-

terça-feira, 8 de junho de 2021

From Me To You and to us forever

 Esta é a 2ª canção da coletânea Past Masters #1, 14º Álbum Oficial dos Beatles

a história do álbum, assuntos e canções, aqui neste LINK

É uma de 19 canções com Paqueras de Garotas

                                        as demais 18 canções de mesmo Assunto e Classe, neste LINK

Atenção, canções com títulos em vermelho 

são links que levam a análises sobre elas.

2. From Me To You (Flirt Girl Song by Lennon/McCartney)

John e Paul paqueram: 'Se tiver qualquer coisa que você queira, se tiver qualquer coisa que eu possa fazer, apenas me chame que eu mandarei, Com amor, de mim, pra você'

Quem acompanha minha saga, sabe que comecei a fazer um post por canção, somente no 6º LP, Rubber Soul, sabe que normalmente eu falo sobre a gênese da canção, quem compôs o quê, e tal. Só que àquela altura, a maior dupla de compositores da história já havia abandonado o jeitinho com que costumavam compor suas canções. Uma Lennon/McCartney já estava no jeito de um ter uma ideia e levar ao outro para complementar. Poucas vezes, a partir de então, eles fizeram uma canção juntinhos, do zero. Agora, que acabei de analisar as 113 canções autorais dos álbuns Nº6 a Nº13, o álbum Nº14 volta ao começo da carreira, e nesta 2ª canção do Past Masters#1, já encontrei uma pura Lennon McCartney, e esta foi feita, literalmente, na estrada!  
 
Após o sucesso de seu primeiro compacto Nº1, com Please Please Me/Ask Me Why, os Beatles foram convidados para formar uma trupe, com alguns artistas, liderados pela cantora Helen Shapiro (em destaque na foto), para um tour de 30 dias pelo interior da Inglaterra, viajando de ônibus entre as cidades. Numa dessas pernas, após o show de York, John lia uma revista pop, New Musical Express, e o nome da seção de cartas começou a piscar pra ele. Era From You To Us. Como eles já estavam na pressão para produzir mais canções, ele chamou Paul para o fundo do ônibus com um violão, os acordes e letras começaram a surgir, primeiro por John que fez a primeira linha do primeiro verso (If there's anything that you want,) e Paul com as seguintes ('If there's anything I can do, Just call on me and I'll send it along) e finalizaram o verso, com 'With love from me to you' com o nome da canção! Disso que falei, apenas tenho certeza do primeira frase de John, o resto eu romanceei, mas os dois declararam que foi uma composição fifty/fifty entre os dois. E veio mais um verso, com letra diferente, mas com a mesma finalização, repetindo o título da canção. Os demais artistas da trupe (eram 4 além da líder Shapiro) testemunharam, com espanto, a criação de mais um Nº1 dos Beatles, ainda antes do destino daquela perna. Aliás, não só ela, ainda mostraram aos demais uma  outra canção, Thank You Girl, que sairia no Lado B. A líder da trupe foi chamada a opinar qual das duas seria Lado A e ela escolheu a mesma que eles já haviam decidido. Paul era especialmente orgulhoso da ponte, que veio depois, com um acorde menor, que deu um charme todo especial à melodia, (I've got arms that long to hold you, and keep you by my side). Em seguida, eles introduzem um acorde digno do som que grassava do outro lado do Atlântico, mais para o Sul Maravilha, uma certa Bossa Nova, quando entoam o 'satisfied': um belíssimo Cm7M, em outras palavras, um Dó Menor com 7ª Maior! João Gilberto ficaria orgulhoso daqueles meninos de vinte e pouquíssimos anos. E a ponte ainda terminava com aquele Uuuuuu!, que já cantavam ao vivo e que já haviam gravado em estúdio, e que lançariam em Twist And Shout e levariam aos píncaros da fama em She Loves You com aquelas cabeças balançando e levando fãs ao delírio.  Era 28 de fevereiro de 1963. 
 
