-

terça-feira, 17 de novembro de 2015

"M" as in "Mother"... concordo com ele!!

Em época de james Bond, relembro este artigo de 2013
Transcrevo um artigo sobre o significado de "M" na série.
E escolho as minhas Top 5 Bond Songs...
Que não mudaram com a chegada da porcaria do último...
_______________
Logo após publicar o artigo que transcrevo abaixo, Luiz Fernando Veríssimo caiu num hospital, esteve entre a vida e a morte, e saiu um mês depois. Três dias atrás saiu seu primeiro artigo no Globo, muito legal, em que faz uma metáfora sobre sua situação, e agradece muito a quem o trouxe de volta. Hoje, domingo, tradicional dia de sua coluna, ele volta a falar do assunto, agradece muito às pessoas que rezaram por ele, e admite que está revendo seu proverbial ceticismo. Nessas horas, as pessoas começam a rever seus conceitos sobre Deus, religião, sabe-se disso. E prometeu que não vai voltar a falar sobre esse período de sua vida!!

É bom mesmo, queremos aquele nosso velho e sarcástico colunista de volta!
Deixo aqui, sim, como ali em cima falei, seu último artigo antes do episódio, excelente, sobre o mais recente filme de 007 - Skyfall - em que nos explica o significado de 'M'. Espetacular!!
Para acompanhar a leitura, sugiro este video do YouTube, que traz Adele cantando a melhor música de 007 dos últimos 30 anos, com certeza entrando no Top Five de qualquer bondmaníaco! Aliás, quais são as suas? As minhas? Lá, após o artigo do Veríssimo!


‘M’ de mãe, por Luis Fernando Veríssimo - 18 de novembro de 2012

Depois do penteado que os irmãos Coen lhe arrumaram para o filme “Onde os fracos não têm vez”, era difícil imaginar coisa pior na cabeça do Javier Bardem. Mas em “Skyfall”, o último 007, ele usa uma cabeleira loira que escorre pela nuca e supera a anterior. Bardem ganhou um Oscar com a cabeleira dos irmãos Coen, é bem provável que ganhe outro com esta. 
Porque desde que entra em cena ele toma conta do filme. É certamente o melhor da longa lista de vilões excêntricos e megalomaníacos da série, o primeiro de sexualidade indefinida e o primeiro, desde que a Judi Dench começou a ser “M”, chefe do serviço secreto inglês, a tornar explícita a relação edipiana dos agentes com ela. 
Bardem é um ex-agente desgarrado que quer se vingar por ter sido abandonado por “M” e ao mesmo tempo destruir o serviço secreto.

Bond é o filho favorito que perdoa a “M” por quase tê-lo matado e a defende da vingança do outro. No fundo uma reedição da parábola do filho preferido e do filho réprobo, antiga como o mundo. 
Espero não estar estragando o filme para quem ainda não viu, mas Judi Dench deve ter dado um ultimato aos produtores: só faria mais este no papel de “M”, mas sairia de cena em grande estilo. Em nenhum outro filme da série, mesmo quando “M” ainda era homem, o personagem teve tanto destaque e foi tão decisivo na trama. 
A sequência final de “Skyfall”, mais inverossímil do que qualquer outra num filme cheio de desafios às leis da probabilidade e da gravidade, é, no entanto, um desenlace perfeito para o drama edipiano. Bardem e Dench abraçados, têmpora contra têmpora, ele propondo que os dois se matem com a mesma bala, é uma cena sem precedentes na história da série — mesmo levando-se em conta que desde que Daniel Craig assumiu o papel principal as histórias têm ficado mais densas. 
Sam Mendes não deve ter hesitado em dirigir “Skyfall” depois de ler o roteiro, o filme não fará nenhum mal ao seu currículo. 

No fim de “Skyfall” um homem volta a dirigir o serviço secreto inglês, inclusive com uma secretária chamada Moneypenny, como no começo da série. É uma espécie de restauração.
 

A era da Judi Dench como “M” foi divertida, mas quem sabe para que atoleiros psicológicos nos levariam as implicações da relação de Bond com sua chefe, agora que se sabe que o “M” era de “mãe”?

