-

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Beware of the (HOT) dog

Eu juro que não ia incomodar mais você nesta semana, mas abro esta brecha para dar um alerta.

Fazia minha barba hoje, sintonizado, como sempre, na Band News FM, quando o Boechat disse uma palavra composta me fez tirar a lâmina do rosto e prestar mais atenção.


Boechat dizia que os americanos divulgaram um dado inusitado: em 17% dos casos de crianças americanas que morreram por asfixia, o fator responsável pela calamidade foi o engasgamento provocado por ingestão de CACHORRO-QUENTE!!!!

E seguiu: outros culpados importantes foram UVA, CENOURA, PIPOCA e BALAS!! Ou seja, a coisa não fica apenas nas guloseimas, mas também nos alimentos política e nutricialmente corretos.

A instrução é a seguinte: piquem a UVA em 4 pedaços, por exemplo, ou seja, é recomendável que se administre o alimento em pedaços menores.

Eu não li a reportagem, só fiquei com a voz do Boechat ressoando, mas acredito que o problema é o reduzido diâmetro das vias engulidoras dos pequeninos, que podem ficar mais facilmente entupidas. Daí porque seguirei ingerindo meu tão querido cachorro-quente de festinha de criança .... se é que ele continuará sendo oferecido depois deste alerta.

Bem, sei que americano é apavorado demais, precavido demais, mas eles também são estudiosos demais, e podemos ao menos ficar alertados. Para maiores detalhes, procure mais informação na rede. Não o fiz!

Eu ia passar este alerta só para os que eu sei que têm aqueles seres adoráveis em casa, mas resolvi expandir para o meu pequeno universo, de forma que mais gente o receba, pelo fenômeno das correntes!!!!

Era isso!!!

Um abraço

Homero Também É Utilidade Pública Ventura

Com ou Sem Oscar ... 4 Candidatos

Gostei muito mais de Idas e Vindas do Amor aquela salada de clichês segundo a crítica, do que, por exemplo, de Amor Sem Escalas , que está concorrendo a Oscar de Melhor Filme. Na minha opinião, uma indicação exagerada. É até divertido, faz pensar um pouco, sim, há cenas legais, mas pra Oscar, não concordo. O pano de fundo é pesado. Nos EUA tem de tudo, realmente, até gente especializada em demitir pessoas, contratadas por tarefa: “Vai lá e demite esses 30!” O sujeito viaja por todo o país, daí o nome original Up In The Air , que é onde George Clooney vive, fazendo esse servicinho sujo, ou dando palestras, com uma mochila, cujo significado minha insensibilidade não permitiu alcançar. E trata-se de uma propaganda descarada da American Airlines, única companhia que é usada pelos personagens. O veredicto é o seguinte: vale ver, por curiosidade!

E o Bonequinho aplaude, de pé!! Fazer o quê! Aliás, isto é sempre muito relativo: notei que o Bonequinho que atende por A.M. dorme, nos dois melhores filmes de 2009, Avatar  e Bastardos Inglórios . Ao menos nos dois, havia outros bonequinhos que aplaudiram de pé e o Globo também mostrou. A partir de agora, tenho que ficar atento aos fimes em que esse tal de A.M. dormir de novo. É correr pra bilheteria!

Com Amor sem Escalas , que assisti bem antes do Carnaval, eu chegara ao índice Oscar de 40%: testemunhara, até então, 4 dos 10 indicados a Melhor Filme. Sim, são 10, ao invés dos cinco, que era a norma desde 1940, acho. Bem, no último domingo, abdiquei até da final da Taça Guanabara para melhorar meu índice. E de que forma magistral o fiz! Assisti a Preciosa , e que filme precioso! Este sim, pesado, violento, cruel. E que personagens: qual o destino se espera de uma adolescente negra, gorda, e pobre, explorada pela mãe, e .... bem, melhor parar por aqui, para não estragar. Engula em seco e vá ver. E não leve ovos ou tomates, senão vai dar vontade de jogar na mãe da Preciosa: contenha sua vontade de esganá-la!!! As duas atrizes são também candidatas, com grande mérito. Ah, e veja se não encontra uma similaridade entre o que acontece no filme e o nosso programa Bolsa-Família!!!

