-

quinta-feira, 3 de junho de 2021

O Projeto Past Masters

Capítulo 49 

De minha saga  

O Universo das Canções dos Beatles

Todos os Capítulos têm acesso neste LINK 

Atenção, canções com títulos em vermelho 

 são links que levam a análises sobre elas.

Uma coletânea definitiva


Os Beatles tiveram sete anos e meio de carreira, nos quais lançaram 12 LPs fenomenais, dos quais apenas UM não chegou ao topo das paradas (Yellow Submarine - 1969), feito imbatível. Entretanto, havia outro formato que foi muito utilizado ao longo de toda a carreira, o compacto! Foram muitos sucessos absolutos da carreira lançados apenas nesse formato, não eram incluídos nos LPs. Era uma estratégia de vendas, que deu muito certo. O notável 'BILHÃO' de discos vendidos pelos Beatles decerto teve como maior parte de contribuição aquelas bolachinhas de vinil fenomenais. Foram 22 compactos, dos quais apenas DOIS não chegaram ao 1º Lugar (love Me Do - 1962 / P.S.I Love You e Penny Lane / Strawberry Fields Forever - 1967). Adicionalmente, lançaram um compacto duplo com inéditas e um EP Duplo com uma trilha sonora também foram lançados, com igual sucesso. E lançaram duas canções em coletâneas diversas. Em termos de inéditas, foram 27 canções, das quais 23 autorais, que ficaram naquele limbo, dizendo: "Queria um LP pra chamar de meu!!"

Terminada a carreira, com o lançamento do último LP e do último compacto, em 8 de maio de 1970, o catálogo dos Beatles estava assim, desconjuntado, com 12 LPs, um EP Duplo e um monte de compactos. Faltava muito ainda a ser feito pra organizar a vida sonora e, para matar a saudade dos milhões de fãs inconformados com o fim da banda, vieram as coletâneas oficiais, que agrupavam matricialmente as canções, fosse por estilo ou por colocação temporal. Alguns daqueles sucessos que estavam perdidos em pequenas bolachas viram a luz do dia em LPs. Houve muitas coletâneas, porém destaco 4 delas, que descrevo brevemente a seguir.

Em abril de 1973, a EMI dividiu a carreira dos Beatles em duas partes, temporalmente, e lançou os mundialmente conhecidos Álbuns Vermelho e Azul, o primeiro trazendo canções lançadas entre 1962 e 1966, e o segundo, as lançadas de 1967 a 1970, notabilizados também pelas imagens escolhidas para as capas. O Vermelho trazia exatamente a imagem dos Beatles no começo da carreira, tirada na escadaria dos escritórios da EMI da mesma sequência da que l extraíram a capa do 1º LP, Please Please Me. O Azul tinha os mesmos rapazes, seis anos mais velhos, nas mesmas posições na mesma escadaria em seus novos visuais, uma foto que fora tirada para ilustrar o LP Get Back, que acabou não saindo, em 1969, mas materializou-se no LP Let It Be em 1970. uma composição verdadeiramente genial. Ambos álbuns era duplos, tinham dois LPs cada um. O Vermelho tinha 26 canções, das quais 7 haviam sido lançadas apenas em compactos.  O Azul tinha 28 canções, das quais 10 estavam em compactos. Ausências notáveis, que foram deixadas para trás, I Call Your Name, Rain, The Inner Light. 

Em 1976 e 1977, a EMI pensou em resumir a carreira dos Beatles numa matriz por ritmo, lançando outros dois álbuns duplos, as Love Songs e as Rock'n Roll Music. As primeiras foram 25 canções, sendo apenas duas em compactos, This Boy e Yes It Is. Só por desencargo de consciência, fui conferir a lista da coletânea Love Songs. Basicamente todas as canções de lá estão aqui classificadas em alguma categoria da minha classificação de Girl ou Miss Songs. Só não concordo com She's Leaving Home estar lá, pois está longe de ser uma Love Song! Aliás, In My Life também não é, pois é uma reminiscência do passado em Liverpool! As últimas foram 28 canções, sendo 6 anteriormente lançadas em compactos, um deles duplo, com 3 covers de bom rock and roll (Long Tall Sally, Slowdown e Matchbox), que trouxeram à luz I Call Your Name e I'm Down, dos Beatles, e um outro cover, Bad Boy, magnífico, que fora lançado numa coletânea de 1966, A Collection of Oldies but Goldies. Esta, apesar de ser oficial, continha canções já lançadas em sua maiora, na verdade, N-1.

Além dessas, a EMI houve por bem oficializar a ideia da Capitol, que lançara, ainda em 1967, as 6 canções da trilha sonora do filme Magical Mistery Tour no Lado A de um LP, tendo no Lado B as 5 canções que haviam sido lançadas em compactos no mesmo ano, então All You Need Is Love, Hello Goobye e outras 3 canções viraram canções de "LP". Isso foi em 1976. Naquele momento, os Beatles tinham 13 LPs no catálogo oficial britânico. Esqueci de ressaltar que aqui, em toda esta minha saga, o que vale é o catálogo daquela ilha fria de clima miserável. Nem ligo para o catálogo da Capitol nos Estados Unidos, que produziram verdadeiras saladas. 

E em 1978, veio a 'rapa do tacho! The Beatles Rarities juntou tudo o que as coletâneas matriciais deixaram escapar, tipo Rain, She's A Woman, You Know My Name, The inner Light, as 3 covers de Rock'n Roll de 1964, e as duas únicas canções gravadas em alemão pelos Beatles. 

Percebe como era dura a batalha de quem queria ter a carreira toda dos Beatles em LPs? Tinha que comprar variadas coletâneas, e ter de novo canções que já estavam nos LPs Oficiai. Como se diz em inglês, 'not a good value for money!'.
Então, já passados 10 anos das citadas coletâneas matriciais, resolveram resolver (!!) a situação. Foi já na era dos CDs, em março de 1988 (John nunca soube desse lançamento... John nunca ouviu um CD, triste...), quando lançaram a discografia dos Beatles naquele revolucionário veículo digital, os 13 álbuns existentes e mais dois, juntando todos os lançamentos em compacto que não saíram em LPs, mais aquele compacto duplo puro rock and roll de 1964, mais aquele rock que saiu na coletânea de 1967, mais a versão original de Across The Universe que saiu num álbum de caridade em 1969, depois modificada para o lançamento no LP Let It Be, e, finalmente duas estranhas versão em alemão de She Loves You e I Wanna Hold Your Hand. Ficaram assim os novos CDs:
  • Past Masters - Volume 1 (referenciado por Past Masters #1), numa capa negra, e colocaram 18 canções que haviam sido lançadas ente outubro de 1962 e julho de 1965, e
  • Past Masters- Volume 2 (referenciado por Past Masters #2), o segundo, numa capa branca, com 15 canções anteriormente lançadas entre dezembro de 1965 e março de 1970. 
Imagino que deve ter havido uma grita geral dos saudosos dos LPs, e lançaram dois Álbuns Duplos em vinil, tudo no mesmo pacote, em outubro daquele mesmo ano.

Uma decisão genial, não!

A partir daquele momento, a carreira dos Beatles estava resumida a 15 Álbuns!

Bom pra fechar a conta, matematica e espantosamente,

15 Álbuns em 7,5 anos

2 Álbuns por ano

Em seguida, 

Assuntos e Canções do Past Masters #1

Assuntos e Canções do Past Masters #2

12 comentários:

  1. Texto brilhante, pra variar! Gosto muito de "You've got to hide your love away", no Past Master. Nessa gravação, John diz 1, 2, 3, 4 e começam. Mas John não gosta e resolve começar tudo de novo. Aí ele começa a contar, pergunta "Are you ready, MacCa?", e gravam toda a música. Muito legal!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é no Past Masters e sim no Anthology volume 2.

      Excluir
    2. Não é no Past Masters e sim no Anthology volume 2.

      Excluir
  2. Nos meus 18 anos era uma emoção esperar o "disco novo dos Beatles": Rubber Soul... Revolver... O que poderá vir?... Sgt. Peppers! Album Branco!!!! Eles se superavam.
    As análises do Homerix geram a mesma boa expectativa: o que irá ele escafunchar? Qual enfoque? Quais detalhes ocultos irão surgir?
    Expectativa sempre compensada 👍.
    Vamos ver quem vai editorar esse baú de riquezas e lançar um livro inédito sobre o universo mágico dos Beatles.
    Thanks, Homerix.

    ResponderExcluir
  3. Sobre seu comentário "John nunca ouviu um CD": é uma lembrança realmente triste. Confesso que derrubei a lágrima no filme Yesterday quando (AVISO DE SPOILER! SE NÃO VIU O FILME, PARE DE LET AGORA!) Jack vai naquela casa na beira da praia. Quem viu o filme vai entender.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótimo demais. Homerix sempre arrasando.Beatles fenomena. Falando do filme yesterday também chorei demais qdo Jack foi naquela casa na praia. Saudades de John😪😪😪😪

      Excluir
  4. Tenho todas essas bolachas
    Ótimo post

    ResponderExcluir
  5. Parabéns Homerix Ventura. Excelente trabalho. Merece ser eternizado num livro.

    ResponderExcluir
  6. Se não fosse o americano Magical Mistery Tour, então incluiriam os singles no Past Master?

    ResponderExcluir
  7. Nunca me interessei por nenhum deles. Não são discos dos Beatles. São discos com suas músicas o que fez muita diferença. Para mim só valem aqueles com eles ali juntos montando tudo e criando tudo desde a capa. E tudo com sentido. Discos lançados depois sem a presença deles além de não ter a mágica não seguem aquilo que pensaram e criaram. Nenhum tem valor. Mas o texto é ótimo e bem explicativo.
    Ou so diria que no ligar de houve por bem lançar MMT que nem os americanos que pouco sabiam de Beatles, eu diria...houve por mal.

    ResponderExcluir
  8. Mas sinto que preciso acrescentar alguma coisa porque ficou parecendo que desaprovo totalmente tudo que a EMI fez depois. Não. Até que entendo um album com todos os singles reunidos. Numa só sentada podemos ouvir todos e também os EPs. Eu até que deveria ter um, pensando bem, porque perdi quase todos. Sumiram. E este tipo de album não desmembra os albuns originais.

    Só discordo que tudo estivesse desconjuntado. Estava muito bom do jeito que ele decidiram. Agora...aqueles albuns americanos feitos à moda americana como 'grandes sucessos", aqueles eu desaprovo sim e eu pensava neles quando escrevi antes. Eles os desaprovavam. Soube que aquela capa horripilante deles cobertos por pedaços de bonecas vestidos de carniceiros foi um protesto a estes discos. A Capital agia como carniceiros desmenbrando seus albums. Bom, eu li isso em algum lugar, mas não posso garantir.

    ResponderExcluir