-

quarta-feira, 14 de maio de 2008

The Big Beatles Book (BBB)

The Beatles - Bob Spitz

Capítulo 1 - Razão de Ser do Projeto BBB

Lançaram no mercado uma super biografia beatle em 2008, de Bob Spitz. Com meu conhecimento pretérito sobre o assunto, talvez não a comprasse, eu achava que já sabia tudo. Felizmente, deram-me de presente de aniversário (aliás, foram duas!). Que bom que se lembraram de mim! 


        Pensei que, para lê-la, iria demorar bastante, face ao caráter bíblico do enorme volume, de 1000 páginas: talvez eu fosse ler um capítulo, ou um ano da vida beatle, depois passar a ler um outro livro, enfim, calmamente eu daria conta do recado. 
      Quanto ao nível de conhecimento, eu pretensamente estimava que já saberia 60% do que estava lá, mas que seria bom ler de forma diferente para ter outras interpretações sobre o mesmo tema. E ainda mais, em português.
 
Qual nada! A avaliação inicial de conhecimento foi dramaticamente reduzida para 20%, após a leitura de suas primeiras páginas! 
 
No prólogo, que corre no final de 1960, ele conta como foi o primeiro show do grupo depois de voltar da primeira viagem a Hamburgo, escorraçados pelas autoridades alemãs, alguns momentos de ansiedade por terem ficado parados uns tempos, a luta por uma participação num show, em conjunto com outras 3 bandas, em que receberiam um cachê de 6£ (isso mesmo!), e o magistral desempenho que logo os colocou como a melhor banda de Liverpool, semente para que se tornassem depois a melhor da Inglaterra, depois a melhor do mundo, depois a melhor de todos os tempos, passado e futuro! 
 
E eu não sabia quase nada daquilo! 
 
E a perspectiva de lê-lo em doses homeopáticas também foi imediatamente trocada por uma febre de leitura, poucas vezes experimentada.

O livro passa 349 páginas descrevendo o período antes de entrarem em estúdio para gravar seu primeiro disco.
 
E é isto que me apaixonou no livro. O autor foi fundo em pesquisas, levou 7 anos buscando fontes confiáveis, em mais de 500 publicações, com o intuito de separar o mito da realidade. E nem sempre conseguiu, mas quando isso acontece, ele fala, e deixa que o leitor decida qual versão melhor lhe apetece. São 12 páginas de bibliografia, 5 de agradecimentos e 130 de notas, dando nome a quem falou o que e quando e onde. Ele foi atrás de amigos da época (e inimigos também) em busca de depoimentos, cruzou informações, referências, enfim fez o dever de casa direitinho, e agora descreve o que coletou, na dose certa.
 
As últimas 500 páginas, que cobriram a carreira oficial dos Beatles, a partir de meados de 1962, quando lançaram o primeiro compacto, foram como uma viagem a um lugar já muito conhecido, de diversas outras oportunidades, só que desta vez guiado por um especialista, para levar aos meandros de cada lugar, contando os diálogos que rolavam, os pensamentos dos moradores, e chegando inclusive aos detalhes sórdidos.
 

Um comentário:

  1. Legal. Me surpreendi quando você comentou sobre entrevista com inimigos ?!?! dos Beatles ?!?!

    Esse sim, seria um bom post e um lado bem desconhecido deles, pois exceto o maluco que assassinou John Lennon e o FBI, não imagino inimigos para os caras...

    Abs,
    RR.

    ResponderExcluir