E quando já estava satisfeito com meu índice para a semana, eis que chega em casa o DVD de Distrito 9 , que eu pedira para o Carnaval, em plena segunda à noite. Bem, foi bom pra me poupar de ver aquele chato do Galvão, e, claro, para ver um graaaande filme! Ficara muito chateado por não assisti-lo na telona, no ano passado, pois fora recomendado pelas minhas maiores referências no assunto. Super ficção científica, filmado em tom de documentário, mostrando uma situação surreal: uma nave espacial enoooorme ‘pousa’, flutuando sobre Johannesburgo, escangalhada, como dizem os cariocas, ou seja, parou de funcionar (em tempo, em São Paulo, o termo significa ‘absolutamente esmigalhado, quebrado a golpes de martelo ou similar, sem qualquer chance de conserto’). A trama passa-se 20 anos depois da chegada, contando como tudo aconteceu: o ‘resgate’ dos milhares de alienígenas (horrorosos, uns insetos humanóides asquerosos), um pouco da convivência (não tão pacífica) com os humanos, e o confinamento em uma certa área da cidade, o tal Distrito 9, favelão cuja população já atingira a casa do milhão. O resto você vê, aliás não deixe de ver, quer dizer, talvez não seja muito apropriado para mulheres impressionáveis, sei lá, é meio nojento, bem, pode ser, quem sabe!!! Olha a coerência ... logo eu, que liberei as mulheres para ver Bastardos Inglórios !! E não deixe de notar o excepcional ator principal, absolutamente desconhecido, nome inguardável, porém magistral.

Então, 60% atingido!!! Melhor que em muitos anos em que não via nem dois dos cinco filmes indicados, antes da grande noite!!!

Meu ranking?

    1. Avatar
    2. Bastardos Inglórios
    3. Distrito 9
    4. Preciosa
    5. Up
    6. Amor sem Escalas

Aliás, eu preferia que Avatar  ganhasse Melhor Filme, e Quentim Tarantino, o de Melhor Diretor, seria muito justo, pois Bastardos  é maravilhoso!! Mas, poucas vezes esses dois prêmios ficaram desvinculados no passado.

Ainda vou melhorar meu índice Oscar: vem aí o filme dos irmãos Cohen, Um Homem Sério , que o Bonequinho Viu ... e aplaudiu!!!

Ihhh... olha o perigo!!!

Homero Desconfiado Ventura

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

James Cameron no Futebol

Ao Grupo do Futebol,

No filme Avatar, espetacular, 2 bilhões de dólares de faturamento, James Cameron criou um universo novo, num planeta denominado Pandora, onde vive uma sociedade amante da natureza.

Ele deu-lhe o nome de Na'vi, criando até uma língua para eles, que é falada no filme.

A coisa pegou: Já existem comunidades na Internet de 'falantes' do novo idioma, enfim.

Mas pegou tanto que criou-se um time de futebol lá no Mato Grosso do Sul, que já está até na Copa do Brasil.

Hoje, o Santos de Neymar, Ganso, Geovani e Robinho, enfrenta o time do Naviraiense, deu no Pantanal News.

Espero que os meninos (e os tios) tenham força suficiente para enfrentar aqueles seres azuis de 3 metros de altura, extremamente ágeis...

Boa sorte a eles!!

E ao Flamengo (Globo) e ao Corinthians (SporTV), que estreiam na Libertadores.

Ao Fluminense (Bandeirantes), também desejo sorte na Copa do Brasil, só que esta já tem dono .... e ele nada!!! (até quando poderei estufar o peito???)

Hoje, a noite está cheia!!!

