-

sábado, 22 de agosto de 2020

The Beatles – Quem fala sobre o quê?

Capítulo 3

Este é mais um capítulo do Projeto

O Universo das Canções dos Beatles

Todos os Capítulos têm acesso neste LINK 


Antes?

2. Neste LINKidentificação e caracterização dos assuntos das letras


Neste 3° Capítulo, pretendo identificar os assuntos de preferência de cada Beatle. Como pré-requisito, ou quase, é mportante que todos se habituem com o tutorial sobre cada assunto, que estão descritos no 2° Capítulo (Link acima).

Antes de qualquer número ou quantitativo, apresento aqui uma visão, como direi, gramatical entre os assuntos, veja bem, pode-se atribuir um pronome à sua maioria.
  • Nas Girl Songs fala-se com ou sobre ELA
  • Nas Miss Songs, também se fala com ou sobre ELA
  • Nas Self Songs, o pronome principal é EU
  • Nas Speech Songs, o pronome é VOCÊ ou VOCÊS
  • Nas Story Songs, os pronomes são ELE, ELA ou ELES
  • Nas Acid ou nas Nonsense Songs, não se identifica um padrão

Bem, num quantitativo puro e simples, de canções por autor, identificamos os campeões por assunto. 





Temos Paul campeão em três dos assuntos  
Em falar sobre garotas, com 34 da 74 canções 
Em contar histórias, com 16 das 27 canções
         Em falar para as pessoas, com 10 das 28 canções

E John é campeão nos outros quatro assuntos
Em saudade, com 11 das 21 canções 
Em falar sobre si mesmo, com 11 das 21 canções 
Em falar sobre... ou sob ... drogas, com 8 das 9 canções 
E, finalmente, tem o monopólio das canções sem sentido, todas as 3.

Nem George, muito menos Ringo, poderiam almejar qualquer título nessa visão em números absolutos, mas eu tenho uma outra visão que pode ser válida para reverter essa situação, que apresentarei em breve.

Antes, porém, e para possibilitar uma melhor divisão entre os 4 Beatles, adotei a seguinte hipótese simplificadora: aquelas canções Lennon/McCartney, em que não se pôde identificar um deles como autor principal, e que aparecem simplesmente como Lennon/McCartney, foram divididas salomonicamente, o popular fifty/fifty, entre John e Paul, tá combinado?

Assim, o gráfico normalizado abaixo mostra as efetivas contribuições de cada beatle, e constatamos que, claro, ampliando-se a contagem dos campeões absolutos, eles seguem mais campeões ainda.




Porém. eu apresento agora uma visão diferente, uma variante, que considero justa.

Em primeiro lugar, proponho expurgar as canções sobre Garotas, que, vamos combinar, era o mais natural que os jovens mais se dedicassem, na idade deles, ok, entende-se, então vamos nos concentrar nos assuntos menos, como dizer, pueris.

Uma segunda, como direi, manobra, será analisar a produção de cada Beatle de per si, ou seja, ela própria, e ver qual a preferência de assuntos de cada um.

Então, vejamos:

John Lennon 
+ 82 canções (73 Lennon + 50% de 18 LennonMcCartney) 
- 30 canções sobre garotas (26 + 4) 
= 52 canções sobre outros assuntos 
E aí é só fazer o percentual de cada assunto nesse novo universo. 
Bom, melhor mesmo pornográfico!




Paul McCartney
+ 79 canções (73 Lennon + 50% de 18 LennonMcCartney) 
- 39 canções sobre garotas (34 + 5)
= 46 canções sobre outros assuntos


E, finalmente,

George Harrison
+ 22 canções  
-   7 canções sobre garotas 
= 15 canções sobre outros assuntos



E, pronto, dentro do universo particular de cada um, temos novos campeões!!

John Lennon é o AutoAnalista!
com 21% de suas canções falando sobre ele,  
usando mais vezes o pronome EU

Paul McCartney é o Contador de Histórias! 
com 41% de suas canções falando sobre outros,  
usando mais vezes os pronomes ELE, ELA, ou ELES

George Harrison é o Palestrante! 
com 47% de suas canções falando para os outros,  
usando mais vezes os pronomes VOCÊ ou VOCÊS

E... pronto!! Consegui fazer George campeão de algum modo!!!

Hummm, será que esqueci alguém??!!
Sim, claro, nosso queridíssimo e indispensável Ringo Starr, fundamental para o sucesso da banda, mas que, convenhamos, não foi lá muito produtivo como compositor... E não teria sentido aplicar todas essas manobras num universo de DUAS composições, fazer percentuais, fazer gráficos, enfim!! 
Sorry, Ringão!!!

Era isso!!

Próximo capítulo:

4. Neste LINK, identificação e caracterização de Classes de Girl Songs

5 comentários:

  1. Muito bom Homerix. Sabemos que você se esforçou, mas desta vez não deu para o Ringão!

    ResponderExcluir
  2. Talvez o Ringo merecesse um estudo específico.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Resumindo john era psicologicamente afetado por perder pessoas, Paul era feliz mas buscava um motivo para sua felicidade, George era mais profundo, olhava para dentro de si e Ringo era o elo de ligação, a balança q equilibrava os pesos!!

    ResponderExcluir
  5. Acho importante lembrar que se trata de uma análise, rica análise, de Homerix. É a forma como ele sente e vê. É muito gostoso de ler. E admirável. Mas para saber a fundo como eram, o que realmente sentiam tendo as músicas como base ...só eles mesmos podem se definir. Nós fâs temos esse direito de analisar, de chegar a conclusões, mas sabendo que podemos nos equivocar. Eu vivo entrando dentro do universo Beatles e chegando a conclusões...para mim.
    Tenho certeza que Homerix não está aqui querendo dizer que conseguiu ler à fundo os sentimentos deles e sobre suas personalidades, pois só mesmo um psicologo com acesso a eles, como aquele do Grito Primal poderia afirmar alguma coisa. E se lermos com a devida atenção vemos que ele não está analisando realmente a personalidade deles como diz Cani. Ele analisa os temas das musicas.
    É verdade que podemos acertar muitas coisas analisando o que cantavam, acho que até mais do que lendo esses livros que existem por aí. Se aprendermos também sobre linguagem corporal e a ler nas entrelhinhas podemos acertar muita coisa. Mesmo assim sem a devida segurança.
    No entanto, não é o que Homerix pretende com essa saborosa série. Olha eu respondendo por ele. rs rs rs.

    É verdade que dá para ver temas que aparecem mais em cada um deles. Mas isso é preferência por temas sem necessáriamente indicar que um rea mais feliz, outro mais profundo, etc.
    Sem dúvida Paul é um contador de Histórias. Não só pelas músicas, mas nas entrevistas está sempre recordando fatos do passado e contando histórias que viveram. Não é a mesma coisa que fez nas musicas falando sobre pesonagens fictícios. Mas deles mesmos, de pessoas que conheceu no passado, de situações curiosas que viveu. Até parece ser norte mineiro! Que nem meu irmão Virgílio contador de causos.

    ResponderExcluir