-

quarta-feira, 19 de agosto de 2020

A Produtividade dos Beatles

                                                             

O Universo das Canções dos Beatles

Todos os Capítulos têm acesso neste LINK 

Capítulo 1


Há 
tempos que eu planejava fazer um levantamento estatístico sobre o fenômeno beatle.

Parei um pouco, pesquisei, fiz umas organizações e vou publicando, à medida que elas vão saindo. 

Minha idéia e fazer uma análise sobre o principal produto deles: suas canções!

E foram muitas .... em uma carreira tão curta!

Foram 211 canções lançadas(*), no equivalente a 15 álbuns, em apenas sete anos e meio de carreira. E por que eu tenho sempre que dizer ‘equivalente a’? É porque foram 13 LP’s, mas uma série de canções foram lançadas em compactos e EP's, e duas em inserções em coletâneas de outros artistas, que brilhantemente foram agrupadas em duas magníficas compilações, os Past Masters - Volumes 1 e 2 da década de 1970, incorporados ao catálogo oficial. E aqueles compactozinhos lançavam coisas como She Loves You, Hey Jude, Day Tripper, Strawberry Fields Forever, coisas simples assim!!
(*) Em recente quiz meu, eu me equivoquei, 
e coloquei 219, num gabarito. Sorry!! Já corrigi!
No começo da carreira, houve covers entremeados a material próprio, que foram importantes pra consolidação do trabalho deles, perfazendo 25 canções. Quase invariavelmente, as interpretações dos Beatles eram bastante superiores aos originais. Vide, por exemplo, Twist and Shout, Please Mr. Postman, Money, a primeira é tocada até hoje em festas, às vezes, a única 'deles' tocada na noite. Escrevi sobre isto aqui neste LINK. Um fato relevante é notar que os Beatles nunca gravaram um música de terceiros composta exclusivamente para eles. Sempre eram canções que eles adoravam, e que chegavam a eles pelas ondas do rádio, ou pelos navios que aportavam em Liverpool, vindos da América, aonde já fervia o rock'n roll!!

O gráfico mostra a marcha da carreira, pelo catálogo britânico!




Muita coisa, né!!

E como isso é possível?

Como NENHUMA outra banda até então, os quatro compunham! Bem, quédizê, Ringo  Starr apareceu lá no final, mas está na estatística. E, na banda tinha aquela entidade chamada Lennon/McCartney. E um certo George Harrison, que fez algumas obras-primas. Veja aqui a divisão das autorias na carreira dos Beatles.





E o que quer dizer essa entidade? Falei bastante sobre essa parceria aqui, neste LINK. Então, sabemos que a combinação entre John e Paul era: Seja eu ou seja você o autor da canção, assinaremos os dois. E assim o fizeram, desde sempre! No primeiro álbum, Please Please Me, era McCartney/Lennon e, dali por diante, Lennon/McCartney, até o fim dos tempos beatle! No começo, ela funcionava mesmo, eles sentavam para compor, e tal, mas a coisa foi caminhando para um normal assim: John e Paul, em suas casas, pensavam numa canção, um levava a demo para o outro, e o outro dava um palpite aqui e ali, e nascia uma original Lennon/McCartney! Ao longo do tempo, os fãs foram se acostumando a identificar quem era o dono da canção, geralmente o autor fazia o vocal principal, e tal, ou mesmo no estilo da canção, às características da letra, enfim, como falei e dei exemplos no meu tradicional post!

Vejam aqui uma possível distribuição, admito, sujeita a chuvas e trovoadas, afinal, há batalhas homéricas entre os beatlemaníacos 'raiz' sobre quem fez o quê!




Havia outra razão para o sucesso deles. TODOS cantavam, e cantavam bem, quédizê, Ringo tinha um menor alcance, e um timbre diferente, mas ganhou uma chance de brilhar em quase todos os LP’s. As fãs adoravam! NENHUMA outra banda tinha isso. Acresça-se que John, Paul e George eram exímios em harmonia vocal, e o gráfico abaixo denota as vezes em que isso aconteceu, em duo, ou em trio, como as excepcionais This Boy e Because!! 