Abraço

Homero Ainda Animado Ventura

Esse Bonequinho.... Idas e Vindas do Amor

______________________________________________

Na última sexta-feira, aconteceu de novo: fui ao cinema ver uma coisa e acabei assistindo outra. Da primeira vez, queria ver Sherlock Holmes  e me dei mal, pois acabei vendo Encontro de Casais , absolutamente sem graça. Desta vez, o final foi bem feliz. Somente ao chegar em casa, fui ver o que o Bonequinho d’O Globo dizia sobre o filme que acabara de ver, ‘choquei’ e mandei a eles o seguinte comentário:

“Sinceramente, Sr Bonequinho ...

      . .. vou continuar lendo o que o senhor escreve, mas considerar seriamente se vou aceitar ou não a recomendação. Fui ao Botafogo Praia Shopping para ver Lobisomen,  mas problemas técnicos impediram a exibição. Fiquei em dúvida e acabei assistindo a   Idas e Vindas do Amor , por puro acaso, sem nunca ter visto o trailer ou ouvido nada a respeito. Que bom que não li sua opinião!
      O senhor está dormindo!
      O que o senhor espera de um elenco estelar, com uma mão cheia de oscarizados ou quase, reunidos em menos de duas horas de projeção falando sobre um Dia dos Namorados, com Los Angeles de pano de fundo? Um tratado sobre problemas existenciais do americano médio, com altas reflexões sobre o futuro incerto da humanidade, longos e profundos diálogos de discussão de relacionamento, ou coisa que o valha? Ora, faça-me o favor! Se o senhor tinha expectativas desse quilate, realmente não deveria ter perdido seu tempo.
      O que o senhor encontrou foi um filme leve, divertido, cheio de situações verossímeis e outras nem tanto, romances possíveis ou não, de todas as idades (mesmo), diálogos rápidos, bem-humorados, tudo amarradinho, chegando ao final com soluções surpreendentes (umas poucas óbvias, admito, mas perdoáveis), algumas cenas tocantes, muitas hilariantes.
      Isso sem contar a cena finalíssima, após o fim oficial, após os créditos, quando mostraram algumas indefectíveis situações de 'falha nossa', mas que foi 'deletada' (não sei porque): um breve diálogo que me provocou gargalhadas, mas a mais ninguém na sala lotada, pois fez referência a uma situação um grande filme do passado, que o senhor até mencionou em sua crítica. O senhor percebeu? Se sim, parabéns, se não, manda um email que eu conto.
      Uma comédia-romântica-que-homem-gosta.
      Clichês? Sim, e daí?
      Certamente recomendarei à minha pequena comunidade, sem o menor susto, ou risco de diminuir o nível de respeito que têm com minhas opiniões cinéfilas.
      Homerinho aplaude sentado, sem dúvida!
      E tenho dito!
      Um abraço Homero Feliz da Vida Ventura”

O Bonequinho que estava dormindo é um tal de Ely Azeredo, da super-velha guarda, que está à beira das 80 primaveras, e que mereceu até mesmo uma matéria no Segundo Caderno daquele mesmo sábado em que mandei o comentário, daí o conheci. Cê imagina, quando eu nasci, o sujeito já era crítico de cinema há cinco anos! Portanto, deve entender da coisa. Fiquei até meio que arrependido de ter tascado um `faça-me o favor’, afinal, ele é quase um ancião, mas já estava feito. Aliás, talvez por isto o comentário não tenha sido efetivamente ‘postado’.



Mas agora já foi...

Homero Com Poucas e Boas Ventura


sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Doar por Cartão ....

.... De Crédito??!!!


Boechat,

Acho que eles querem é ganhar milhas....

Como se fosse resolver algo. È ridículo. Os grandes financiadores trabalham é com pilhas.... de notas.

Engraçado que ninguém pensa em instaurar o mesmo esquema para doações a instituições de caridade meritórias.

