-

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Caçadas em Risco

‘...Tia Nastácia, esquecida dos seus numerosos reumatismos, trepou que nem uma macaca de carvão pelo mastro de São Pedro acima...’
Esta frase, do livro ‘Caçadas de Pedrinho’, quase causou  a retirada dessa grande obra de Monteiro Lobato da lista de livros oferecidos às escolas públicas como peça de literatura. Tia Nastácia é a cozinheira do Sítio do Picapau Amarelo, e, na cena, ela fugia de uma onça pintada.

Sim, tenho que admitir que comparar Tia Nastácia a uma ‘macaca de carvão’ está um pouco que pordemais preconceitualmente ofensivo à causa negra. Racismo, teu nome é chamar negro de 'macaco de carvão'! Mas tem que se dar o devido desconto, de que a coisa foi escrita em 1933, nem cinco décadas após a assinatura da abolição da escravatura, neste país que foi um dos últimos a fazê-lo no mundo.

Felizmente, contextualizaram a coisa e parece que vão colocar alguma espécie de ressalva nas próximas edições. Aliás, já há outra ressalva, ambiental, pois hoje é incorreto caçar por prazer.

Seria um crime quebrar a sequência de uma obra maravilhosa que encantou a tantas crianças de tantas gerações, a este que vos escreve, inclusive, pois tive minha infância iluminada pelo sobrancelhudo escritor. Li toda sua obra infantil e inclusive já escrevi sobre isto (eis o link).

Aliás, dentre os livros da coleção, teve um que eu gostei muito, assim como todos os outros, mas que só muito tempo depois, já formado e trabalhando, soube que foi profético. Mais que isso, ‘O Poço do Visconde’ foi parte da luta que viria a propiciar a criação da empresa em que sempre trabalhei, a mesma luta que levou a tornar o país auto-suficiente, 70 anos após sua publicação. Monteiro Lobato sempre lutou contra a máxima de que ‘no Brasil não há petróleo!'. Ele jamais se conformou com isso, criou empresas de petróleo, fez levantamentos sísmicos, prospecções e até furou poços. Não concordou com a política energética de Getúlio Vargas, e foi até preso.

Quis o destino que o primeiro barril de petróleo no Brasil fosse descoberto em 1939 na localidade de Lobato, na Bahia, cujo homenageado nada tem a ver com o escritor, nem ninguém de sua família. Felizmente, ao menos ele se foi sabendo que ele estava certo. Só não poderia imaginar aonde chegaríamos, a ponto de sermos exportadores de petróleo.

Que vão mexer com coisas mais importantes e que Pedrinho continue caçando!

Homero Lobático Ventura

15 comentários:

  1. Homero,
    às vezes acho que há muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiitas pessoas que não
    fazem absolutamente nada....
    tenha a santa paciência !!!!!! Este exc esso de politicamente correto
    é muito chato, né não???!!!!

    ResponderExcluir
  2. Homero V:
    Acho que estamos vivendo a era do preconceito reverso ou do preconceito contra o preconceito, daí os exageros que podemos observar e não somente em relaçºao a Monteiro Lobato, cujos livros li um a um, varando madrugadas porque não conseguia parar de les e no dia seguinte ia para a escola morto de sono.
    Concordo inteiramente com você e acho que devemos ser um pouco tolerantes e respeitar um pouco mais a cultura de cada um sem invadir o espaço do outro. ( não sei se exagerei nisto ou deslizei numa casca de banana...).
    E viva o Pedrinho e suas caçadas!!!!! Cuidemos de problemas mais importantes e urgentes que temos.
    Abraço do preconceituoso (ou não...),

    ResponderExcluir
  3. Como leitor das obras infantis de Monteiro Lobqto, concordo inteiramente com ua cronica.
    Alberto

    ResponderExcluir
  4. Também estou com lágrimas nos olhos. Como já te disse antes, você sempre me emociona. Gostaria de ter metade do seu conhecimento no tratar, no falar e no escrever. Você é um ídolo para mim.

