-

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Here Today - Beatles Trivia

Dear Sir or Madam ,   (would you read my book, it took me years to write, will you take a look)
Mais ou menos à 11 da manhã de sábado de carnaval, estava eu Driving My Car  (beep-beep, beep-beep, yeah!) , no Rebouças, quando o CD-player tocou uma canção que me fez chorar.

A canção chamava-se Here Today , linda, linda, tocante, e a voz, embargada, era de seu compositor Paul McCartney.

No meio da letra, ele declara I love you’ que, no caso, significa Eu, Paul, amo você, John’ .

Nessa canção, Paul abre seu coração e admite como faz falta o velho amigo, e se lembra de como era antes, na época em que eles mudaram o mundo. E claro, imediatamente, lembrei-me de dezembro de 1980, quando um doido matou John Lennon, enterrando, junto com ele, o sonho de ver os Beatles tocarem juntos novamente, daí as lágrimas. A canção é de 1982, do disco ‘Tug of War’, e eu a ouvi ao vivo, pela primeira vez, em 2002, quando presenciei o melhor show de minha vida, em Houston (se quiser, tenho descrição dele).

O CD que eu ouvia chama-se 'Live in Los Angeles', e já é uma raridade, pela forma como chegou ao público.

     Um amigo enviou-me uma mensagem reveladora.
     Na Internet, alguém avisava:
          Um novo álbum ao vivo do ex-Beatle Paul McCartney será dado de graça a qualquer pessoa que comprar a edição do próximo domingo (17) do jornal britânico “Daily Mail”. A notícia foi divulgada no site oficial de Paul e é inusitada se considerarmos o histórico do músico. Ele não costuma oferecer conteúdo gratuito aos fãs. O álbum em questão traz as músicas de um show de junho de 2007 que aconteceu na loja de discos Amœba, em Hollywood .

Imediatamente acionei uns amigos, e solicitei que adquirissem os exemplares que pudessem. E eles o fizeram.

Certamente aquele domingo de janeiro deve ter tido uma das maiores tiragens do jornal, de todos os tempos.

Os discos chegaram às minhas mãos na sexta de carnaval. São 12 canções, sendo sete da época  beatle, dentre elas, a espetacular Drive My Car , daí minha brincadeira lá da primeira frase. Ela abre o disco, que passa por Hey Jude, Get Back, e finaliza com  I Saw Her Standing There.

Paul normalmente cobra milhões para dar um show, sempre altamente produzido, com uma banda perfeita, segurança máxima, faz excursões. Mas ele também gosta desse outro lado, o dos shows secretos. Com pouca antecedência, às vezes na tarde do mesmo dia, ele telefona para um bar, uma loja, uma livraria, um local qualquer de seu agrado, e pergunta: aceita que eu dê um show aí hoje? Aí, é aquela polvorosa, pois o dono do estabelecimento é claro que aceita, e haja arrumação de mesa, cadeiras, aviso aos amigos, verdadeiro 'barata voa' virtuoso, mobilização instantânea. Ele gosta dessa proximidade com a galera. Às vezes, vai só com seu violão.

Entretanto, neste show secreto (que o Paulo Barros não retratou), a antecedência não foi tão short notice  assim. Ele avisou uns dias antes, de maneira que uma fila quilométrica se formou na entrada Amœba ‘ mammooth disc store’  (como eles autodefinem). Deu tempo de vir gente do mundo todo, inclusive do Japão. E a coisa não foi só voz e violão, mas sim teve aquela fantástica banda que o acompanha, e que consegue reproduzir à perfeição os arranjos das canções, o que é um must  para os fãs.

Anexo um extrato do Daily Mail , que fala sobre o disco e breve história de suas canções. Aliás, o jornal londrino configura-se, por si só, num 'elemento  beatle', desde que apareceu na letra de Paperback Writer , em 1966 ( ...his son is working for the Daily Mail and he needs a job and he wants to be a paperback writer...  e na mesma letra tem a saudação desta mensagem).

A capa do disco, por desejo de Paul, é uma imagem distorcida, 'pixelada', com baixa resolução (poucos pixels), para dar a impressão de disco pirata. A contracapa transcreve um resumo do que foi aquele show extraordinário, inesperado, inesquecível, que até rendeu a Paul duas indicações ao Grammy 2009. Ele perdeu as duas para John Mayer :-(.

Certamente, os quase mil felizardos que conseguiram entrar na Amœba  (fala-se ‘amíba’) ficaram realizados. Foram testemunhas de uma epopéia. Misturado aos fãs estava ninguém menos que Ringo Starr. São poucas as ocasiões em que se tem a presença simultânea dos dois sobreviventes da maior banda de todos os tempos

Agora, atenção, here today  , pra não dizer que eu guardo tudo isso apenas pra mim, tenho uma surpresa:
        1. Se você teve a paciência de chegar até aqui, obrigado!
        2. Se você estiver interessado, tenho um exemplar da raridade pra você.   FOR FREE!
        3. Mas você tem que ser um dos 5 primeiros a manifestar interesse numa resposta a este email!
      Isto tudo já está pronto desde domingo de Carnaval. Esperei a verdadeira volta ao trabalho para ampliar o espectro do concurso. Grande Abraço Homero Compartilhando Raridades Ventura