-

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

BonDubai 4 - A Chegada

Aqui, continua a descrição, em capítulos, de uma viagem que fiz em dezembro de 2006. O destino era Dubai, maravilhosa invenção árabe, mas a envoltória de uma paixão acabou por causar alguns percalços, em época de caos aéreo, que hoje considero divertidos...


Aqui, os capítulos anteriores
2 - O Filme
3 - A Ida
-----x-----
Capítulo 4 - A Chegada a Dubai



Chegando em Dubai, fomos recepcionados na porta do avião por duas filipinas, enviadas pela organização do evento para facilitar nossos caminhos. Pegaram  nossos passaportes e levaram-nos ao controle da alfândega, sem filas para nós. Aeroporto enorme, limpo, moderno, cheio de estruturas em aço inox. Em vários pontos, grandes cartazes dizendo: “Welcome to Tomorrow”... e era o clima que sentíamos no local.  Sabe aquela marca de relógio bem caro, de ouro, suíço, que só gente fina tem, o original? O Rolex? Pois é... No aeroporto de Dubai, eles usam Rolex como relógios de parede, pra dizer as horas das cidades do mundo, enormes, alguns de  1 metro de diâmetro... e tem aos montes!!!

 Depois, acompanharam-nos às esteiras, mais de 20!!! Ao chegar à nossa, fiquei espantado ao ver meu nome estampado numa lista de mais ou menos uns 20. Ou seja, nem precisei passar por aquela frustração crescente de ver que as malas passam e sua mala, não; de ver os passageiros, um a um, pegando sua mala e ir embora, até que se fica sozinho, você e a esteira, até que ela pára. Já  se sabia que algumas malas não haviam vindo. A BA informara: não haviam saído de Londres! 

Fomos, eu e minha filipina particular, ao serviço apropriado, registrei minha queixa e fui aguardar meu transporte. Deserto? Lá dentro, não parecia. Palmeiras aos montes. Demoramos muito no aeroporto, apesar de todos os caminhos limpos, o transporte demorou a pegar-nos. Nesse meio tempo, aconselhado por meu colega, acionei o seguro que a empresa nos oferece quando viajamos. No caminho para o hotel já deu pra ter uma mostra das luzes da cidade. Não chega a ser uma Las Vegas, mas eles chegam lá! Chegamos ao hotel à 1:30 da manhã. Check-in, quarto maravilhoso. Pijama? Nada ... ficou na mala!!!

 Tudo fechado até às 10 da manhã, tive que ir à abertura do evento com a mesma roupa que vinha usando há dois dias, não sem antes dar uma passadinha de ferro básica. Somente na hora do almoço, peguei um táxi e fui ao Shopping mais próximo. Comprei duas calças, três camisas, cuecas, meias e um blaser, afinal, iria fazer uma palestra e tinha que me apresentar condignamente. Felizmente, os preços eram bons. E de qualquer modo, haveria uma indenização. Assim eu achava ...
-----x-----
Próximo Capítulo: Os Emirados