filmezinho bem divertido, com eles mesmos atuando no final, acompanhando a canção com motivos do filme. Foi muito simpático. Veja aqui neste LINK. É uma versão reduzida da gravação oficial.  A canção foi gravada num dia só como um segundo esforço para  conseguir canções para o filme. No dia anterior, foi gravada Baby, You're A Rich Manmas acabou sendo lançada como Lado B de All You Need Is Love. 
 
O título da canção repetido quatro vezes é o refrão, que é introduzido por dois versos e uma ponte. Depois, verso e duas vezes o refrão. Depois, ponte e três vezes o refrão, bem, é melhor desenhar, para não confundir.  
 
Verso 1 - Verso 2 - Ponte - Refrão  
Verso 3 - Refrão - Refrão  
Ponte - Refrão - Refrão- Refrão 
 
Os versos são cantados por Paul e têm letras distintas com a mesma estrutura, é sempre: 
4 coisas - Uma permissão "Can I..." - Mais 6 coisas - "I love you" 
 
No Verso 1, as coisas são Números de 1 a 10, no Verso 2, são letras de A a J, e no Verso 3, são cores que, na verdade, são 9 porque entra o artigo "and" entre a cor "orange" e a "blue". A vontade das pessoas de encontrar pelo em ovo é tão grande que viram conotação sexual na permissão do Verso 3, em "Can I take my friend to bed?". Pode isso, Arnaldo?
 
A ponte é uma sucessão de quatro instruções para brincadeiras, sendo John o líder, uma por compasso, e tem ele, Paul e George entremeando com deliciosos  "bom-pa-bom"s:
"Sail the ship", "Chop the tree", "Skip the rope", "Look at meee"
Toda essa deliciosa brincadeira foi gravada numa ensolarada manhã londrina, em 12 de maio de 1967, minto, numa única sessão noturna em Abbey Road (os Beatles eram noturnos). O clima estava igual ao do dia da gravação final de Yellow Submarine, um ano antes, e a coisa comum entre as duas sessões foi a ausência do Professor, então os alunos mais uma vez fizeram a festa. Tanto que os refrões eram cantados por todos que estivessem por ali, além dos quatro Beatles, após sucessivas chamadas de Paul, no mínimo, Mal Evans e Neil Aspinall, os eternos roadies, participaram! George Martin havia tirado duas semanas de férias no sul da França, descansando das exaustivas sessões de Sgt. Pepper's. A base foi Paul no violão, John num banjo, George num 
violão eletroacústico, Ringo na bateria, mas mais importante, porque incomum, foi que tanto Paul, nos versos, como John nas pontes, e John e Paul e George nos 
"bom-pa-bom"s,  cantaram seus vocais já ali mesmo, na base, e não nos overdubs, como era usual fazer. Estavam todos ligados, e atrelados ao ritmo, sempre crescente da canção, notem, e desafio que fiquem parados. Para os overdubs, logo depois de escolhido o Take 9 como o melhor, foram a gaita de John, que também tocou ukulele (aquele cavaquinho metido a besta), e vários instrumentos de percussão, como triângulo e aqueles pratos de dedos, e variados sons e palmas, e mais importante, uma buzina, como a do Chacrinha que se ouve em vários pontos. E também, gravaram o insano coro nos refrões e fizeram harmonização vocal em "Look at meeeee!" e aquela extensão final "All tooogeeetheeer nooooooow", seguida de palmas naturais e merecidas. 
 
Ao vivo, o Brasil teve o privilégio de ser o primeiro país a ouvir All Together Now. Paul abriu e Belo Horizonte a sua excursão Out There, de 2013, para gáudio absoluto da plateia. Neste LINK, está o que aconteceu em Goiânia!

3 comentários:

  1. Alto astral, é o que se pode realmente dizer sobre essa gravação de “Todos juntos agora” (_All Together Now_), com Paul no violão, John no banjo, mas também no ukulele, George no violão eletroacústico e Ringo na bateria. Mas, diversos sons não convencionais aparecem ao longo da música: buzina, gaita, pratos de dedo e palmas. E o Brasil teve o privilégio de ser o primeiro país a ouvir, ao vivo, na interpretação de Paul, abrindo sua excursão em Belo Horizonte, em 2013. Sua intenção era fazer uma música para crianças, e acertou em cheio!

    ResponderExcluir
  2. A fase psicodélica dos Beatles com certeza foi a melhor fase...
    Só clássicos !!

    ResponderExcluir
  3. Só tem uma coisa que não pegou bem. O pedido para cortar a árvore Hoje, que é bem é ambientalista, deve se sentir um pouco constrangido com isso. Mas vai ver que tem a ver com alguma música infantil de Liverpool...Pode ser que já existisse alguma brincadeira onde alguém falasse Chop the tree...
    HOmero, sabe de albuma coisa? Vou dar uma investigada.

    ResponderExcluir