Homero No Chão Ventura
Rio de Janeiro

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Here Today - Beatles Trivia

Dear Sir or Madam ,   (would you read my book, it took me years to write, will you take a look)
Mais ou menos à 11 da manhã de sábado de carnaval, estava eu Driving My Car  (beep-beep, beep-beep, yeah!) , no Rebouças, quando o CD-player tocou uma canção que me fez chorar.

A canção chamava-se Here Today , linda, linda, tocante, e a voz, embargada, era de seu compositor Paul McCartney.

No meio da letra, ele declara I love you’ que, no caso, significa Eu, Paul, amo você, John’ .

Nessa canção, Paul abre seu coração e admite como faz falta o velho amigo, e se lembra de como era antes, na época em que eles mudaram o mundo. E claro, imediatamente, lembrei-me de dezembro de 1980, quando um doido matou John Lennon, enterrando, junto com ele, o sonho de ver os Beatles tocarem juntos novamente, daí as lágrimas. A canção é de 1982, do disco ‘Tug of War’, e eu a ouvi ao vivo, pela primeira vez, em 2002, quando presenciei o melhor show de minha vida, em Houston (se quiser, tenho descrição dele).

O CD que eu ouvia chama-se 'Live in Los Angeles', e já é uma raridade, pela forma como chegou ao público.

     Um amigo enviou-me uma mensagem reveladora.
     Na Internet, alguém avisava:
          Um novo álbum ao vivo do ex-Beatle Paul McCartney será dado de graça a qualquer pessoa que comprar a edição do próximo domingo (17) do jornal britânico “Daily Mail”. A notícia foi divulgada no site oficial de Paul e é inusitada se considerarmos o histórico do músico. Ele não costuma oferecer conteúdo gratuito aos fãs. O álbum em questão traz as músicas de um show de junho de 2007 que aconteceu na loja de discos Amœba, em Hollywood .

Imediatamente acionei uns amigos, e solicitei que adquirissem os exemplares que pudessem. E eles o fizeram.

Certamente aquele domingo de janeiro deve ter tido uma das maiores tiragens do jornal, de todos os tempos.

Os discos chegaram às minhas mãos na sexta de carnaval. São 12 canções, sendo sete da época  beatle, dentre elas, a espetacular Drive My Car , daí minha brincadeira lá da primeira frase. Ela abre o disco, que passa por Hey Jude, Get Back, e finaliza com  I Saw Her Standing There.

Paul normalmente cobra milhões para dar um show, sempre altamente produzido, com uma banda perfeita, segurança máxima, faz excursões. Mas ele também gosta desse outro lado, o dos shows secretos. Com pouca antecedência, às vezes na tarde do mesmo dia, ele telefona para um bar, uma loja, uma livraria, um local qualquer de seu agrado, e pergunta: aceita que eu dê um show aí hoje? Aí, é aquela polvorosa, pois o dono do estabelecimento é claro que aceita, e haja arrumação de mesa, cadeiras, aviso aos amigos, verdadeiro 'barata voa' virtuoso, mobilização instantânea. Ele gosta dessa proximidade com a galera. Às vezes, vai só com seu violão.

Entretanto, neste show secreto (que o Paulo Barros não retratou), a antecedência não foi tão short notice  assim. Ele avisou uns dias antes, de maneira que uma fila quilométrica se formou na entrada Amœba ‘ mammooth disc store’  (como eles autodefinem). Deu tempo de vir gente do mundo todo, inclusive do Japão. E a coisa não foi só voz e violão, mas sim teve aquela fantástica banda que o acompanha, e que consegue reproduzir à perfeição os arranjos das canções, o que é um must  para os fãs.

Anexo um extrato do Daily Mail , que fala sobre o disco e breve história de suas canções. Aliás, o jornal londrino configura-se, por si só, num 'elemento  beatle', desde que apareceu na letra de Paperback Writer , em 1966 ( ...his son is working for the Daily Mail and he needs a job and he wants to be a paperback writer...  e na mesma letra tem a saudação desta mensagem).

