-

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Un Grand Finale de 2010


Gente, fechei o ano cinéfilo com chave de ouro....

O filme 'O Concerto' é maravilhoso!!!

Na verdade, mais que um concerto de música, é um conserto da alma, como só a música pode proporcionar!!!

A história é envolvente!

Uma orquestra de músicos judeus russos impedidos de tocar por 30 anos pelos resquícios do modus operandi soviético, descobre um jeito de voltar à ativa, em grande estilo. E escolhem nada menos que o Concerto para Violino e Orquestra de Tchaikovski.

Quem entende de música, sabe do que estou falando...

Quem não entende, vai ficar sabendo.

Em um Concerto para Instrumento (seja piano, flauta, violoncelo, fagote, ou

violino e outros) e Orquestra, o instrumentista que toca o instrumento tem um destaque absoluto sobre os demais, é o solista da peça. No filme, a solista é interpretada por Mélanie Laurent, que nos encantou como a pequena judia que se vinga dos nazistas em Bastardos Inglórios. E ela desempenha divinamente! Se ela não é violinista, treinou muuuuito para ser bem convincente, naqueles maravilhosos dedilhados que executa ao passear pelo braço do violino.


O filme é francês, mas a maior parte dos diálogos é em russo. Que língua é aquela?! Paradoxalmente, ao mesmo tempo que é incomprrensível, ela tem algumas palavras que têm o som e-x-a-t-a-m-e-n-t-e igual ao português, casos de  'Comunismo', 'Maestro', 'Música', 'Problema', que você distingue claramente no meio de 95% de fonemas incompreensíveis. Legal, também, é ver os russos tentando falar o francês, e palmas para as legendas que transmitiram muito bem essa dificuldade.

Descontem-se alguns exageros no meio do caminho, que nos deixam nervosos, mas tudo é compensado pelo Grand Finale.

Que final!! E com uma manobra fenomenal, pra contar o que se passa
depois!


Não sei se é porque tenho um violinista em casa, mas o filme me tocou profundamente.


Acabei chorando, copiosamente!!


Não deixe de ver ... aliás, eu deixo você deixar para o ano que vem ... HeHeHe

Este é pra se ter em casa...e ver sempre que quiser se emocionar....

 Homero Enlevado com a Música Ventura

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Fim de Ano Global

Depois do show meia-bomba do Rei, no sábado, teve um grande filme na segunda-feira. 'Quem Quer Ser Um Milionário', uma fábula moderna espetacular, com flashbacks precisos, muito bem posicionados, contando o porquê de um menino favelado saber quase todas as respostas às perguntas que o levariam a ganhar o tal milhão, na verdade, 20 milhões de Rúpias, equivalente a uns 500 mil Dólares. Estava escrito! Marcante, pois mostra a realidade cruel de um Índia de contrastes. Para nós, foi ainda mais interessante, pois quando passou na telona, a telinha global nos mostrava uma Índia glamurosa em 'Caminho das Índias', com Tony Ramos dizendo Are Baba a torto e a direito. Aliás, o mesmo ator poliglota, que antes aprendeu a falar o grego, e agora, o italianês, como protagonista de Passione, que foi surpreendentemente morto por Sílvio de Abreu. Punto Basta!
(Será mesmo que ele morreu?)

Na terça-feira, um interessante especial com Ingrid Guimarães, 'Batendo Ponto', como secretária faz-tudo de uma firma, muito divertido e bem atuado, competente. Gostei muito. Deve virar seriado em 2011.

Ontem, pelamordideus, se Crepúsculo era inengolível no original, dublado foi muito pior. Os queridinhos Edward e Bella pareceram ainda mais inexpressivos, esta última com aquele olhar caído, de peixe morto, ainda acometida pela crise de diabete que começou em Panic Room (O Quarto do Pânico), quando era filha de Jodie Foster... Mas, o que fazer? A juventude se amarra em porcarias, como esta série, e Restart... como eu disse, pelamordideus!

Na retrospectiva de logo mais, que será transmitida do Teatro Municipal, sabe-se lá o que virá dessa novidade, ao menos um momento me comoverá sobremaneira, se confirmar o que apareceu na propaganda:
Os Meninos da Vila dançando,
na comemoração dos gols, 
ao som de Paul McCartney
cantando 'All My Loving'!!!

Isso é o que eu chamo de Homenagem ao Homerix!!!

Homero Agurdando Som e Dança Ventura

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

O Rei sentou

Antes do assunto ppd, uma atualização à mensagem 'Um Bilhão de Amigos', de ontem: Eduardo Saverin  deve '...estar feliz com os seus 2,8 Bilhões de dólares, ...', não 2 Bilhões , pois ontem eu achava que o Facebook valia 40 Bilhões, dos quais Eduardo tem 5%, e hoje saiu naquela mesma página d'O Globo, que a empresa vale 56 Bilhões.
Bom, chega de falar em Bilhões (foram 5 menções em um breve parágrafo) e vamos ao assunto real....
Eu havia me decidido a não comentar o show do Rei Roberto Carlos em Copacabana no noite de Natal, pois eu não havia gostado, e não gosto de falar coisas negativas do Rei (ó que parcial que eu sou!).
Mas um amigo me mandou a seguinte mensagem:
Mudando de assunto, eu gosto do Roberto Carlos (pelo menos a fase pré-religiosa) e achei que o show foi muito fraquinho, não?
E eu respondi assim, rapidinho:
As fases sambinha, e sambão, principalmente, totalmente dispensáveis. A fase jovem-guarda com aquela formosura não fechou bem, Roberto sentado não empolgou, a voz dela não combina, mas as pernas.... Além disso, o Roberto Carlos estava atrapalhado pela baba. O tal Bruno do Marrone foi muito mal, o Robero fazia a segunda voz, e o Marrone do Bruno ficou mudo. E outra coisa, você já viu o Paul McCartney ler alguma letra? E olha que ele canta em inglês!!!
Desenvolvendo um pouco mais o dito, vamos lá:
  1. A fase sambinha, até que foi suportável, não fosse a repetição de 'Além do Horizonte', o que diminui o valor do show, na medida de emoções por minuto, pois repetição só aumenta o denominador;
  2. A fase sambão foi terrível. Pelo fato de ser enredo da Beija-Flor, o que é uma honra, ele chamou ao palco o Neguinho, que cantou 50 vezes aquele samba-enredo fraquinho. Repetição de samba-enredo vale, quando muito, na hora do desfile, onde há atenção dividida. Num show, e ainda de Roberto Carlos, não tem nada a ver...
  3. Na fase Jovem Guarda, a formosura era Paula Fernandes, cantora sertaneja que eu nunca vi mais gorda (?!), mas ficou claro que o Rei estava babando, e ele disse em entrevista ontem, que claro que namoraria, se é que já não namora;
  4. Roberto cantou muito mais sentado do que em pé durante o show, devido a um acidente de moto. Ontem, ele explicou melhor: na verdade foi quando ele desceu da moto, pisou em falso, e aí pinçou o nervo ciático. O Rei, sentado, perde metade de sua força. Normalmente o vemos na posição, sentado ao violão dedilhando 'Detalhes', magnificamente, mas é só;
  5. (na verdade, 4.1) Eu ansiava por ouvir 'Todos Estão Surdos', que eu adoro a ponto de indicá-la como representate das músicas do Rei, na minha lista de preferências no blog, "Meu amigo, volte logo, venha ensinar meu povo, o amor é importante, vem dizer tudo de novo La...LaLaLaLaaLa...La...LaLaLaLaaLa..." A letra continua válida 35 anos depois, o mundo precisa de mais amor, ou ao menos, de menos desamor, volte o amigo dele ou não... Pois é, sentado, passou metade da mensagem...;
  6. De Bruno e Marrone, já disse tudo, não merecemos perder mais tempo;
  7. É evidente demais que o Rei lê as letras, tudo bem, é um recurso, mas eu não vejo Paul, que é um ano mais novo, utilizar-se dele. No  máximo, ele olha o prompter para ver qual a próxima canção do set list. Ou talvez eu esteja cego. Lembro-me até que ele erra, numa boa, e até repete, como aconteceu no seu show Unplugged (equivalente ao Acústico), quando cantou 'We Can Work It Out' e inverteu as estrofes. Não teve dúvidas, parou, provocou risos na platéia, e cantou de novo, desta vez impecável...
Mesmo assim, continuo seu fã, irremediávelmente aguardando o próximo show, que assistirei com afã.
Homero Sempre com o Rei Ventura