Minhas Top Five Bond Themes, a seguir, sem ordem!
(atenção, não inclui o James Bond Theme - 
ton tororon tommm tom tom tom tom ton tororon tommm, 
pois esta está em todos os filmes ao longo desses 50 anos)

From Russia With Love
For Your Eyes Only
The Spy Who Loved Me
Live And Let Die
Skyfall
 Abraço

Homerix Misturando Adele Com Veríssimo Ventura

6 comentários:

  1. Cláudio Rodrigues7 de janeiro de 2013 11:09

    Grande Homerix, como foi de virada?

    Bem, tentei publicar meu comentário, mas como ficou muito longo, foi barrado pelo site. Outra sugestão que te dou seria a de incluir um conta-palavra, a exemplo dos que há no site da Amazon e do ebay, onde o contador vai decrementando a cada caracter que se digita, para que o digitador saiba exatamente quanto ainda lhe resta digitar.

    Desta forma, transcrevo aqui, para que você faça sua edição e publique no blog, ok?

    Ufa, na verdade, os elementos contidos neste post seriam combustível suficiente para delinear uma verdadeira tese de mestrado! O verdadeiro significado de M; a sexualidade indefinida do vilão; a provável premiação de Bardem; Bond Themes, enfim, temos um verdadeiro arsenal para trabalhar em profundidade.

    Minhas top 5 são:

    1) FRWL ( a versão instrumental, não a cantada por Matt Monro)
    2) FYEO
    3) All Time High, de OP (homenageada no filme TED)
    4) Nobody DOes it Better - TSWLM
    5) SKYFALL

    Como músicas incidentais, portanto, não são músicas-tema, gosto muito de BOND MEETS SOLITAIRE, de LALD, na minha opinião, uma das melhores trilhas, a de George Martin, e também da trilha de TLD, principalmente as duas do Pretenders, Where Has Everybody Gone e If There Was a Man. Tem ainda a de Patti LaBelle, If You Ask Me, que toca no final de LTK.

    _______________
    Aqui é o Homerix. Criei dois posts para acomodar o restante da excelente crítica de Cláudio

    Aqui, Javier Bardem e as chances de Oscar
    http://blogdohomerix.blogspot.com.br/2013/01/as-chances-de-oscar-de-skyfall.html

    Aqui, o signifcado de M, a chefia de Bond no MI-6:
    http://blogdohomerix.blogspot.com.br/2013/01/m-de-mae-james-bond.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para explicar melhor as siglas de Cláudio

      FRWL - From Russia With Love
      FYEO - For Your Eyes Only
      OP - Octopussy
      TSWLM - The Sy Who Loved Me
      LALD - Live And Let Die
      TLD - The Living Daylights
      LTK - License To Kill

      Excluir
  2. The Spy Who Loved Me é o meu favorito! talvez porque a música tenha marcado tanto!! Adorei! "peixe urbano"

    ResponderExcluir
  3. 1) Dr. No (A música tema de toda a série)
    2) Goldfinger
    3) The Spy Who Loved Me
    4) Live and Let Die
    5) For Your Eyes Only
    6) Skyfall

    As minhas "top 5" são 6 porque a número 1 é hors concours.

    Também acho belíssimo o "refrão instrumental" (isso existe?) de You Only Live Twice, que foi usada numa mixagem na introdução da canção "Millenium" do Robbie Williams.
    All Time High também é belíssima.

    No link abaixo, TODAS as músicas tema da série.
    http://www.youtube.com/watch?v=P0b4HO41DhQ&feature=youtube_gdata_player

    ResponderExcluir
  4. Sugestões para novas pesquisas:
    Quais as 5 melhores apresentações (quando toca a canção tema)de Bond Movies?
    Quais as 5 melhores seqüências iniciais (aquela que é o final de uma aventura e não tem nada a ver com a história do filme)de Bond Movies?

    ResponderExcluir
  5. Mais sugestões:
    Top 5 Bond Girls?
    Top 5 bad guys/girls (malvados favoritos)?

    ResponderExcluir