A capa do disco, por desejo de Paul, é uma imagem distorcida, 'pixelada', com baixa resolução (poucos pixels), para dar a impressão de disco pirata. A contracapa transcreve um resumo do que foi aquele show extraordinário, inesperado, inesquecível, que até rendeu a Paul duas indicações ao Grammy 2009. Ele perdeu as duas para John Mayer :-(.

Certamente, os quase mil felizardos que conseguiram entrar na Amœba  (fala-se ‘amíba’) ficaram realizados. Foram testemunhas de uma epopéia. Misturado aos fãs estava ninguém menos que Ringo Starr. São poucas as ocasiões em que se tem a presença simultânea dos dois sobreviventes da maior banda de todos os tempos

Agora, atenção, here today  , pra não dizer que eu guardo tudo isso apenas pra mim, tenho uma surpresa:
        1. Se você teve a paciência de chegar até aqui, obrigado!
        2. Se você estiver interessado, tenho um exemplar da raridade pra você.   FOR FREE!
        3. Mas você tem que ser um dos 5 primeiros a manifestar interesse numa resposta a este email!
      Isto tudo já está pronto desde domingo de Carnaval. Esperei a verdadeira volta ao trabalho para ampliar o espectro do concurso. Grande Abraço Homero Compartilhando Raridades Ventura

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Tramas repetidas

Heloisa, seguindo a vida, volto ao meu tom crítico. Veja bem, não precisa nandar pra ninguém. Apenas percebo o que está bom e o que está mau, e compartilho com você.

Antes do bate, o assopra.


Que cena maravilhosa a de ontem em Viver a Vida! Aline e Mateus se debulhando em lágrimas foi de arrepiar. A novela engrenou, tem a menininha que faz Manuela arrebentando. Tem aquele ser de inacreditável beleza (tenho que admitir) que fez uma cena ótima de beijo com a chatinha da Helena (que esteve muito bem, admito). Tem o casal tchicathicabunti, sempre divertidíssimo, os dois ótimos, ele, uma revelação, ela, perfeita no personagem.

Mas pára por aí o 'assopra' e começa o 'bate': ainda incomodam as situações fúteis, mas fazer o quê? E, tinha que ter o filho-que-não-conhece-o-pai. Neste caso, ao menos não tem o complemento e-namora-irmã-sem-saber-que-são-irmãos. Mas teve! Na Jordânia, a Luciana namorou o Bruno, e sabe-se lá o que fizeram nas areias do deserto, ficou meio sub-entendido, disfarçado.

Mas nas outras duas novelas, a trama está lá com todos os hífens. Não conheço os personagens pois não as assisto, mas sei que está. Será que a criatividade dos autores anda abalada? Será que não existem outros dramas sociais com apego, que chamem a atenção? Uma coisa é certa, os diretores de núcleo da Globo não está conversando. Não existe uma coordenação, como direi, supra-nuclear que confira as linhas gerais dos roteiros dos três horários?
E, finalizando o papo noveleiro, sinceramente, o Fagundes merecia coisa melhor que a novelinha das sete. Não é possível que a resposta do público esteja a contento. O pouco que vejo, não aguento. Excessivamente caricata! E ainda tem outro clichê: pai-contrata-guarda-costas-para-proteger-a-filha-que-acaba-se-apaixonando-por-ele. Exatamente isto aconteceu n'A Favorita. Parece até a solução para filhas encalhadas: se tudo der errado, contrate um guarda-costas.

A das seis, tudo bem, está prendendo a galera aqui de casa (Dona Mira adora!), apesar de vários clichês, e da vilã, com aquele sorrisinho cínico e lindo, que engana apenas a quem precisa ser enganado. Mas passa!

Enquanto isso, confesso, estou BBBezando, sempre admirando a magnífica produção, edição, as escolhas, fui garfado novamente, e sempre que o assunto sai entre meus pares, percebo que muitos vêem, mas dão a famosa desculpa da esposa, da galera lá de casa assiste e então acaba assistindo, aquilo de sempre.

