-

sábado, 21 de janeiro de 2012

Ele disse NÃO a The Beatles

Está próxima a data em que serão celebrados os 50 anos de existência da maior banda de todos os tempos.

Foi em outubro de 1962, no dia 5, foi lançado o primeiro single (lembram-se dos antigos compactos?) de um grupo com um nome estranho que se assemelhava a "Os Besouros", composto por 4 jovens entre 19 e 22 anos de idade, vindos de Liverpool, cidade portuária do noroeste da Inglaterra, liderados por um tal de John Winston Lennon, um tanto quanto narigudo.  

A gravadora era a EMI, em seus estúdios da Abbey Road. O selo era o Parlophone, comandado por George Martin, um selo até então dedicado a músicas orquestradas e a gravações de peças teatrais. Martin, um maestro de mancheias, sentiu nos rapazes um potencial enorme, tanto que assinou um contrato antes de ouvir o primeiro teste ao vivo, só baseado em gravações em fita e no carisma pessoal percebido na primeira entrevista. Os chefes da EMI não entenderam muito bem aquele procedimento, nunca dantes visto, mas acreditaram no feeling do maestro.  

Por aí se vê a diferença entre um visionário e um burocrata! Pouco mais de 9 meses antes, mais precisamente em 1º de Janeiro de 1962 (isso mesmo, no  primeiro feriado do ano!), os rapazes, ainda com Pete Best na bateria, haviam feito um extensivo teste de estúdio na Decca Records principal concorrente da EMI naquela época. 

Os rapazes, apesar de não disporem dos próprios instrumentos, tocaram 15 músicas e mostraram toda sua cancha de palco de quem está há 4 anos na estrada. Estavam um pouco nervosos, mas deram um bom recado, tendo mostrado sucessos de Chuck Berry, Little Richards e outros maiorais da época mas, principalmente, e diferentemente de todos os grupos da época, apresentaram material próprio, composto por Lennon e McCartney, nada muito brihante, mas próprio. Ousaram até executar Besame Much, isso mesmo, o bolero, em inglês eem ritmo de rock. Lá embaixo, eu anexo um video procês. Mike Smith, o gerente da Decca, gostou, mas tinha que levar o material pro chefão.

No entanto, quando o chefão, chamado Dick Rowe, ouviu o material que seu gerente todo animado lhe levou, ele vestiu uma cara de tacho, sacramentou ... 


"Esses grupos com guitarras 
estão com os dias contados!

... e rejeitou os Beatles!!! Ele estava intrinsecamente correto, pois os dias estavam realmente contados: só que o contador já está em 18.822 e crescendo

O destino deu-lhe uma 2ª chance e no ano seguinte, ele contratou um outro grupo com guitarras, os menos fabulosos Rolling Stones.

Interessante foi a resposta que Brian Epstein deu a Mr. Rowe, quando ouviu aquela bobagem: 

"Pois olha, caro Dick, de minha parte
acho que você está deixando de contratar 
um fenômeno que será maior que Elvis Presley!"

Esse sim, um homem de visão!!!

O fato é que aquele teste na Decca se constitui num dos mais procurados discos piratas de todos os tempos, os famosos "Decca Tapes". Ele foi o primeiro piratão que comprei, já em CD, em 1990. E o fiz em grande estilo: na feira de rua da Portobello Road, em Londres..

Eu mereço!!

P.S. Como prometido, eis um video (na verdade, som com imagens paradas) da performance dos Beatles tocando Besame Mucho no teste da gravadora Decca. O vocal principal é de Paul, a harmonia, já perfeita, de John e George. Note o divertidíssimo ChaChaBum inserido em alguns momentos, ideia, claro, de John.










         .


        
        

10 comentários:

  1. Analisando agora o ocorrido há 50 anos atrás, não pode ser considerada uma surpresa os Beatles terem sido reprovados neste teste na Decca.

    Afinal o teste aconteceu no dia de ano novo (lá isso é dia de fazer prova?) e talvez por isso, e também devido a uma alta dose de nervosismo dos meninos, as gravações deixaram muito a desejar (quem nunca as ouviu, vale a pena conferir).

