-

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Como conheci A Arma Escarlate

SKOOB é uma rede social de leitores de livros. Ela tem fornecido à Renata um ótimo campo de divulgação de seu livro. Cadastrei-me há tempos, mas nunca usei . Noutro dia resolvi colocar minha resenha sobre o livro. Mas não adiantaria uma resenha na forma das outras 47 que lá estavam à época (felizmente 90% excelentes, se tiver curiosidade, leia aqui http://www.skoob.com.br/livro/resenhas/192621). Hoje, já são 155 resenhas, e segue a média dos 90%!

Resolvi então compartilhar minha experiência de como conheci o livro!

Vejam como foi:
Olá!! 

Sou o pai de Renata Ventura.

Esta não é bem uma resenha!

Apenas compartilho com vocês como conheci a obra de minha filha. 

Renata resistiu no início em me mostrar os capítulos já escritos ... só decidiu 'abrir' pra mim quando já havia terminado o primeiro terço do livro porque ficou preocupada se iriam gostar.... aí ela me passou o primeiro capítulo ... e eu chorei..... e pedi mais ... e veio o segundo ... e o terceiro .. e eu ria com as idéias, com a imaginação ... e me emocionava .... e vinha o Inferno Astral ... e vinha a Astronomiologia e seus proefesores siameses ... e vinham os personagens cativantes ... e vinha a escrita com sotaque... e vinha o 'Independência ou Morte' .... e vinha a Sala Silenciosa ... e vinha o Clube das Luzes, tantos momentos incríveis, até que chegou o ponto em que eu recebi o capítulo que ela tinha acabado de escrever, ali pela metade das 550 páginas ... e então começou minha angústia: não dependia mais de mim a decisão de continuar lendo ou não. Tinha que esperar a produção da escritora.... era um tortura a espera pelo novo capítulo que saía do forno.... mas a emoção continuava ... e vinha o dicionário revelador ... e vinham os feitiços em Tupi .... e vinha a Esfera de Mésmer ... e vinha a revolução da segunda parte .... e vinha o Laialá de Pandora... e vinham as reações de Hugo..., Neusa também entrou no circuito e fomos acompanhando. emocionados, até o fim... arrebatador!!! 

Entretanto, ainda durante o processo, quando o livro entrava em seu terço final, preocupado por ser apenas a opinião de pai e mãe deslumbrados, busquei uma opinião isenta, ou, ao menos, mais isenta que a nossa. E encontrei uma ótima, uma professora de português que não tinha o menor interesse em ler fantasia, nunca leu Harry Potter, ou Anne Rice, ou Senhor dos Anéis, enfim, melhor impossível. 

E aí eu mandei o primeiro capítulo (fazia questão de imprimi-lo) ... ela disse, 'Manda outro' ... e o segundo ... 'Mais um, por favor' ... e o terceiro.... e ela não quis parar mais, ... e ficava ansiosa por receber o próximo capítulo, igualzinho a nós... e assim foi até o final. Ela ficou encantada com a amarração da fantasia com a realidade, o estilo, o humor, a emoção, ... e tantos outros atrativos da narrativa, que agora muita gente conhece, entre eles a habilidade que eu defino a seguir... 

Pra mim, ela é a Capitã Gancho, tal é a forma com que ela chama as pessoas a não pararem de ler quando terminam um capítulo. 

Parabéns, filha!!!



É um orgulho ver você crescendo como pessoa enquanto escreve.... e fazendo com que seus leitores também cresçam!!  

5 comentários:

  1. Sempre imaginei que logo que começou os primeiros capítulos, que a Rê tivesse mostrado logo aos pais... É um tanto engraçado... Hehe... Nossos pais mesmo que não gostem taanto assim de um trabalho nosso, o apoio deles é quase que certo! ^^

    Enfim, adorei a mensagem Homero!!
    Tendo eu já lido AAE, sou meio suspeito pra falar.
    Mas tenho quase certeza que depois de ter recebido uma mensagem como essa no Skoob,eu ficaria muito tentado a ir a uma livraria comprar o meu!! Kkk'

    Um abraço!!
    http://entrelivroseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. o Apoio dos pais nessa hora vale muito. Admiro a sua posição, pois muitos de nós, quando revelamos que queremos escrever um livro, os pais acham um absurdo; Logo, falam que não tem lucro, só gastos, etc e tal. Mas se esquecem, às vezes, de que pode ser um sonho de seu filho. E eu acredito que sonhos não nos foram dados para serem guardados dentro de gavetas.

    A RENATA TEM SORTE, ASSIM COMO EU, DE TER PAIS QUE, INDEPENDENTE DO SONHO, ELES DIZEM AOS FILHOS: "Seguem em frente, se é o que realmente quer."


    Abraços
    http://www.facebook.com/blogpuraliberdade?ref=hl

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir