-

sexta-feira, 11 de junho de 2021

I'll Get You Yes I Will

Esta é a 5ª canção da coletânea Past Masters #1, 14º Álbum Oficial dos Beatles

a história do álbum, assuntos e canções, aqui neste LINK

É uma de 19 canções sobre Paquera de Garotas

                                        as demais 18 canções de mesmo Assunto e Classe, neste LINK

Atenção, canções com títulos em vermelho 

são links que levam a análises sobre elas.

5. I'll Get You (Flirt Girl Song by Lennon/McCartney)

John se declara 'Eu penso em você noite e dia. Eu preciso de você e é verdade, quando penso em você, eu posso dizer que eu nunca, nunca, nunca, nunca fico triste. Então eu estou lhe dizendo, minha amiga, que eu vou conquistá-la, eu vou conquistá-la no final. Sim, eu vou conquistá-la, eu vou conquistá-la no final' 
 
Quando veio a missão de fazer o próximo compacto após o lançamento do 1º LP, eles estavam numa parada em casa, em meio a mais uma excursão pela Inglaterra, quando ainda moravam em Liverpool. I'll Get You foi a primeira que veio à cabeça de John. Foi em sua casa em Menlove Avenue, onde morava com sua Tia Mimi, que ele e Paul a começaram e finalizaram em menos de três horas de trabalho. Foram dois versos, sendo o primeiro repetido após uma ponte, tradicional estrutura 'aaba', sem refrão. No Verso 1, ele começa incitando a imaginação da garota em como seria bom ela ficar com ele, "Imagine I'm in love with you...e termina mostrando aquela confiança em seu taco, no magnífico "...Yes I will, I'll get you in the end. Oh Yeah Oh Yeah". O Verso 2 tem o mesmo final, confiante, mas antes ele abre seu coração, dizendo "I think about you night and day..." e que, com ela, ele jamais seria triste de novo. Finalmente a ponte, aquelas sensacionais três frases em acordes descendentes "Well, there's gonna be a time, when I'm gonna change your mind, so you might as well resign yourself to me, oh yeah", ele mostra a confiança de novo e aconselha que ela desista de resistir ao seu charme. A canção seria a Lado A do lançamento até que chegou a arrasa-quarteirões She Loves You.
 
Pausa para uma estrutura alternativa. 
Eu vou aqui propor uma estrutura um pouco diferente, acho que ela é uma canção um pouco mais complexa. Eu enxergo, dentro de cada verso original, na verdade, um verso menor, uma sub-ponte e um refrão, veja se não. Minha estrutura alternativa seria 'abcabcdabc'. A sub-ponte (b) seria apenas a 5ª frase de cada verso original, que tem uma melodia diferente "It's not like me to pretend" e "So I'm telling you my friend" fazendo a ligação para a peça seguinte. E o resto de cada verso original, pra mim, seria um refrão (c), veja: "But (that) I'll get you, I'll get you in the end, yes I will, I'll get you in the end, oh yeah, oh yeah". Não tem uma tremenda cara de refrão? Ah, mas isso é só uma ilação deste analista. Somente para finalizar,  nessa nova estrutura, o 'd' da estrutura alternativa seria a verdadeira ponte da estrutura original.

 Fim da estrutura alternativa.    

Seja qual fora a real estrutura, eu queria dar um destaque para a tal sup-ponte, como eu a defini, até mesmo porque o próprio Paul, que parece ter sido seu autor, pois fez propaganda do acorde menor que ele usa, no caso, o La Menor (Am) ali quando se ouve "to preTEND" e no "you my FRIEND", quando o usual seria um acorde maior, no caso, o La Maior (A). Além disso, no arranjo, ele estimula a que as guitarras pulsem firme em staccato, o que tem um efeito fantástico nos shows ao vivo, vejam, ou melhor, ouçam como as garotas recebem, histéricas, os começos daquelas duas frases, neste LINK, gravado em um programa de TV e felizmente recuperado e revelado oficialmente no Anthology 1. 
 