E o carnaval, o que farão?

E aí, Heloisa, você ficou chocada com meu desejo espúrio para o pulha do Arruda?

E outra pergunta: sei que não tem nada a ver mas você sabe se a Editora Globo edita livros de ficção?

Renata acabou o livro dela, que está ótimo, e vai começar a batalha.

Abraço

Homero

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Celebremos!!!

Arruda na cadeia!

Quédizê, não é como ele merecia, afinal está numa sala técnico-científica (!) da PF, com ar condicionado, acesso a celulares, recebendo visita de assessores, enfim, deve estar até sorrindo.

O ideal seria que estivesse em uma das 10 celas da Polinter aqui pertinho, em São Gonçalo, onde foi medida a agradável temperatura de 56,7 graus, onde ele certamente receberia a visita (no sentido bíblico!) de alguns de seus 70 companheiros de cela, em rodízio (carne fresca no pedaço!), onde duvido que ficaria sorrindo, com aquela ardência no pavilhão reto-furicular.

Esperamos que o Ministro Aurélio tenha a santa decência de não conceder habeas corpus ao criminoso, e ele continue usando a fantasia de presidiário como o cartunista Chico d'O Globo retratou muito bem, como sempre.

De qualquer modo, já tenho um motivo a mais para celebrar o Carnaval, além, claro, de aproveitar para ir ao cinema. Se me virem em blocos, na rua, pode chamar a ambulância, pois fiquei demente!

Alalalaô-ôôô-ôôô!!!

Homero Celebrando Ventura

Celebremos MESMO!!!

Gente (se é que eu consegui pegar alguém ainda por aqui),

Inacreditável!


O Ministro Aurélio NÃO CONCEDEU HABEAS CORPUS ao criminoso.

O corrupto Arruda vai passar o carnaval na cadeia!!!

Há solução para o país!!!

Está longe, mas há!!!

Ah, desculpe-me se considerou meu desejo cruel demais!!!!

Homero Updating Ventura

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

O Finde

Se a alguém interessar ....

1. No sábado, assisti ao filme Star Trek, no DVD que acabou de chegar em
casa, quase um ano após tê-lo visto no cinema. Depois escrevo sobre mais
esta grande emoção, renovada e amplificada. Só o menciono agora para
registrar um comentário do crítico Rubens Ewald Filho, que eu até admirava,
até ouvir o que ele falou sobre a atuação de Zachary Quinto no papel de
Spock: "Faltou emoção!" No words?

2. Ainda no sábado, tirei um pouco do atraso, ao assistir parte da Maratona
de "The Good Wife", série da Universal, dirigida e produzida pelos irmãos
Scott (Ridley e Tony), que rompe meu compromisso de somente assistir a "24
Horas na televisão. Resumo: mulher, com dois filhos
adolescentes, decepcionada com escorregadas do marido no mundo dos favores
sexuais que vem a público para derrubá-lo de importante cargo idem, retoma
sua carreira de advogada em grande escritório, resolvendo casos cíveis e
criminais, enquanto o maridão está na cadeia. Julianna Margulies, a atriz
que interpreta a tal boa esposa, ganhou o Globo de Ouro. Agora,
inexplicavelmente, a série vai entrar em "recesso", deixando os fãs na mão.
No words!

3. Entre sábado e domingo, criei mais um email, para poder votar no Los
Bife,
venturahomeroventra no gmail, ao seu dispor! Aliás, se ainda não votou, este
é o link
https://caferj.petrobras.com.br/franzferdinand/,DanaInfo=.awxyChf48mImzyMp6+  e se ainda não se decidiu pelo voto,
e não teve oportunidade de ir aos links que sugeri, eis aqui um aperritivo,
numa canção do Felipe, anexada, chamada "Olhando Pra Cima". Preste atenção
na letra e na gravação instrumental. Simplesinha mas bonitinha.