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Um Bilhão de Amigos

A imersão no mundo do blog, associada a afazeres domésticos nestas minhas rápidas férias (arrumações, consertos, compritas y otras cositas más) fez com que inclusive, eu tenha deixdo de ler jornais.

Hoje, resolvi dar uma passada d'olhos, e percebi que não devo fazer aquilo, se quero seguir antenado om os acontecimentos, como requer, aliás, a condição de blogueiro. A página central do segundo caderno do caderno principal d'O Globo (veja bem, não do Segundo Caderno, que trata de entretenimento!) é inteiramente dedicada ao mundo digital, que cada vez toma mais parte de nossas vidas, inclusive deste escritor cada vez menos bissexto.


Tomando quase a metade das duas páginas, está uma propaganda do Credicard, com o título 'Eu quero ter um milhão de amigos', e a estampa do Rei Roberto Carlos. A administradora quer atrair, com a mais querida figura do brasil (depois de Neymar, HeHeHe, brincadeira!), muita gente, ao mesmo tempo ávida por crédito e compras, ávida por ter seu dia-a-dia associado ao ídolo. Grande lance! Se lançassem um sobre Beatles, eu embarcaria.


Na coluna principal, uma excelente comparação entre Mark Zuckerberg, um dos criadores do Facebook) e Julian Assenge (da WikiLeaks): enquanto o primeiro aposta numa rede global de amigos, ainda que virtuais, o último tem agora é uma legião de inimigos, alguns poderosíssimos. Se bem que, com toda essa ameaça, ele está mesmo preso por ter desobedecido o 11º Mandamento da Igreja: Não usarás camisinha! Que Deus o proteja!!!


Aliás (lá venho eu), o tal de Zuckerberg deve ter Roberto Carlos como ídolo, pois parece que a música de ninar dele deve se chamar 'Eu quero ter um Bilhão de amigos'. É isso mesmo.... Em outra nota da mesma página dupla, saiu a notícia de que o Facebook acaba de conquistar o terceiro lugar na quantidade de viitantes únicos, com 650 milhões, sendo somente suplantado pelo Google e pela Microsoft, sendo que o primeiro está quase chegando lá, com 970 milhões de, vamos dizer, computadores que já visitaram o site. Este é o significado de 'visitante único'. Por exemplo, se você me der o prazer de visitar o meu blog 10 vezes, vai aparecer 10 visitas no "número de vistas", porém no "número absoluto de visitantes únicos" vai aparecer somente uma!!


Vamos lá, seja você também um visitante único de meu blog e, claro, além de me visitar (no bom sentido, atenção, não no sentido bíblico!), dê-me a honra de ser meu Seguidor, apertando o botão 'Seguir', que a partir de agora, está bem em cima, antes dos 'Marcadores' e do 'Meu Perfil'. Comentários são altamente bem-vindos!



Voltando ao Facebook, a imersão nos mistérios do blog fez-me esquecer de fazer a resenha do filme sobre sua história 'Rede Social', que é EXCELENTE! Não deixe de assistir, mas se prepare para perder muitas coisas na leitura das legendas, principalmente nas falas do ator que representa Mark, que tem raciocínio muito rápido, e atordoa a gente, colocando uma assunto em cima do outro, quase sem repirar, mais ou menos como escrevi nesta linha, pára de escrever, Homero. O tag-line do filme é espetacular 'Você não ganha 500.000.000 de amigos sem fazer alguns inimigos', o que é magnificamente retratado, já que o filme vem de um livro cujo autor se baseou no ponto de vista de Eduardo Saverin, o brasileiro-que-só-nasceu-no-Brasil, que ajudou Mark a criar o fenômeno, e acabou sendo enganado, apesar de estar feliz com seus 2 Bilhões de dólares, ufa, eu de novo, com minha máquina de palavras....! Aí na foto, os atores e seus personagens.


Aliás (ai meu Deus), ainda na linha dos amigos, no filme testemunhamos o momento em que
Mark atinge o seu primeiro 'milhão de amigos'.


Testemunhe também!!


Homerix Atropelando As Palavras Ventura

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Breve Trova Natalina

Amigo, vou ser mais breve
Bem mais que ano passado
Com um recado bem leve,
Simples, direto, focado.

No que depende de mim,
Seja você ele ou ela,
Que tenha saúde sem fim
Em meio a uma vida bela!

Que o futuro seja pleno
De ouro, prata e bronze.
Que tenha um Natal sereno
E um Feliz 2011!!!

O voto é muito sincero.
Que tenha ação imediata.
É o desejo de Homero,
Neusa, Felipe e Renata.

E fica ainda um P.S.:
Ainda está em meu plano,
Com calma e sem estresse,
A retrospectiva do ano

As Coisas Que Vi, Vivi e Escrevi



 

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Marcadores do Homerix

Blogueiro novo que sou, estou longe de saber as mumunhas da ferramenta.
 
Primeiro, aquele já tradicional lembrete ao meu grupo premium: junte-se aos 21 seguidores oficiais do blog, botãozinho 'Seguir' logo abaixo da foto do meu time
 
Agora, ao assunto!
 
Em meu processo de aprendizado, descobri uma faceta interessante da minha ferramenta blogueira: os marcadores.
 
Na verdade, trata-se de uma peça de organização por assunto. Muito útil para o meu barco, que sagra por muitos mares. E que fez já muitas viagens...
 