    ResponderExcluir
  5. Nesse meio tempo, nossa juventude fica mais ligada no tal do POKEMON!
    Muita babaquice mesmo.

    ResponderExcluir
  6. Que absurdo esse politicamente correto, não é mesmo?

    Um abraço,

    ResponderExcluir
  7. Eu lhe comentei sobtre isso mas acabamos não tendo tempo de conversar a respeito...
    Grato/
    Sds,

    ResponderExcluir
  8. Homerix,

    Faço minhas as suas palavras e as escritas por Nelson Motta hoje no Globo. Monteiro Lobato foi quem primeiro me aplicou no prazeroso vício da leitura. Abaixo o politicamente correto!

    Aquele abraço,

    ResponderExcluir
  9. Como sempre brilhante.

    ResponderExcluir
  10. Homero V:
    Agora li o seu 'Zênite'. E gostei. E me fez lembrar de muita coisa que já tinha saido da memória. E já me fez decidir reler vários senão todos os livros infantis do Monteiro Lobato e acho que vou começar com "Os 12 trabalhos de Hércules", do qual não me lembro bem, seguido de "O Poço do Visconde", do qual me lembro muito bem.
    Sds,

    ResponderExcluir
  11. Homerão,
    De tudo dito por ti...........pura lógica e verdade. Calcada em suas palavras...
    "Aquele grande escritor conseguiu se comunicar com a alma infantil de uma maneira ainda não atingida por nenhum escritor"
    (vide obra de H.V.O.Ventura)......

    'incredible' o desdobramento que deram, os atuais entendidos, falsos, diria deste vasto homem de nossa literatura.... muito mais dígno, hoje seria num assento nesta Academia de letras , do que muitas das bundas lá pensantes.
    Não imagino Lobato, preconceituoso e racista, pois pariu um personagem de profundidade em sua obra... os adjetivos adotados não tem a meu ver esta repercussão. Muito pior temos hoje nos grandes personagens de literatura, e toda a linhagem da linhagem cultura... no uso exacerbado dos palavrões... que em muitas situações não guardam conotação chingativas, veja hoje a garotada, da idade de minha neta (11 anos).... como usam em seus espantos, o caracola , originário de que????????
    E por aí vai......
    Se fizerem um trabalho de revisão de trabalhos históricos e consagrados de literatura, para ajustamento aos moldes de padrões atuais, adoções impostas nos campos das sociedades atuais... de vai do medieval ao pós o que?? , vide o caso da moça... apedreja? enforca?...

    Paulus

    ResponderExcluir
  12. Caro Homero, realmente estão exagerando muito com os direitos das chamadas minorias e continuando assim, elas terão mais direitos que todos os outros.
    Acho que os direitos e deveres devem ser iguais e não é criando-se cotas e leis exageradas que acabarão com os preconceitos. Com essas atitudes "eleitoreiras" estão criando problemas aonde não existia, ao invés de dar a solução, que é uma educação pública de qualidade para todos.

    ResponderExcluir
  13. Concordando com você - especialmente no tocante à circunstância do momento histórico - veja se o conto abaixo, no contexto histórico de Monteiro Lobato, pode ser considerado racismo...
    http://www.bancodeescola.com/negrinha.htm

    ResponderExcluir
  14. Concordo em gênero, número e grau com você, principalmente a última frase:


    Que vão mexer com coisas mais importantes e que Pedrinho continue caçando!

    E viva Monteiro Lobato!!!

    ResponderExcluir
  15. Realmente o politicamente correto está exagerado! Quotas raciais são uma forma de racismo já que estão embasadas na falsa ideia de incapacidade de uma minoria (que não é exatamente uma minoria). Seria mais justo se fossem quotas sociais, mas aí acho que não dariam tantos votos!
    Como exemplo de racismo em histórias infantis, As Aventuras de Tintim tiveram suas vendas restritas em alguns países devido ao seu conteúdo politicamente incorreto para os dias de hoje!

    ResponderExcluir