 4. No domingo, ao ler a reportagem d'O Globo sobre a continuação de Wall
Street, filme que rendeu Oscar a Michael Douglas em 1987, deparei-me com um,
penso, ato falho de Rodrigo Fonseca, o autor da reportagem. Ele citou o
melhor, na minha opinião, filme de do diretor de Wall Street, Oliver Stone,
de 1991, como: "Chávez - A Pergunta Que Não Quer Calar". No Words? (Aceito
sugestões!)

5. Ao ler o Globo na varanda de casa, no Suvaco do Cristo, ouvia ao fundo as
marchinhas da concentração do bloco do mesmo nome, e pensei: "Acho que sou
de outro mundo!" Não consigo me imaginar em sã consciência, e de posse plena
de minhas faculdades mentais, me embrenhando junto a outras milhares de
pessoas suadas, debaixo de um calor senegalês, a testemunhar demonstrações
de incivilidade com foliões urinando nas ruas a poucos metros de um banheiro
químico, disponibilizado pelo prefeito. E depois reclamam quando ele acusa
seus conterrâneos de porcos. No words?

6. Quase ao final do domingo assisti a Invictus, onde Morgan Freeman,
candidato ao Oscar, encarna à perfeição, Nelsno Mandella, dirigido por Clint
Eastwood. One word? Emocionante!

7. E, pra terminar o domingo com chave de ouro, a vitória do Peixe, da qual
apenas vi os (muito) melhores momentos, para meu gáudio pleno, com direito a
paradinha perfeita de Neymar, dribles desconcerrtantes de Paulo Henrique -
Ganso, e até gol de letra de Robinho. No words, bambis!!!


Bem, quer dizer, apesar de gostar do número 7, registro mais um momento: a
admiração pela frase de um flamenguista ecologicamente: "Quem tem Pet, não
pode jogar fora, tem mais é que reciclar!". One word? Brilhante.


Homero Twitering Ventura

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Nem Precisava!

O Santos chegou, ontem, à liderança do Paulistão, empatado com o Botafogo (de Ribeirão Preto), após bater o último invicto Santo André. É, Campeonato Paulista não é moleza não. Todos os grandes já perderam, e não ficam distribuindo goleadas por aí (o Santos já deu duas), como no Carioca. De qualquer maneira, mais certo aqui, do que lá, devem acabar sobrando sempre os quatro grandes. Lá, a coisa é em um turno, com pontos corridos e quadrangular final.

Quero crer que este seja o ano do Peixe. E não é por causa disso que estão pensando!

Depois de dois anos amargando as últimas posições do Brasileiro, próximo à zona do rebaixamento, começamos muito bem. Por várias razões, a principal, o ataque. Tínhamos, desde o fim de 2008, dois projetos de craque, duas promessas de alegria, que estão se confirmando agora.
    1. Paulo Henrique, o Ganso, excelente meia-esquerda, habilidoso, objetivo, já teve seu batismo no Maracanã lotado, perdendo dois pênalties contra o Flamengo. Foi a cota. Agora, está centrado no jogo, fazendo gols e dando assistência a todos, especialmente Neymar;
    2. Neymar, que hoje completa 18 anos, amadureceu de maneira incrível, está partindo pra cima dos pobres zagueiros, que deixa no chão, é artilheiro do campeonato, com seis gols. NÃO DEIXEM DE VER O GOL QUE ELE FEZ ONTEM!