E ele permite mais de um marcador por texto. Então, o texto 'Nowhere Boy', por exemplo, que abriu o blog, será marcado como Beatles e também como Cinema. Ótimo também, para este comandante que adora dar uma desviada de rumo no meio de uma viagem, usando despudoradamente o 'aliás'.

As 'viagens' antigas (e são muitas), então, serão organizada e paulatinamente inseridas, com seus respectivos marcadores. Quando tudo terminar, então, os passageiros que embarcarem querendo ler Beatles, poderão selecionar o marcador Beatles, e todos os textos aparecerão, organizadamente. E os de futebol! E os de política! E os de abobrinhas em geral.

COOL!!!!

Homerix Aprendendo Ventura

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Ver Pelé Sorrindo


Ontem, a CBF reconheceu, entre outros menos cotados, o Santos como o grande Campeão Brasileiro de todos os tempos. Foram reconhecidos os títulos de 1961, 1962, 1963, 1964, 1965 e 1968, dos torneios nacionais da época. Juntados aos títulos de 2002 e 2004, somamos agora OITO títulos, somos Octacampeões, no sentido errado, já que ele seria plicado corretamente se fossem seguidinhos. Aliás, em verdade, agora o Santos é o único Pentacampeão Brasileiro, pois deu cinco sem sair de cima, entre 61 e 65.

Houve alguma grita, principalmente dos times que perderam a posição de primazia, questionando a validade daqueles títulos, reclamando que eram torneios curtos, tipo mata-mata, que não tinham abrangência nacional.

Ora, ora, ora, o fato é que aqueles eram os torneios nacionais disponíveis, e organizados pela entidade oficial da época, a CBD. A regra do jogo era aquela, e segundo a regra então estabelecida, o Santos foi o melhor de todos, portanto o Campeão do Brasil. Os outros times tinham o mesmo direito de disputar seu campeonato regional (somente alguns estados), e ao vencerem, ganhavam o direito de ir ao mata-mata oficial. Se não venceram o seu campenato, ou, mesmo vencendo, não bateram o Santos, problema deles.
  
Ninguém pode reclamar da legitimidade dos títulos!
  
O Flamengo e o São Paulo que vão buscar, no campo, a partir de agora, o ranking perdido. 

E, cá entre nós, não fosse esse justíssimo reconhecimento, o Pelé, simplesmente o maior jogador de todos os tempos, para sempre imbatível, iria acabar morrendo (daqui a muuuitos anos) sem ter sido Campeão Brasileiro.

De novo, ora, ora, ora!!!

Outros agraciados foram Lima, grande meio-campo, e Pepe, grande ponta-esquerda, aliás, segundo ele mesmo, o maior artilheiro do Santos, com mais de 400 gols, dentre os seres humanos, pois Pelé é extra-terrestre.

E depois, só de ver o REI sorrindo, com o peito estufado com seis medalhas douradas, já valeu!!

E como ele próprio anunciou, com uma adaptação meio torta, mas válida:
Agora quem dá bola é o Santos
Oficialmente é o grande campeão!
E tenho dito!
Homero Oito Vezes Campeão Ventura

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Blog do Homerix

Gente, chegou a hora!
Ainda acho uma pretensão, mas que os céus me ajudem!
 
Eis o Blog do Homerix
Espero ter noites ocupadas, administrando-o....
(a partir de agora utilizarei o verbo 'post' como se fosse da língua portuguesa, sem plics, tamanho é o número de vezes em que aparecerá, tanto como substantivo, quanto como verbo pp dito, sorry língua mãe)

Convido-o a uma navegada.

Na barra de videos, tentei colocar os de Renata, do Felipe e do Vianna, mas às vezes aparecem uns intrusos, tipo Justin Bieber, aaaargh, don't ask me why...

A foto do Time dos Sonhos fica muito pequena, e é quase impossível ver que de quem se trata. Está então aqui anexa.
O time, com a camisa do Santos Campeão de 2004, joga no esquema 4-2-4, o tradicional dos anos 60, e tem a seguinte escalação:
No gol,  Sean Connery
    Na defesa: Roger Moore, Timothy Dalton, Pierce Brosnan e Daniel Craig
        No meio-campo: Capitão Kirk e Sr. Spock
            No ataque: John, Paul, George e Ringo
                ...... na reserva, George Lazenby, para a defesa .... 




Se tiver interesse em visualizar meu perfil completo, clique em 'Vizualizar meu perfil completo', (HeHe) logo abaixo do 'Quem sou eu'. Seria interessante que o fizesse, para discutirmos as preferências musicais, cinéfilas e literárias.  Provavelmente farei textos no futuro sobre algumas das citações ou artistas.

Abaixo do bloco dos Seguidores (que por sua vez, está abaixo da foto), estão os blogs que eu acompanho, os de Renata e Felipe, e os de três amigos, muito interessantes (os blogs!).
 
Já tem dois posts. O primeiro foi uma re-edição adaptada de Nowhere Boy, que usei para testes. O último, fresquinho, fala de uma possível solução para a Modern Sound.
Agora, nosso relacionamento....
  • pode ser um 'tô nem aí' ...
  • pode ser um 'abrir, ler, não gostar e cair fora' ...
  • pode ser um 'abrir, ler, gostar, seguir e cair fora'
  • pode ser um 'abrir, ler, gostar e comentar'
Se você já se vira bem com o internetês, e sabe ser um Seguidor, ou registrar uma impressão, ou postar um comentário, pópará por aqui. Obrigado, e até o próximo bate-papo no blog.

Se você está no no 'tatibitat', como eu estava até antes de ontem (aprendi tudo agora, na fase dos testes), e deseja exercitar opções com número maior que 2, siga adiante!!!
 
A partir da opção 3, será muito legal se você virar meu(minha) seguidor(a). O bom de ser seguidor é que, além de alimentar meu ego e as estatísticas, você sempre receberá o aviso de que eu postei mais um texto.
  1. Pra ser seguidor, é só apertar o botão'Seguir' na seção 'Seguidores', logo abaixo da foto do time. Se tiver conta no GMail, ou no Yahoo, ou no Twitter, fica mais fácil, mas se não tiver, vai dar mais trabalho ....sorry ....
  2. Você pode então clicar em 'Criar uma Conta Google', e registrar seu Email, seja de onde for (hotmail, globo, oi, terra, etc.).
  3. Eu fiz isso, para testar: criei uma conta no hotmail, dei-lhe o nome de rogeriosennaprost, depois fui ao meu blog, e me declarei Seguidor de mim mesmo.
  4. Outra coisinha chata foi que o meu blog pediu, pra confirmar o registro, o meu número do celular (garantindo que não vai usar de jeito nenhum para outros fins), para o qual mandou torpedo com uma senha de confirmação, que eu peguei e alimentei, ele pediu uma foto, e eu importei o símbolo do Senna, e tá lá. Eu me seguindo!
  5. (se você passou por tudo isso só pra me seguir, many thanks!)
Entre a opção 3 e a 4, existe a possibilidade de você registrar uma reação à mensagem que leu, e
Escolher uma das opções 'Engraçado', 'Interessante', ou 'Legal'.
As opções 'Sem graça', 'Desinteressante', e 'Ilegal' foram desabilitadas (HeHehe). 
  
