-

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

Flying - canção assinada pelos 4 Beatles

Esta é a   canção abre o álbum Magical Mystery Tour

a história do álbum, cenário, assuntos e canções, aqui neste LINK

É a única canção instrumental da carreira dos Beatles

Atenção, canções com títulos em vermelho 

são links que levam a análises sobre elas.

3. Flying (Instrumental Song by The Beatles)

Os Beatles cantam "La-La-La-Laaaa ... La-La-La-LaAaa ... La-La-La-Laaaa ... La-La-La-LaAaa ... ."

A brincadeira do 
La-La-La-Laaaa foi só pra manter o formato das minhas outras análises. Sendo instrumental, não tem análise de letra, muito menos Assunto ou Classe para classificá-la. Não se fala em palavras, muito menos rimas. Ficarei apenas na estrutura e na parte musical. Nunca lhe dei muita bola, penitencio-me... A necessidade de um som, sem letras, para ficar com pane de fundo a algumas cenas do filme foi o que juntou os quatro Beatles numa sessão única, em 8 de setembro de 1967, para produzi-la. Ideia de Paul, melodia de Paul, execução dos quatro. A autoria foi creditada aos quatro, adotando-se a ordem alfabética, Harrisson/Lennon/McCartney/Starkey. Aqui se percebe a sapiência da nomeação da maior dupla de compositores do século, Lennon está à frente de McCartney apenas porque L está antes do M. 
Trata-se de um blues de 12 compassos repetido três vezes, são os três versos da canção, que não tem pontes ou refrões, apenas os três versos. Esta é uma boa canção para você se acostumar com o significado de um 'compasso', de 4 tempos: ouça a canção e comece a contar de 1 a 4, no ritmo, 1-2-3-4 depois 1-2-3-4 e de novo e mais uma vez, você notará que, ao final de 12 vezes, começará tudo de novo. Na base, está Paul no baixo (coisa que ele não fazia há muito tempo, preferindo deixar sua linha de baixo para ser acrescida posteriormente), John num órgão, George na guitarra, Ringo na bateria, repetindo os compassos três vezes, iguaizinhas. Na segunda vez (2° verso), entra a melodia, num mellotron (propriedade de John), que haviam usado em Strawberry Fields Forever e  seria utilizado no ano seguinte, no Álbum Branco, simulando eletronicamente diferentes instrumentos, em  TCSO Bungallow Bill. Aqui, o mellotron foi ajustado para parecer o som de um trombone. No terceiro verso, entra o vocal dos quatro, em uníssono, mas com maior destaque para a voz de Ringo, propositalmente, para não parecer o tradicional vocal Beatle. Numa segunda sessão, George colocou mais guitarra, em brilhantes riffs, perceba, Paul caprichou mais no baixo, Ringo acresceu chocalho e John desandou a brincar com seu mellotron. Depois dos 3x12 compassos (i. sem melodia, ii. com mellotron, iii.  com os vocais), a canção entra numa sucessão de loops, reversos, com mellotron, o que chegou a fazê-la durar quase 12 minutos, mas George Martin, como sempre, cortou a sessão 'psicodélica' para meros 30 segundos, suficientes para dar o recado na versão do álbum, ficando Flying com pouco mais de 2 minutos no total.
Apesar de ser uma canção pouco considerada, inclusive pelos fãs, ela teve um razoável tempo nas rádios, mais até que outras, porque era exibida como som ambiente de entrevistas e depoimentos sobre o álbum. E, claro, foi bem tratada no universo dos The Analogues, em seu moto/mandamento/mantra "Jamais deixará uma canção dos Beatles sem ver a luz do sol de uma apresentação ao vivo replicada nos mínimos detalhes"! Veja neste LINK, em brilhantes dois minutos!

3 comentários:

  1. Amo essa música
    Suave demais

    ResponderExcluir
  2. É maravilhosa...como todas. O melotron hoje se encontra no estudio de Paul lá no moinho.

    ResponderExcluir