O ataque está bem ajudado por uma defesa que agora parece mais firme: um goleiro jovem, o Felipe (gosto desse nome!), que acabará dando lugar ao Fábio Costa, quando ele se recuperar, mas já dá conta do recado. Na zaga, ontem vi o velho Edu Dracena, vigoroso veterano, que trazia a tarja de capitão, mas ainda é reserva, que, se aposentar a carteirinha de carniceiro, dará uma segurança grande por ali, na zona do agrião. Tem o Léo, que aos poucos volta a ser o grande Léo de 2002; no meio campo, voluntariosos Wesley, Rodrigo Mancha (descobri ontem a razão do apelido) e Arouca, enquanto não volta o capitão Roberto Brum, que vinha jogando muito bem, além de aguardarmos a volta à forma de Geovani, em sua 3ª passagem pelo Santos. Na primeira, nos idos de 1995, estava no time vice-campeão brasileiro (afanado pela arbitragem contra o Botafogo); na segunda, em 2005, esteve muito bem, deu show contra o futuro campeão Corinthians, mas se perdeu, junto com o time, quando houve o escândalo dos 11 jogos repetidos; e agora volta de novo, aos 38 aninhos, completados ontem, olhaí o choque de gerações. Depois do que o Petkovic fez em 2009, não tenho como não me animar!


Robinho, sinceramente, nem precisava. Vai ser bom pra ele mostrar que pode ir mesmo para a seleção, desde que abandone a fase triatlo (corre, pedala, ... e nada!) que vem experimentando há tempos. Claro que espero que seja bom para o Santos, e vai ser mesmo, pois vai chegar a hora em que um zagueirão desses, depois de um humilhante drible de Neymar, acabe mandando o jovem para o estaleiro.

Acho que vou poder cantar o hino do meu time, com propriedade: Agora, quem dá bola, é o Santos!

Homero Esnobando Ventura

Segunda Época de Impressões - Errata interessante

Na minha Segunda Época de Impressões, de 10 dias atrás, havia uma falha.
Quando comentei sobre a opinião de Luis Fernando Veríssimo sobre AVATAR, coloquei o nome de seu finado e famoso pai Érico, como autor do comentário.
Ilações e constatações sobre o que pode ter ocorrido:
      1. Imaginei o artigo como uma mensagem psicografada, do grande escritor a seu filho, apesar de este último nunca ter declarado habilidades mediúnicas;
      2. Por tratar-se o filme de um grande épico do presente, aliás, do futuro, acabei considerando o ato falho muito apropriado por sua associação ao grande autor do épico do passado ‘O Tempo E O Vento’, com seu corajoso Capitão Rodrigo;

Sobre as reações dos meus 17 leitores ao erro / ato falho:
      1. Imaginei que ao lerem o nome Veríssimo, associariam-no imediatamente ao grande escritor e colunista do presente, Luis Fernando, nem percebendo que lá estava o nome do pai dele, grande escritor do passado;
      2. Bem, sabia que a maioria iria dar mesmo aquela famosa diagonal, das pessoas sem muito tempo, que normalmente deixa para trás coisas interessantes ou importantes;
      3. Muitos nem iriam ler a mensagem mesmo.

O que foi muito interessante é que TODOS os POUCOS que perceberam o ato falho, não costumam responder nenhuma de minhas mensagens.
Ao menos agora sei que as lêem, ao menos de vez em quando. De qualquer modo, acho que isto é um fenômeno para ser analisado pelo Analista de Bagé.

Bem, atualizando um pouco mais os números, AVATAR já ultrapassou Titanic, em bilheteria bruta mundial, US$ 2,0 Bilhões!

Como eu já antecipara em minha mensagem “Segundas Impressões”, agora já se fala na inflação, e no advento do 3D, como fatores contribuintes:
      • O preço médio do ingresso médio no cinema (fui pesquisar) era de US$ 4,35 em 1995, enquanto hoje, é de US$ 7,50;
      • O preço das salas com 3D é superior em cerca de 25% ao normal

Ou seja, em número de pessoas, ainda falta muito chão para AVATAR, mas acho que chega lá, dada a velocidade, pois tudo isso foi conseguido em menos de dois meses de exibição.

Se você está entre os 80%  que não teceram qualquer comentário sobre minha recomendação, e/ou ainda não se animou a ser testemunha do fenômeno, há tempo: a coisa deve continuar na telona por meses. Afinal, o filme foi indicado a 9 (nove) Oscars, incluindo, é claro, Melhor Filme e Melhor Diretor.

Como era de se esperar.




Homero Ainda Avatarando Ventura