Para comentar, você não precisa ser seguidor. Tendo ou não registrado sua reação, você precisa seguir os passos:
  1. Abaixo do post, você clica em 'Comentários', aparece o post novamente, você vai até o fim, escreve seu comentário no campo em branco, depois clica em 'Selecionar Perfil'.
  2. Se você tiver Conta no Google (e aí pode ser aquela que você criou, se me seguiu), você clica lá e registra.
  3. Se você não tem, ou não quer usar sua Conta do Google, você clica na opção 'Nome(URL)', vai abrir um campo pra você colocar seu Nome, e outro pra você colocar seu URL, seja lá o que isso for.
  4. Se quiser, você pode 'Visualizar', antes de 'Postar Comentário' direto.
  5. Aparecerá um aviso para mim, e quando eu abrir o blog de noite, eu aprovo, e ele aparece!
  
Quando eu anunciei a intenção do blog, em meio à aclamação geral (HeHeHe), houve um bom número que lamentou, que preferia seguir com o Email. Para esses, vou seguir usando esse Emeio. Se for o seu caso, avise!
  
Mas mesmo a esses, estou solicitando que no mínimo registre-se como Seguidor, e de vez em quando passe pelo blog para registrar um comentário, sacomé, as estatísticas agradecem....
  
Ajude a manter um pobre blogueiro feliz!!!
  
Grande abraço
Homero Super Ansioso Ventura

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Agora, a MSX?

Não sei se sabe mas a Modern Sound, grande reduto da boa música, e última grande loja de discos no Rio, está na iminência de fechar. Atolada numa dívida de R$ 350 mil, não encontrou parceiros. Vai morrer pela concorrência da pirataria, da internet e das grandes redes de varejo. Ficaremos sem opção para encontrar aquele disco raro, ou importado, ou algumas relíquias valiosas. Além de perdermos um magnífico bistrô que abrigava shows de excelentes bandas de MPB e Jazz que buscavam seu espaço.

Quando cheguei hoje, um amigo me mostrou um recorte de jornal, onde aparece a sugestão de que Eike Batista assuma o controle da Modern Sound, criando então mais uma empresa X, a MSX.

Parece brincadeira, mas olha só o que eu mandei ontem, a três amigos que trabalham com ele, motivado por uma amiga, que sugeriu a (aique) boa idéia. A filha dela, Bárbara Mendes, cantou lá, brilhantemente, um tributo a Elis, que encantou a muita gente.


Tomara que dê certo ...   Mantenho-os informados...

__________________________________

Amigos X,



Acredito que em meio a sua brilhante carreira, o Eike também tenha dedicado algum tempo à boa música.


Caso positivo, é possível que tenha se utilizado alguma vez do catálogo oferecido pela Modern Sound, que está lá em Copacabana, há mais de 40 anos. Mesmo se não a visitou, taí uma boa oportunidade de se tornar um Mecenas, também da música.

Pois a Modern Sound está acabando! Veja no link lá de baixo um pouco da história dessa referência, que parece que vai acabar.

Mesmo que Eike não a conheça, talvez se sensibilize com mais esta perda que o seu querido Rio de Janeiro vai sofrer. Vai ser mais uma razão pra São Paulo se distanciar ainda mais do Rio. Depois de perder shows como o do Paul McCartney, U2 e Lou Reed, depois de deixar a culinária paulista bater a carioca por 10x1 (com exceção do Mr. Lam, claro, HeHeHe), depois de o teatro paulista dar de 10x1 no carioca (que tem muito besteirol), depois de carioca ter que pegar a Ponte Aérea para ver os grandes musicais, agora, pra se ter acesso a música boa, em meio físico, também tem que passar pelo Santos Dumont!!!

Estou a dois graus de separação do Eike graças a vocês, meus amigos. Façam chegar esta mensagem a ele, por favor...

Para ele, a salvação da Modern Sound seria peanuts....

Grande Abraço


Homero Pela Modern Sound Ventura

O link: 
http://extra.globo.com/lazer/plantao/2010/12/15/com-iminente-fechamento-da-modern-sound-rio-perde-sua-ultima-grande-loja-de-discos-923293361.asp

Nowhere Boy

A semana Lennon, 'celebrando' as 3 décadas sem ele, teve ótimas atrações.

Na telinha, vários documentários, e na telona, o filme 'O Garoto de Liverpool', excelente, tanto para leigos como aficionados.

Ele dá uma abrangente visão sobre a adolescência de John. O nome em inglês não poderia ser melhor, 'Nowhere Boy', que é uma alusão a 'Nowhere Man', uma das grandes canções de John como beatle, e retrata o estado de espírito de John durante toda sua vida, até que encontrou Yoko, tenho que reconhecer, um conflito permanente.

Mostra sua relação com Tia Mimi, que o criou após ser abandonado por pai e mãe, severa, mas amorosa. É marcante seu reencontro com Julia, tresloucada, alucinada, mas responsável pelo John que conhecemos, afinal ensinou-lhe os primeiros acordes, num banjo. E é muito bem feita a cena em que ele treina no instrumento o dia todo, até tocar ao final, uma música inteira.

Conta suas loucuras juvenis, suas brigas, seu comportamento com garotas nada recatadas. A ironia, o humor, a acidez de John estão sempre presentes. Os diálogos com o o diretor da escola, onde ele só aprontava, são hilários. E a fala final com Mimi, é de arrepiar. Todos eles com poucas palavras, mas que vão direto ao ponto.

Tem outros acontecimentos que não posso antecipar, pra não estragar, mas tem alguns que eu posso, e conto, até para os leigos prestarem atenção!!!
  1. O encontro com Paul McCartney, quando após um show em cima de um caminhão no pátio de uma igreja, ele é trazido à presença de John por um amigo comum, o mundialmente conhecido Ivan Vaughn (o responsável pelo encontro do século, a quem agradecemos sempre, todos os beatlelovers). Paul dá um show, tocando 'Twenty Flight Rock' em seu violão ao contrário (pois é canhoto), impressionando a todos.  Arrepiante! 
  2. Os momentos de composição de John e Paul, na casa de Mimi, onde fica claro que John aprendeu muito com Paul, que era muito mais interessado na música em si. E foi também Paul quem incitou John a compor. Revelador! 
  3. A viagem de ônibus aonde Paul apresenta George Harrison a John. Histórico! 
  4. A primeira gravação, em um estúdio de rua, graças a um dinheiro de Julia, onde cantam 'In Spite of All the Danger', uma das primeiras composições de Paul, na verdade uma McCartney/Harrison, desconhecida do grande público pois não esteve em nenhum dos discos originais.  Ela era levada por John no lead vocal e Paul e George no backing, compartilhando o mesmo microfone de John, coisa que viriam a fazer maravilhosa e plasticamente muitas vezes como profissionais. Emocionante! 
  5. Os créditos finais acompanhados por uma versão preliminar de 'Mother', das melhores canções de John em carreira solo, cuja letra é um retrato do drama que sempre viveu. Tocante!

