-

terça-feira, 22 de outubro de 2019

CeL - Na Academia, A Visão

Capítulo 3
Na Academia, A Visão
Este é um mais um Capítulo do Projeto 
 Cel - Caminhar em Londres (link)

Capítulos Anteriores

Intro 1:  A terra do rock
Capítulo 1: CeL - Hyde Park
Capítulo 2: CeL - Abbey Road


Segunda-feira

Começou pela primeira visita “de trabalho” ao The Peak, o clube de ginástica do Carlton Tower, o “sister hotel” de que falei antes. Como ela é no 9o andar, tem uma vista fantástica da cidade, que, não sei se sabem, é basicamente constituída por prédios de 3 a 5 andares. Naquela visita de reconhecimento de campo que fizera no domingo, esqueci de mencionar, tive uma visão: sabe quando, em alguns filmes, uma pessoa ou um grupo estão numa cena aparentemente sem importância, quando de repente encontram um local que os deixa boquiabertos, aparece aquela musiquinha de suspense, depois a câmera muda lentamente para mostrar o que eles tinham visto? A única cena que me lembro no momento é de um filme chamado “Deu a Louca no Mundo”, lá nos anos 60s, em que muitos procuram um tesouro, estão quase desistindo quando percebem que estão bem perto, embaixo de palmeiras em forma de W, que eles tanto procuravam. 

Aconteceu comigo, olhava a paisagem quando a visão parou numa miragem: uma fábrica enorme, com 4 enormes chaminés.  Me toquei imediatamente: era a mesma fábrica que aparece na capa do LP “Animals” de Pink Floyd, lá de 1979, acho, com um porco inflável gigantesco voando entre as chaminés. Planejei imediatamente uma visita ao local. Coisa de maníaco bobo! 

Bem, voltando ao que interessa, a academia é de luxo, o vestiário é confortável, os armários são de madeira, já vem com chave, que é liberada com o depósito de 1 libra, que se recupera quando se vai embora. As duchas, individuais, têm shampoo, condicionador e sabonete líquido à vontade, depois, secador de cabelo, creme de barbear e até gel para cabelo. Ah, e tem sauna a vapor. Quanto à ginástica, os equipamentos de aeróbica têm TV, que eu assisto com fone de ouvido fornecido por eles, nada mal!  O bebedouro oferece água normal e, pasmem, água com gás (sparkling), pra quem gosta, como eu, uma maravilha! 

E a parte aquática, com o adequado nome de Water Garden. Conheci de noite, após o curso!Comecei com uma visita ao “Steam Room”, na verdade, uma sauna a vapor, com o triplo de área de uma sauna normal: dá para ficar caminhando lá dentro. Depois, a piscina ..... estonteante! Acreditem, se quiserem: ela é toda, eu disse, toda, ou seja, piso, paredes e contornos, de aço inoxidável! Azulejo é coisa de pobre! É muito agradável de se nadar: mesmo dividindo a raia, você pode esbarrar na parede que não se machuca, pode não perceber o final da raia, que a borda é arredondada, lisa como aço. A profundidade é de 1,4 metros, o comprimento, de 25 metros, portanto, semi-olímpica! Além disso, parece que a água nem tem cloro, ao menos não se sente o cheiro, entretanto é limpíssima, os olhos ficam abertos o tempo todo e não ficam irritados. Bem, como se tudo isto não bastasse, a banheira jacuzzi é super agradável: fiquei lendo meu livro, até que um funcionário avisou que estava fechando. Enfim, ruim, não?

Outros capítulos do Projeto Caminhar em Londres

Intro 1:  A terra do rock

Capítulo 1: CeL - Hyde Park
Capítulo 2: CeL - Abbey Road
Capítulo 3: Este
Capítulo 4: CeL - O Curso

Capítulo 5: CeL - Albert Hall, Regent, Oxford, Picadilly
Capítulo 6: CeL - Logradouros Project
Capítulo 7: CeL - Animals sem o porco
Capítulo 8: Cel - Beatles Walk
Capítulo 9: CeL - Tate Modern
Capítulo 10: CeL - London Eye
Capítulo 11: CeL - The Famous Square Mile
Capítulo 12: CeL - Mais Beatles Walk
Capítulo 13: CeL - East End - A Broadway Londrina
Capítulo 14: CeL - Farewell Dinner Turma Mini MBA
Capítulo 15: CeL - Australian Pink Floyd
Capítulo 16: CeL - Do Vinho para a Água
Capítulo 17: CeL - This is Africa


Nenhum comentário:

Postar um comentário