-

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Roda Viva Ainda Viva

Equação da emoção musical (há inúmeras)
    Um microfone,
    + Cinco vozes, + Uma obra-prima de música e letra, + Um ídolo novinho, + Uma audiência emocionada, + Velhos e crianças cantando a canção. = Um senhor de 51 anos arrepiado e com os olhos marejados

Este que vos escreve!

Veja e ouça...

Homero Vivendo Roda Viva Ventura

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

E agora, Juca?

Como faço para ouvir seus devaneios, se à hora em que passam, estou imerso em reuniões e discussões intermináveis?



Felizmente, hoje, em que tive que atrasar minha saída ao trabalho, pude ouvir a introdução do Boechat, me  preparando para alegrar o coração, o anúncio de que seria a sua coluna, o anúncio de qual seria o texto , quando comecei a me arrepiar, e, finalmente, o poema. ao longo do qual entrei em êxtase, e, ao seu final, fiquei anestesiado! Cacete! Arrebatador!

Não tenho lembrança se já havia lido a obra-prima na íntegra, quando era pequeno, mas lembro-me de uma versão musicada, sei lá, de 30 anos atrás.

Sei que agora, ela me pegou de frente, na sua interpretação magnífica.

Obrigado!!!

Homero Extasiado Ventura
51 anos
Rio de Janeiro

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Resposta de um Carioca

Cariocas amigos

Obrigado pelos protestos, pelas análises e até pelo 'de acordo'.

O grande defeito dessa numeralha toda, além de alguns erros, é realmente a ostentação, o consumismo explícito, coisas que eu absolutamente desprezo, não dou a mínima. Vinhos, shitakes, grifes, quero que se explodam. Sinceramente, se eu ficar rico, não vou querer muito mais do que graças a Deus já consegui. Mas tenho que admitir que as cifras e as lojas de grife e de carrões importados e os helicópteros e os aviões mostram a magnitude da riqueza que aquela cidade atraiu.

  1. Há erros na apresentação: um erro cubano, que eu sabia pois quando estive lá, guardei a coincidência com o número 11: área da ilha, de 110.000 km2; comprimento da ilha, de 1.100 km; população da ilha, de 11 milhões da habitantes (1997). Legal, né?
  2. A USP, sim claro, é uma de muitas estaduais, não a única Pública Não federal, mas fiquei orgulhoso de saber que é a minha universidade é a número 1. Será?

E, na verdade, no fundo, achei que fui delicado na descrição da minha cidade adotada. Não tripudio. Falei só verdades. Ironizei apenas no Biscoito Globo.

Estou obtendo outras interessantes respostas, depois remeto a quem respondeu!

Abraço

Homero Crítico Carioca Ventura


,

_______________________________________

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

7 anos para mudar

A piada tem 4 anos, mas infelizmente continua igual.

Tivemos várias tochas há três dias!


Temos 7 anos para mudar o quadro!

Ih, parece conta de mentiroso!





Homero Meio Cético Ventura

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Utopia, Êxtase, Suor e Sucesso

Caro Sílvio, soube por Renata sobre seu prêmio.
Aliás, 'seu' no sentido amplo (ah, os mistérios da língua!).
Fico feliz que você tenha concretizado seu projeto de tantos anos de maneira tão bem sucedida, e que minha filha tenha contribuído para isso.
Vem mais prêmios por aí?
Quando chegará por aqui?
Mantenha-me informado.
Assistirei e farei a divulgação em meu pequeno círculo.
Grande abraço e enormes parabéns!!!
 
Homero Orgulhoso Por Tabela Ventura
______________________________________

RESPOSTA:::

Homero Obrigado.
Claro que são parabéns coletivos e claro que a Renatinha está no cerne
da questão. Bela filha a de vocês. Belíssima parceira a minha.
Parabéns a todos. O reconhecimento é coletivo, a gratidão não. Posso
cumprimentar coletivamente mas nào posso agradecer coletivamente.
afinal a gratidào é um sentimento absolutamente individual . Obrigado
de todas as formas
Silvio

Obama Peaceman

Dear friends from good old times.

Last October 4th marked the tenth anniversary of my arrival in Houston TX, beginning a period of 4.25 years of American way of life.

And also of learning much with you and teaching just a little. There were the new Successfull Efforts accounting, the terrible Trading invoices, the multiple tables from HeadQuarters, the Sarbannes Oxley rules, the auditors battles (internal and external), the auditors changes, the incredible aging in Procurement, the royalties recovery, your friendship, the lunches at Fogo. I'm sure I would be very much worried now with the multiple problems of Pasadena.