O ator agraciado com a honra e a responsabilidade de interpretar um ícone como John Lennon chama-se Aaron Johnson e mandou bem. Seu sotaque esteve perfeito, e a dramatizaçäo, necessária ao drama que foi a vida de John, foi a contento.

Seu grande defeito foi ser mais bonito que John. Além disso, mais bonito que o Paul do filme, o que deixou meio estranha, por exemplo, a ironia que faz em um show, ao apresentar o amigo como Paul McCharmingly. E, claro, ficou meio fora de foco o fato de ter olhos azuis, e o pior foi que aqueles olhos foram tomados em close, várias vezes. Um par de lentes de contato resolveria o problema.

Depois, ao ler uma entrevista como diretor do filme, Sam Taylor-Wood, vi que na verdade tratava-se DA diretorA Sam Taylor-Wood, 42 anos, daí a atração por aqueles olhos, e por outras partes daquele ator de 19, pelo qual se apaixonou, e até teve com ele um filho...

Resta saber se ela se apaixonou pelo ator ou pelo personagem...

O Bonequinho d'O Globo aplaude sentado, com o que eu concordo, para o público leigo.

Para beatlemaníacos, o Homerinho aplaude de pé!!!

I strongly recommend it!!!

Homero Somewhere Ventura

domingo, 19 de dezembro de 2010

Assina(ven)tura - O Fim

Está acabando a Assina(ven)tura.

Neste ano da graça de 2010, foram quase 130 mensagens (média acima de uma a cada três dias...)

A planilha anexa (Venturafolio 2010.xls) mostra nome, data e assunto de todas elas

Aqui, um resumo por assunto.

 O assunto campeão foi o Futebol, como não poderia deixar de ser, em ano de Copa, e, no meu caso, em ano de glória santista.

Em tese, quase tudo, na verdade, se encaixaria como Atualidade, mas só classifiquei assim aquelas que não cabiam nas outras categorias mais notáveis. Nessa linha, também, as mensagens sobre as Datas notáveis de Pelé e Lennon, contaram nos Assuntos Futebol e Beatle, respectivamente.

Houve um bom número de mensagens que eu poderia ter classificado como Pai Chato (não confunda com o Pé). Por elas, peço desculpas se fui muito intrusivo. Entretanto, declaro que seguirei firme na chatice, sempre que achar necessário.

Notável negativamente é que de Música, que eu gosto tanto, foram só duas. Mas a campeã em decepção, para mim, foi Livro, com apenas UMA. Conclusão, estou lendo muito pouco ... também, sempre usando o tempo livre pra escrever, fica difícil... desculpem a desculpa esfarrapada.

Enfim, foi bom enquanto durou, é chegada a hora de terminá-la......

Adios Assina(Ven)tura!!!

Por vezes, ficava acabrunhado pela falta de feedack (foram várias mensagens com menos de 10 respostas), às vezes até apelei para um título chamativo (lembrem-se do Show o Ânus), mas os incentivos suplantavam. E, quando eu menos esperava, encontrava um ausente que me dizia: leio TUDO o que você escreve, gosto muito, mas não respondo NADA.

Acho que agora superei...

Então, a razão do 'FIM' do título, na verdade, é porque mudarei brevemente o formato de comunicação.

Vem aí o BLOG DO HOMERIX

Só abro este blog por conselho e insistência de alguns de vocês. Até é menos invasivo que o email, pois coloco as coisas lá, e você visita quando quiser ou puder. E tudo ficará lá para sempre.

Sempre adiei essa decisão por achar uma tremenda de uma pretensão.

E também por temer repercussões em minha empresa.

E também por medo do branco, o branco que todo blogueiro ou colunista diz que dá de vez em quando, com a obrigação de postar um comentário ou escrever uma coluna.

A decisão foi adiada em um ano, depois outro, mas até agora não aconteceu a ausência de cor. Sempre apareceu um azul, um amarelo, um vermelho.

Até apareceu o branco, da gloriosa camisa do Santos, mas foi só...

Espero que assim continue.


Homero Contando Com Vocês Me Seguindo Ventura

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Você é influenciável?

Eu soube que o diretor de minha empresa havia sido nominado pela Revista Época como uma das 100 mais influentes personalidades do Brasil em 2010, mais que merecido, e resolvi comprar o exemplar para saber do que se tratava.

No domingo pela manhã, quando fui à padaria, vi a revista pendurada numa banca, e a capa mostrava as 100 fotos pequenininhas, acho que em 20 grupos de 5, e uma foto grande de uma delas, o Eike Batista. Na volta da padaria, portanto pelo outro lado da banca, via a mesma revista, mas com Dilma Roussef no destaque. E lá dentro da banca, uma terceira personalidade em destaque ...... o Neymar, veja só!

Foi a que eu comprei, óbvio!

Na leitura, descobri que cada capa homenageava um grande grupo de influentes: então, Dilma era a expoente do grupo de Líderes, Eike era o destaque do grupo dos Construtores e Neymar era o maioral do grupo dos ..... Heróis ... HeHeHe. O 4º grupo era dos Artistas, cujo nome de capa era o José Padilha, diretor dos filmes Tropa de Elite.

Então,

  1. os Líderes representam as pessoas que têm o exercício do poder;
  2. os Construtores são os empreendedores, que botaram a mão na massa, levando à frente seus projetos;
  3. os Heróis são aqueles que por variados motivos, inspiraram um grande número de pessoas (e somente aí entendi o porquê da indicação de Neymar),
  4. os Artistas são aqueles que usam o talento como influência.
Diz o editor que a escolha foi feita internamente, e também teve a ajuda de milhares de leitores. A gente pode concordar ou mesmo achar um absurdo a indicação de um ou de outro, but that's life, o choro é livre...
Esta é a 4ª edição da lista que apresenta alguns repetentes no  melhor sentido: dentre os Líderes, Lula, Dilma, Serra, Aécio Neves e Sérgio Cabral, estiveram nas outras três seleções, e dentre os construtores, Abílio Diniz e Roberto Setúbal também emplacaram todas. Já o grupo dos Artistas e Heróis apresenta uma grande maioria de marinheiros de primeira viagem, com as gloriosas exceções de Ivete Sangalo, Padilha e Ferreira Gullar no primeiro, e Mano Menezes e Galvão Bueno (Aaaaarghhh, esta nada gloriosa!) no último, tanto uns como outros tiveram uma presença em 2007, 2008 ou 2009.
 