    Curiosamente as 3 músicas de autoria de Lennon e McCartney (Hello little girl, Love of the loved, e Like dreamers do)que foram gravadas na sessão da Decca, jamais foram lançadas oficialmente pelos Beatles.

    Cientes que eles tinham canções muito melhores, a dupla presenteou seus amigos, artistas emergentes de Leverpool como eles (The Fourmost, Cilla Black e The Applejacks).com estas 3 canções.

    Cabe destacar que "Hello little girl" pode ser considerada a primeira composição pra valer de John Lennon (John começou a compor por insistência de Paul, que já fazia as suas musiquinhas).

    Aqueles que assistiram ao filme O garoto de Liverpool (Nowhere Boy)lançado no ano passado puderam perceber a cara de decepção que o Paul fez, ao ouvir um John todo empolgado apresentar para ele a sua primeira grande "obra prima".

    Realmente há 50 anos atrás era impossível imaginar o que estaria por vir.

    ResponderExcluir
  2. Excelente post. Fábulas fabulosas. Aprendi mais duas....hahahaha (ribor50)

    ResponderExcluir
  3. 77.039... vezes aplaudo Homerix pela sua garra na Beatlemania.
    Paulus Erectus

    ResponderExcluir
  4. Vivendo e aprendendo... De boas palavras transborda o meu coração. Ao Rei consagro o que compus; a minha língua é como a pena de habilidoso escritor Salmo 45: 1 Parabéns!Bjkas Flavia Leal

    ResponderExcluir
  5. História muito interessante. Incrível, mas a maioria das pessoas de sucesso têm nos seus históricos, de uma forma ou de outra, alguma enjeitada análoga a essa que levaram os Beatles dos dirigentes da Decca. Fico imaginando a cara de surpresa dessa gente depois que os Beatles decolaram...e o mundo passou a ter o domínio exitoso de conjuntos musicais replicantes do modelo...

    É curioso observar a canção Besame Mucho como marco na vida de algumas pessoas. Lembra o caso do ex-ministro Bernardo Cabral e daquela ministra, quem expropriou a nossa poupança no governo Collor? A canção Besame Mucho figurou como pano de fundo do efervescente e fugaz romance entre eles...

    ResponderExcluir
  6. Muito interessante, não sabia dessa história.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  7. Não conheço muito de música, muito menos dos Beatles, então essas coisas me vêm como uma bela surpresa!
    Mas eu já ouvi os homens, claro. Eles eram bons. Quem sabe na época não fossem tanto a ponto de garantir um contrato de cara, ou nessa indústria esse tipo de negócio dependa muito mais de sensações subjetivas, de pessoa pra pessoa.
    Só podemos então agradecer ao Mr. Martin por seu apurado senso de sucesso. Posso não entender muito de música ou de besouros, mas sei que esses caras influenciaram muito boa parte da cultura que eu vivi até hoje.

    ResponderExcluir
  8. Homero, a diferença entre um burocrata e um visionário é realmente muito grande. O Dick Rowe deve ter entrado em depressão após ter constatado a besteira que fez.
    Assisti um entrevsta do George Martin na qual ele comenta que os arranjos dos Beatles nesta gravações iniciais não eram bons, mas que ainda assim era possível enxergar um grande potencial musical neles. George Martin ressaltou também que o carisma da banda impressionou muito a ele por ocasião da primeira entrevista.

    O texto está muito bom, parabéns!

    Um abraço, José Henrique Danemberg

    ResponderExcluir
  9. Confesso que se eu fosse o Dick Rowe também rejeitaria os Beatles. O disco da Decca é horrível, a seleção do repertório, feita por Brian Epstein, é desconexa e eles estavam tão nervosos que executaram pessimamente as músicas. Rowe nunca teria a chance de reparar o erro (que acabou unindo George Martin aos Beatles, algo fundamental para eles se tornarem o que se tornaram), mas seguiu o conselho de George Harrison e contratou os Rolling Stones para sua gravadora.

    ResponderExcluir
  10. hOMERO v:
    vALEU!!!!! Além do mais, o Besame Mucho dos Beatles é SENSACIONAL!!!!!

    ResponderExcluir