Os Beatles e George Martin
Cinco dias depois, estavam todos no estúdio para gravar as duas canções, e resolveram tudo naquele 5 de março. Após uma sessão de fotos na cantina da EMI, foram ao trabalho, sempre tocando e cantando ao vivo. Começaram em uma batida mais lenta que a original, à que chegaram somente no Take 3, ainda sem os temperos instrumentais que viriam depois. No Take 5, George Martin deu a ideia de fazer um verso instrumental, John gostou mas sugeriu ao outro George, o da guitarra, para apenas abrir a 1ª linha, e ele e Paul respondiam em uníssono 'From me' e depois a 2ª com 'to you' e eles voltariam a cantar a 3ª e 4ª linhas. Ficou marcante! No Take 7, Martin deu a ideia de usar gaita em vez de guitarra, na introdução, no verso instrumental e na conclusão, e levaram três takes para ficarem satisfeitos, mas então Martin deu outra ideia, em seu papel de produtor, e disse pra John e Paul acompanharem em uníssono, primeiro murmurando, depois com Da-ra-ran Da-ra-ran-ran-daaa nas mesmas notas da gaita, na introdução e na conclusão, mas não no verso instrumental. Mais duas tentativas e a canção estava pronta, com tudo no lugar: as harmonias vocais, perfeitas, em pontos selecionados, as viradas de Ringo introduzindo o Verso 1, finalizando a ponte, e também na conclusão entremeando os 'to you' precisas, além da mudança na batida durante a ponte, o baixo de Paul em duas notas por compasso, discreto, a gaita de John, enfim, tudo certo. 
 
From Me To You foi muito cantada ao vivo, em shows e em programas de rádio e TV. Destaco, neste LINK, a apresentação para a realeza, no Royal Variety Show, aquele da melhor piada de John ao vivo, na introdução de Twist And Shout. Note que na impossibilidade de tocar adequadamente a gaita, as partes dela são tocadas pela guitarra de George, aliás, como era no original, até que George Martin veio com a ótima ideia. O compacto From Me To You/Thank You Girl foi lançado em abril, e rapidamente chegou ao 1º lugar nas paradas inglesas, estava começando a febre que seria denominada Beatlemania no final do ano, e ele ficou incríveis 7 semanas no tipo, feito só igualado por Hello Goodbye, quatro anos depois. Paradoxalmente, nos Estados Unidos, ela não passou da 41ª posição, quando foi lançada como Lado B de Please Please Me, durante a febre que assolou o país, no início de 1964.

3 comentários:

  1. Uma clássica L&M! Perfeito. Os dois estavam evoluindo como compositores e criando novidades simples, but marcantes. A preparação em tom menor, na ponte, mostra isso.
    E, claro, sem os pitacos do maestro George Martin o resultado não seria tão brilhante.
    Sobre o título: eu não conhecoa a história das cartas do leitor, legal.
    Lembro que, nas gravações da BBC, eles cantam "with love from us to you".
    Ú-ú-ú-ú-úh!

    ResponderExcluir
  2. "Paradoxalmente, nos Estados Unidos, ela não passou da 41ª posição, quando foi lançada como Lado B de Please Please Me, durante a febre que assolou o país, no início de 1964." Será que entendi? Seria aquela antipatia americana de separar as músicas como se não estivessem ambas no mesmo disco? Please please me alcançou qual ponto da parada? Foi lançada antes ou depois de Ed Sullivan? Antes da Beatlemania ter chegado lá? Nâo deu para entender direito. Mas seja como for o compacto com as duas é que conta. E não as músicas isoladas. É o mesmo disco. O que quero dizer é se eu vou numa loja de discos e peço pelo single dos Beatles eu compro as duas músicas. Isso é o óbvio ululante.

    Uma coisa é certa. From me to You mexeu com pelo menos um americano. Eu já perguntei uma vez e volto a perguntar. Conhece um texto da página que se chama ( ou chamava) The Truth? É um texto sem assinatura, mas pelo ter sido escrito por um homem. Ele fala em como essa música o tocou profundamente. Foi a primeira deles que ele ouviu. E ele sentiu que estava mesmo vindo amor deles para todos nós.

    ResponderExcluir