Tenho que reconhecer que fiquei ao largo de muitos dos acontecimentos. Conheci a grande maioria dos líderes, mas um número menor de Artistas. Já os grupos de Construtores e Heróis constituem-se em grandes buracos negros de conhecimento geral de minha parte.
Por favor, console-me:

  1. Entre os Construtores, você já teria ouvido falar de Frederico Curado, Fernanda Viegas, Maria Helena Santana, Emerson de Almeida, Alexandre Behring, ou Marcos Jank?
  2. Com relação aos Heróis, você tem idéia do que teriam feito Ricardo Barroso Ferreira, Jair Ribeiro, Cláudio Maretti, Márcio Santilli, Ilona Becskeházy, ou Paulo Saldiva para receberem tal alcunha?
E por aí vai, esta foi uma pequena amostra... no cômputo geral foram 50 absolutamente desconhecidos dentre os 100 indicados. Preciso me antenar mais.
Declaro que não fui influenciado por muitos dos conhecidos.
Por exemplo, não fui nem um pouco inspirado por Galvão Bueno (Aaaaarghhh), longe disso, aliás, eu o trocaria imediata e facilmente por Thiago Pereira, por exemplo, que ganhou uma quantidade obscena de medalhas (mais de 20) no campeonato mundial em piscina curta!!
E muito menos reconheci qualquer talento no tal de Pedro Lanza, líder da banda Restart. A presença desse último na lista, aliás, compromete a importância dos outros 99.
Cada influenciado é apresentado por um texto de uma personalidade que tem alguma espécie de relacionamento, ou mesmo uma similaridade de posição com o homeageado. Então:
  • Pelé fala de Neymar,
  • Michelle Bachelet fala de Dilma,
  • Rodrigo Pimentel fala de Padilha,
  • Ozires Silva fala de Eike.
A busca por afinidade chegou ao cúmulo de chamarem Roberto Medina e Fábio Jr para tecerem loas a seus filhos Roberta e Fyuk (socorro!).
Identifiquei um interessante troca-troca de gentilezas, entre Frederico Curado e David Neelemam (ambos até então desconhecidos para mim), um falando do outro, o primeiro, presidente da Embraer, o último, da Azul Linhas Aéreas.
Muito legal que, para falar de Fabiana Murer, foram colher o depoimento de Yelena Isinbayeva, a grande rainha do esporte da heroína brasileira, ambas adorando segurar em vara, com todo respeito.
Finalmente, pra falar de Eduardo Saverin, o jovem e bilionário co-criador do Facebook, foram buscar Ben Mezrich, o autor do livro que inspirou o filme 'A Rede Social' que, aliás, assisti e recomendo. Estou pensando se escrevo algo sobre o filme...
(Se você sabe o que Lulu Santos viu no tal de Pedro Lanza, favor explicar...
  Nem lendo o que ele escreveu, entendi...)


Breve estatística: 21 dos 100 agraciados são mulheres e apenas 2 (DOIS) são negros (Neymar e Marina Silva), o que mostra uma sociedade ainda machista e muito preconceituosa. É isso?


Anexo a lista pra você. Se quiser, diga-me quantos conhecia. Não vale ir na internet.


Grande abraço!!


Homero Influenciando Pessoas Ventura

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Igreja

Boechat, você deve ter cantado muito a canção dos Titãs com esse nome!

Conhece?
http://www.youtube.com/watch?v=LQ3Vw6VFdBs

Você declarou muitas partes da letra em seu comentário sobre aborto e drogas, hoje.

Já há quanto tempo você não diz Amém, como diz a letra?

Grande abraço

Homero
Rio de Janeiro

Zamenhof - 151 anos

Em 15 de dezembro de 1859 nasceu Ludwig Zamenhof, numa Polônia ainda dominada pela Rússia.


 
O jovem Zamenhof, vendo-se envolvido em muitas dificuldades de compreensão entre as diversas culturas que o cercavam, pensou na criação de uma língua única que os unisse. E criou o Esperanto.

Preconceitos, perseguições, críticas, ironia e desprezo sempre cercaram a língua e seus praticantes (Hitler perseguia os  esperantistas). Mesmo assim, hoje ela é falada fluentemente por mais de 3 milhões de viventes, em mais de 100 países.


Porque a idéia tem tudo a ver!


E aqui, no Brasil, comemora-se a recente aprovação de um projeto de Cristovam Buarque, tornando o idioma uma disciplina facultativa nas escolas. Veja bem, fa-cul-ta-ti-vo! Muita bobagem se falou nesses dias sobre o assunto.


É um grande começo!

E nada mais lógico, numa época de globalização!

Muitos argumentos a favor: a simplicidade da língua, a lógica da construção ortográfica e gramatical, a comunhão de origens das palavras, a rapidez de seu aprendizado. Até aquele povo monoglota, os americanos, é capaz de aprender o Esperanto, em 6 meses.

É consistentemente crescente o  número de falantes, e de iniciativas internacionais para sua difusão, inclusive da ONU. A diversidade cultural abrangida pelo seu uso, a economia de meios impressos e traduções simultâneas que sua disseminação representa fazem com que a idéia se estabeleça como natural.

Argumentos contra: ah, já existe uma língua internacional, o inglês. E aí vira o argumento a favor. É que a adoção de uma língua pertencente a um país confere a seus nativos uma superioridade cultural sobre os demais, além de todas elas serem difíceis de aprender, mesmo imperfeitamente, pelos falantes das demais línguas. Não há possibilidade de negociação neutra quando duas partes falam a língua de uma delas.

Deixando um pouco os tecnicismos e argumentações de lado, coloco apenas aqui meu depoimento, de pai de esperantista assumida e praticante.


O Esperanto encanta!


A possibilidade de uma língua a unir os povos, sem o domínio imperialista de uma delas, é mais que atraente. Sabemos bem como tem sido: primeiro o francês no início do século passado e agora, o inglês, com seu claro viés comercial. Este viés vem fazendo com que pessoas e mais pessoas, equivocadamente, se esforcem para aprender o mandarim, como vias de se aproveitar de um possível domínio amarelo em breve futuro. Pra quê? Mesmo os chineses, que têm dificuldade enorme em aprender o inglês (já ouviu chinês falando inglês? é patético!), estão cada vez mais aprendendo o Esperanto, pois o consideram muito mais fácil. É seguramente a nacionalidade em que mais cresce número de falantes da chamada língua internacional neutra.


Meu encanto muito se baseia também  em um fato, que pode ser pueril, bobinho, mas muito me faz pender para a conclusão de que o Esperanto só pode ser coisa boa: nestes meus nove anos de convívio com a idéia, somente conheci esperantistas gente boa ... nenhum mau-caráter ... nenhum aproveitador ... nenhuma pessoa de má índole. Pode até ser coincidência, but it is a good one!
Renata, assim como todos os esperantistas que eu conheço, passou a se interessar mais pelas outras culturas do mundo. Ajudou-a a perder a timidez, e ela fala com gente do planeta inteiro.

E fez aquele documentário que publicou no You Tube, se ainda não o viu, reserve uns minutinhos, na verdade, 14 minutinhos, em duas partes: Parte 1  e  Parte 2 

Teremos um mundo melhor se a idéia for adiante!