Antes de passar à gravação, mais umas poucas considerações sobre a letra. Rimas que seriam ricas (não todas) em português, "day-say", "true-you-blue","pretend-end-friend", "time-mind"... ou seria "time-mine"? O porquê da interrogação? Note as duas primeiras frases da ponte. Para rimar com "be a time" da 1ª frase, a 2ª vem "change your mind", só que a é toda cantada em harmonia tripla John-Paul-George, e um deles troca para "make you mine". Dado o cronograma apertado, eles não voltaram para corrigir o erro, que foi percebido ao menos por uma fã que escreveu à EMI, solicitando que corrigissem o erro, e recebeu de volta uma carta de desculpas. Interessante que o "mine or mind" rima  internamente com o verbo da "resign 3ª frase que, aliás, apresenta mais uma outra rima 'entre quatro paredes', perceba: "So you might as WELL resign YOURSELF to me, oh yeah". Eu acho essas coisas geniais! Para completar esse papo de letras, eu dou destaque a uma rima métrica, se é que posso chamar assim,  entre a 4ª frase do Verso 1 com a 4ª frase do Verso 2. Uma diz "many, many, many times before" a outra "I'm never, never, never, never blue", ambas a mesma palavra, três ou quatro vezes. Eu acho essas coisas geniais! (acho que á disse isso...). 
 
Bem, pensando bem, foi bom evoluir um pouco no assunto 'letra' porque no assunto 'gravação' temos pouco a falar. Ela foi gravada no mesmo dia que She Loves You, e já sabemos que não há registro sobre os detalhes da gravação naquele dia, parece que baixou um buraco negro naquele 1º de julho em Abbey Road. Sabe-se apenas que ela foi gravada na sessão noturna, após uma tarde dedicada ao Lado A do compacto. Sabe-se que foram duas horas de tentativas, Sabe-se que ela era conhecida como Get You In The End. Sabe-se do vocal principal de John e das harmonias perfeitas, primeiro de Paul em pontos selecionados dos versos, e de Paul e George na ponte, com certeza com o dedo mágico de George Martin os orientando. Sabe-se, porque se ouve, que John gravou a gaita que acompanha os versos (não a ponte) posteriormente (porque seria impossível cantar e tocar gaita ao mesmo tempo), mas não se tem noção se foi no mesmo dia ou em outro dia. Mas não se sabe se houve evolução no arranjo ou se ela chegou já pronta. Tampouco se sabe quando as deliciosas palmas foram gravadas. Não se sabe dos erros, nem de brincadeiras, nem de falhas ao longo do processo, coisas que nós gostamos tanto de saber. Enfim... 
 
O compacto, tendo She Loves You como carro-chefe, foi lançado em 23 de agosto e fez tremendo sucesso, como falei, vendeu 1,3 milhão de cópias na Inglaterra, em 6 meses no Top 20 das paradas. Interessante é que nos EUA, ainda antes de a Beatlemania chegar lá, seu lançamento inicial foi um fracasso. Coisas dos americanos... Deixo aqui o LINK do YouTube com a gravação original, onde poderão apreciar a gaiata de John, as palmas de todos, e notar os detalhes de letras e acordes que ressaltei no texto!

ENJOY 

5 comentários:

  1. Adoro esse túnel do tempo. Músicas que marcaram uma das mais maravilhosas etapas da vida!

    ResponderExcluir
  2. Como sempre, excelente texto... parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Com estrutura simples mas envolvente
    Excelente

    ResponderExcluir
  4. Uma delícia. A mensagem da letra... meio estrambólica para mim. Esse negócio que vou te ganhar na marra é bastante desrespeitoso. E a outra pessoa como fica? E se não quiser? Eu falo isso porque já fui vítima de pessoas assim me incomandando até não poder mais. Mas se trata de uma música de um tempo que escrevia para as pessoas cantarem, se identificarem...E sei que há muita gente com essa obesessão na cabeça. Tantos os homens quanto as mulheres. I will get you in the end. Algumas conseguem, por mais incrível que pareça. Quando um rapaz me tratava assim eu queria distancia. E teve um...nem gosto de lembrar porque ele estava mesmo com problemas mentais. Me queria de qualquer jeito, entrava aqui sem ser convidado...e um dia me jogou na parede da cozinha e pegou uma faca. Minha mãe entrou na hora que ele estava com a faca no meu pescoço...Ele a soltou a saiu correndo. A partir daí nunca mais deixamos ele entrar. Mas se me visse na rua corria atrás de mim, eu tinha de entrar onde fosse para me proteger.
    Bem sei que os meninos Beatles não estavam pensando em algo radical. Mas a ideia é a mesma...eu terei você no final de qualquer forma porque eu penso em você dia e noite preciso de você. É assim que começa. Mas tem uma coisa que gosto na letra. O mesmo que você gosta...As repetições de many e never.

    Quanto a melodia é adorável, a gaita, a harmonia, tudo o mais.

    ResponderExcluir