Só pra terminar este papo sobre produtividade beatle, deve-se ressaltar que fossem eles gravar e lanças oficialmente tudo o que produziram, aquele total poderia chegar facilmente aos 250. No post deste LINK, eu conto sobre as canções que eles 'deram' para outros cantores brilharem, perto de 25, e outras que viram a luz do sol apenas em suas carreiras solo, anos depois! Mas foi bom assim, foi de bom tamanho, afinal se fossem gravá-las e lançá-las todas, talvez não tivessem tempo de fazer 5 filmes como NENHUMA outra banda fez, e fazer shows em países de quatro continentes, lotando salas, teatros, ginásios, estádios (neste caso como NENHUMA outra banda havia feito até então).

É muita produção!!!!

Próximo Capítulo


2. Neste LINKidentificação e caracterização dos assuntos das letras

16 comentários:

  1. Caramba Homerix, quanta pesquisa! Só você mesmo, Beatlemaníaco de raiz profunda, para alcançar essa meta. Eles (os Beatles remanescentes) deveriam saber sobre o seu empenho!

    ResponderExcluir
  2. Valeu Homero. Impressionando como sempre! Assim ficou mais claro as contribuições do conjunto da obra.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela pesquisa. Estou tomando conhecimento com você desse fenômeno musical.

    ResponderExcluir
  4. Lembrar q All my Loving é Paul e George

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Hermilo! Qualquer outro alerta, me avise!

      Excluir
  5. Excelente. Parabens pelo trabalho. Abs, Aziz

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pela pesquisa Homero, muito legal. Abcs Melo

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pelo seu prazer em pesquisar, de verdade, sobre o que tanto te agrada!!

    ResponderExcluir
  8. 537915 - Que legal, Homero. Trabalho de fôlego!
    Minha humilde sugestão: no gráfico de barras da produção anual, inserir o número de faixas que cada disco lançado abrigou.
    Abraço,
    Ribor.

    ResponderExcluir
  9. Super interessante Homero. Parabéns

    ResponderExcluir
  10. Bacanerrimo, meu amigo... Fiquei curioso para saber qual foi a única música que eles compuseram os quatro juntos !

    ResponderExcluir
  11. Bacanerrimo, meu amigo... Fiquei curioso para saber qual foi a única música que eles compuseram os quatro juntos !

    ResponderExcluir
  12. Parabéns, Homero
    Vc é um pesquisador e historiador fora de série.
    Sua dedicação aos carinhas de Liverpool é fantástica!!!
    Borromeu

    ResponderExcluir
  13. Extraordinário também o fato de não se repetirem. A cada album vinha alguns novos estilos. Variedade incrível de estilos musicais sendo que alguns nunca antes ouvidos. De tal forma que não havia como classificá-los.São muitos os que não vivem sem uma classificação. Sempre tinha sido assim antes deles. Fulano é cantor de blues, aquele á cantor romantico, de jazz....Então eles chegam totalmente novos. Muitas músicas lembrando o rock dos anos 50, mas jóias como She Loves You e I wanna Hold your Hand escapavam de um rótulo. Só que não ficaram naquilo. Nem preciso dizer isso aqui, todo mundo sabe. Ouvindo o primeiro álbum e depois ouvindo Abbey Road nem dá para acreditar que é mesma banda.

    Quanto a Lennon/MCartney existe uma historia que sempre ouvi desde quando estavam juntos. Se é verdade não tenho como saber. Desde o início, quando começaram a compor juntos, eles escreviam no caderno assim que concluiam uma canção: Mais um original Lennon/McCartney. E foi quando decidiram que todas as músicas sempre seriam creditadas aos dois mesmo se apenas um deles tivesse fosse o dono da inspiração. "I saw her standing there" por exemplo teve apenas um trechinho da letra de autoria de John. E toda a melodia tinha sido de Paul. Mas foi considerada por eles mesmos como de Lennon/McCartney.
    Algo assim até meio romantico, como um juramento de fidelidade, como num casamento. Acho que John também pensava assim porque chamou a separação de divorcio.

    Enfim, quando foram gravar mudaram para McCartney/Lennon. Por mim...não pegou bem. Não soa táo bem como Lennon/MCartney. Eu não sei o motibo da mudança da ordem dos nomes nem porque voltaram para o antigo Lennon/McCartney. Só sei que Lennon/McCartney soa maravilhosamente bem.

    ResponderExcluir