Para cada povo, sua língua ... para todos os povos, o Esperanto.

Taí uma boa máxima!!!

Homero Lembrando Zamenhof Ventura


domingo, 12 de dezembro de 2010

Last Lennon Love Words

Em breve, vou fazer um balanço sobre a Lennon Week, mas antecipo uma conclusão.
O documentário que mais gostei foi 'O Dia Em Que John Lennon Morreu' que descreve o dia em que John Lennon morreu (gostou do esclarecimento?).
O momento que mais gostei foi o seguinte, contado pelo repórter que havia feito uma longa e última entrevista com John em seu apartamento no Dakota: Lennon (e Yoko) pega carona na limusine dele, que está a caminho do aeroporto, para deixá-lo num estúdio, aonde ele faria a última gravação de sua vida. Em uma conversa informal, off the record, o repórter faz uma pergunta que lhe havia escapado, sobre o relacionamento com Paul Mccartney.
E John não teve dúvidas:
"Well, he's like a brother. I love him. Families – we certainly have our ups and downs and our quarrels. But at the end of the day, when it's all said and done, I would do anything for him, and I think he would do anything for me."

Adivinha se eu não chorei ao ouvir isto?
Como estou agora....

Põe por terra o mito de que estavam brigados para sempre.

Eu sabia que não, mas nunca havia ouvido esta frase!

E decidi incluí-la num texto que fiz há anos sobre a melhor parceria de todos os tempos,  neste link. Nele, tento decifrar o enigma de quem é o verdadeiro autor de uma canção Lennon-McCartney, a voz, o estilo, a métrica, o espírito de cada canção. claro que não tenho a intenção de esgotar o assunto, mas com certeza, trago alguma luz ao tema.
Espero que goste...

Homero Ainda Descobrindo Ventura

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Lampiões e Marias Bonitas

Fizemos o amigo oculto de minha gerência na Feira de São Cristóvão, Restaurante Baião de 2, onde cada prato dá pra quatro. A servir-nos, garçons fantasiados de nordestinos do cangaço, com certeza, muitos deles nordestinos mesmo. À saída, oferece-se esta oportunidade de foto, que não desperdiçamos. Em tempo, o fotógrafo também é 'do bando de Virgulino Ventura', éramos 11.


Fiquei pensando cá comigo que os donos do restaurante deveriam contratar garçons de ascendência japonesa e vesti-los como se cangaceiros fossem. Constituir-se-ia numa espécie de contraponto aos restaurantes japoneses, que arrebanharam tantos nordestinos e colocaram neles aqueles kimonos, e faixas vermelhas na cabeça pra fazer sashimi.... Pense bem, dá pra contar nos dedos os sushi-men como direi, originais, ao menos no Rio de Janeiro....

E fez-me lembrar daqueles universos paralelos das histórias em quadrinhos de minha infância profunda, em que tudo acontecia ao inverso, quem era bom virava mau, e vice-versa. Em Super Homem isso ocorria muito, por exemplo, na época da guerra-fria, ele aparecia a serviço do Kremlin, coisas do gênero. Aquilo, para os americanos da época, era o maior nível de Eixo do Mal. Aqui, quem é nissei vira nordestino....

Arre égua!!!

 
Homero Aperriado da Mulesta Ventura

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Teoria da Conspiração

Foi há 30 anos...
 
No dia 9 de dezembro, mais ou menos às 8:30 da manhã, peguei meu carro, em São Paulo City, para ir uma das últimas vezes à faculdade de engenharia na Politécnica-USP. Parti, e logo a seguir, liguei o rádio como sempre, e alguns minutos depois, ouvi uma notícia como nunca:
 
John Lennon foi assassinado em Nova Iorque!
 
Não acreditei, parei o carro, ouvi o relato e chorei. Um maluco havia atirado nele pelas costas. Depois, vim a saber que o assassino segurava um livro nas mãos quando foi preso, sem qualquer resistência.
Uns 17 anos depois, fui ao cinema assistir ao filme ‘Teoria da Conspiração’, em que Mel Gibson faz um alucinado motorista de táxi em New York, que tem uma newsletter em que denuncia manipulações e manobras do governo. Ele tem uma paixão platônica por Julia Roberts. Ele a vê toda noite, de dentro de seu táxi, fazendo esteira em seu (dela) apartamento do terceiro andar de um edifício, enquanto (ela) ouve (e ele pensa) "You Are Too Good To Be True" (can't take my eyes of you). Depois, descobrimos que há outras razões para a paixão, mas veja o filme para entender, senão estraga. Tocou-me muito também a obsessão que o personagem tinha pelo livro "The Catcher in the Rye", de J. D. Salinger, que aqui é encontrado como "O Apanhador no Campo de Centeio". Esse livro, sobre a vida de um adolescente perturbado, chamado Holden Caufield, é ministrado a todo estudante de Middle School nos Estados Unidos. O Felipe leu quando estudou lá, e gostou muito, e já leu novamente há pouco tempo.
 
Pausa para uma magnífica descrição do livro, feita por uma amiga:
O livro é aplicável a qualquer cultura porque é relatado por um adolescente e eles são os mesmos em todo o mundo. Só o Holden é que é diferente. Daí sua incapacidade de se relacionar, seu isolamento. Ele vai percebendo a quantidade de cretinos (ele usa muito esse termo) que o cercam e que todos encontramos pela vida. Por isso o livro não tem idade, nem público restrito, embora eu duvide que adolescentes como os que ele descreve no livro fossem ler qualquer coisa, muito menos aceitar um que os critica. Ele chega à conclusão de que não pode e não quer suportá-los. Nós levamos um tempo bem maior do que ele, para perceber isso. E ter coragem para tanto. Não deixe de ler. Vale à pena.
 
Quando vem a cena de Mel Gibson comprando todos os exemplares do livro numa livraria, comecei a entender o que estava acontecendo no filme, o que estava por trás de seu comportamento meio doidão, alucinado. Entretanto, tenho noção de que só eu e uns poucos beatlemaníacos, puderam captar: é que um exemplar do mesmo livro que estava em uma das mãos de Mark Chapman, enquanto a outra descarregava o revólver em John Lennon. Quer dizer, um beatlemaníaco comum saberia deste fato, mas somente os muuuito betlemaníacos, como eu, que lêem livros sobre Beatles, saberiam a relação que aquele livro tinha com o filme.


É que dois anos antes de assistir a ‘Conspiracy Theory’, eu lera um outro livro chamado "Who Killed John Lennon", de Fenton Bressler, em que se defende, a teoria de que Chapman era um assassino programado pela CIA. Essa teoria fora explorada no filme 'The Manchurian Candidate' de 1962, com Frank Sinatra, e que teve uma espécie de refilmagem com Denzell Washington em 2004. Bressler pesquisou a vida pregressa do assassino, encontrou aproximações da agência de inteligência em alguns pontos de sua biografia. E notou um blank period, na verdade um buraco negro em seus registros, sem aparecer em nenhuma parte do planeta. Teria sido esse então, o período de lavagem cerebral e treinamento.  O gatilho para acessar sua mente teria sido o recebimento o livro "The Catcher in the Rye" de algum agente da CIA, que o fez fazer o que estava programado para fazer: dirigir-se ao edifício The Dakota, na Rua 72 esquina com Central Park West, New York, e matar John Lennon. Segundo Bressler e muitos adeptos, o grande ativista, o grande animal político, capaz de reunir milhões em um comício, estava de volta, após 5 anos de reclusão para cuidar de seu segundo filho, e se constituía numa ameaça aos objetivos belicosos do governo que se instalava, após um período de quatro anos 'insuportáveis' de Jimmy Carter em busca de paz.
 
         Enfim, deve ser mais uma Teoria da Conspiração! Ou não?
 
         O assassino foi condenado a prisão perpétua. Recentemente, no limiar de completar 30 anos de prisão, Chapman pediu, como era seu direito, liberdade condicional (parole, em inglês). Foi a 6ª vez. E foi a 6ª negação. Interessante ler uma das petições que foram apresentadas:

We, the undersigned, petition and ask that the New York Department of Corrections Parole Board deny the parole/release of Convicted Killer "Mark David Chapman" during Parole hearings during Oct. 2010 and any future hearings to come, as to assure the Public of the World that "Mark David Chapman" will serve his FULL term of Life In Prison for the Pre-meditated Murder of John Winston (Ono) Lennon committed Dec. 8, 1980.
 
         Acho que para Chapman, o melhor lugar em que pode estar, é na cadeia. Não se poderia apostar um centavo em sua integridade física assim que botasse o pé fora.
 
         Bem, pra terminar, anexo, para alguém que ainda não tenha lido, um texto meu sobre a vida de Lennon, em seus momentos difíceis. A música passa ao largo ....
 
         Ah, sim, agora sim terminando, anuncio que a GNT tem programação especial, uma verdadeira Lennon Week. Hoje, às 9:30, e de terça a sexta, às 11:30 serão levados quatro documentários (um deles em duas partes) que, pasme, eu nunca vi.
 
Abraço
 
Homero Ainda Lembrando Lennon Ventura

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Show do Ânus

Quem sabe botando o assunto assim, como direi, de uma forma mais direta e escatológica, eu consiga atingir mais pessoas.
Bem, na referida mensagem, que reproduzo neste link, além de chegar à conclusão do título e torcadilho, eu saudei o Flu campeão, no P.S., após perdoá-lo por ter subido ao andar de cima sem subir a escada. Explicando melhor aos not-football-lovers: o Fluminense foi campeão da Terceira Divisão em 1999, mas foi convidado para disputar a Primeira Divisão em 2000 (o andar de cima) sem passar pela Segunda Divisão (sem subir a escada)....
Beam Me Up, Scotty!!!
(quem não souber o que isto significa, diga-me) 

Ontem, em plena cerimônia de celebração aos melhores do Campeonato Brasileiro, com merecidíssima eleição de Conca como craque do campeonato (38 jogos jogados em 38 possíveis, 9 gols feitos, e assistência a outros 19), o Andrés Sanchez, presidente do Corinthians provocou a torcida do Flu.
Após receber homenagem das mãos do Lula, pelo centenário de seu time, num ano em que não ganharam nadinha, nadinha, ele foi ao microfone, sem ser chamado, e soltou, sem papas na língua:
"É um orgulho ser presidente de um clube que caiu, e voltou à Primeira Divisão pela porta da frente!"
Vaias, Palavrões, Ovos, Tomates .... (só da torcida do Flu)
Homero Baixando Pano Rápido Ventura

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Dá-lhe, Padilha!!!

A BandnewsFM trouxe ao estúdio um convidado ilustre: José Padilha, o diretor dos filmesTropa de Elite. Um cara de sucesso, fez antes documentários marcantes, como 'Os carvoeiros' e 'Estamira' sobre a pobreza, e 'Garapa' sobre a fome. Um deles 'Ônibus 174', virou filme, enfim, a temática política está sempre presente.

Ele adiantou o seu próximo projeto, palavras dele:
Uma FICÇÃO sobre um partido idealista de esquerda que chega ao poder, e que para manter a governabilidade, recorre a pagamentos mensais de propina aos legisladores.

Nome do filme fictício:
Nunca Antes na História deste País.

Não tenho dúvida de que Padilha está se transformando em nosso Michael Moore tupiniquim. Só faltava aparecer mais, mas parece não ser sua praia estar em frente às câmeras. Mas os assuntos que escolhe são sempre polêmicos. Não demora nada, ele denunciará ..

um sistema de educação que coloca nosso país em primeiríssimo lugar (de ponta cabeça), empatado com o potente Zimbábue, em tempo médio de permanência das crianças em escola, e que tem um ministro que, ainda assim, e depois de tanta lambança no ENEM, quer continuar ministro,
ou
um sistema de saúde que permite, sem punição,
  • que um dentista extraia todos os dentes de duas pessoas com deficiência mental, sem a menor necessidade;
  • ou que um médico escreva no braço de uma grávida prestes a parir, o número do ônibus que ela tem que tomar ao hospital que poderá recebê-la, o que faz ela perder o bebê;
  • ou que um falso médico libere uma menina de 5 anos, torturada, ainda desacordada, já em coma, matando-a um mês depois;
  • ou, finalmente, que uma equipe de emergência injete vaselina na veia de uma menina de 12 anos que acabaria morrendo, percebendo que irira morrer, nos braços de uma mãe desesperada.
  • Esse filme seria um sucesso lá fora,também na categoria ficção.
  • ou .... vou parando por aqui, que a lista é enorme...

Aliviando um pouco a mensagem, o programa da Bandnews seguiu com a presença de Padilha que acabou conversando com Zé Simão, que reviveu algumas propostas de filme para o diretor:
  • um com temática sexual, 'Trepa de Elite';
  • um com temática estética, 'Tropa de Celulite';
  • um com temática política 'Tropa de Aliche', como tudo acaba em pizza mesmo;
  • um com temática social, 'Troca De Elite', em que conta a vida de gente moradora do Leblon, os consumidores, que trocam de residência, e ficam um tempo morando no Alemão (antes da invasão) no meio dos fornecedores.

Acho que ele se refere, neste último, aos assinantes do manifesto lançado por aquele jornalista de Brasília:
Eu ajudei a destruir o Rio de Janeiro
Simão lembrou ainda de um novo modelo daquele produto Apple, agora inspirado no BOPE: o I-PAD Pra Sair.

Voltando ao sério novamente, Padilha se declara absolutamente favorável às UPPs, mas diz que o sucesso do governo não será total se não se produzir uma profunda reforma nas Polícias Militar e Civil, que ainda tem um grande contingente de corruptos, aliás, como se viu na invasão do Alemão, em que parece que a fuga de bandidos contou com alguma ajuda policial...

Enfim ....

Homero Com Padilha Moore Ventura