Although I miss my US years, I am very happy in my country. I live in a good apartment with wife, kids and mother-in-law. Unfortunately, my brother-in-law passed away exactly one year ago, after 55 years of handicapped life on Earth (this time), being carried, being fed, being bathed, being loved and illuminating us all with his smile. Well, life goes on!

I am still fully aware of the US developments, the crisis, the rise of Obama, and I kindly ask you to contribute with a brief poll!

Would you please express your opinion about Mr. Obama award of the Peace Nobel Prize?

If you wish not to share your opinion with the others of the list, please reply straight to me (do not use the Reply-to-all-option). I would like to make a compilation of people who live there, about the subject. I promise not to nominate the opinions. By the way, Alvaro has already answered, in Portuguese, a former message on the 'obamatter'. By the way, I could not find Jenny in the list, is she still working there?

Unfortunately, my present position does not give much opportunity for traveling, so I use the electronic way of talking to you!

Thanks for the attention!

Best regards

I leave you with my 'obamantra':

OBAMMMMMMMMMMMMAHomero Believing in the Future Ventura

domingo, 11 de outubro de 2009

Em vez de Telecine,

Intercine!

Assisti pela segunda vez ao 'A Few Good Men', e mais uma vez me rendo à coisa boa que é assistir a um filme pela segunda vez. Você acaba percebendo, ou lembrando (admito), coisas interessantes, diálogos memoráveis. Enfim, sempre é bom.

Abraço

Homero

sábado, 10 de outubro de 2009

Anacrônico?

Ontem, meu filho perguntou-me se 'anacrônico' aplicava-se também a futuro .....
.... demorei alguns segundos e disse "Não sei .... Boa pergunta!".


Fui ao dicionário e vi que, na verdade, não. É apenas referente ao passado, antiquado, retrógrado, fora de moda, 'só vive no passado', enfim, tudo negativo. Mas se você for na origem grega da palavra, 'ana' é 'contra' e 'cronos' é 'tempo', então não tem nada dizendo se é o tempo que passou ou que ainda está por vir. Concluí que o termo poderia aplicar-se, numa licença poética, de algum modo, ao que está para acontecer, e, portanto, pode ser uma referência a um comportamento avançado, adiante do seu tempo (mesmo com o risco de descambar para o depreciativo 'Ele vive no mundo da Lua!').

Bem, tudo isso para introduzir o papo de hoje.
 
Em recente edição da Revista Exame, um artigo se intitula "Beatles - A Construção de Uma Marca Eterna", gentilmente repassado por um amigo.


O 'link' para o artigo completo está lá embaixo, mas eu destaco dele alguns poucos pontos, transcritos a seguir, com algumas dições minhas
(entre parênteses, em fonte menor, vermelha e em itálico)  :
    1.     ... os Beatles surgem ( em 2009 ) para bater todos os recordes de vendas de CDs. Sim, 40 anos após seu término, a banda formada por Paul, John, George e Ringo, os quatro garotos de Liverpool, mostra que continua a ser uma das marcas mais poderosas do planeta. O nome Beatles e tudo o que ele representa -- rebeldia, revolução, qualidade e inovação -- ainda hipnotiza a geração de filhos e netos de seus primeiros fãs....; 2.     A procura fez com que os Beatles tivessem cinco entre os dez álbuns mais vendidos do ranking geral da Billboard, batendo a marca do próprio Michael Jackson (que tem três discos entre os dez mais vendidos do ano) e de estrelas populares, como o rapper Jay-Z  ( oh, God... ) e a cantora Beyoncé (essa é muito boa , mas americana demais!) ; 3.     Na prática, ...., os Beatles conseguem renovar constantemente sua legião de fãs. Uma pesquisa feita nos Estados Unidos e divulgada em agosto pelo Pew Research Institute, especializado em comportamento, mostrou que os Beatles estão entre as quatro bandas favoritas por gente de todas as faixas etárias. A pesquisa também constatou que os Beatles estão em segundo lugar entre os astros pop mais admirados por jovens de 16 a 25 anos, logo atrás de Michael Jackson.

É por essas e (muuuitas) outras que eu sigo em meu caminho, insistente divulgador, chato escritor de abobrinhas sobre os quatro de Liverpool, não sem razão apelidados de
Fab Four  , cuja obra, apesar de tudo, ainda gera, em muitos, um certo preconceito, uma resistência, um bloqueio .

Alguns podem inclusive me tachar de 'anacrônico', na expressão aureliana da palavra. E eu posso até aceitar a alcunha, pois depois que ELES acabaram, eu fiquei meio perdido. Foi difícil começar a gostar de outras coisas, mas enfim vieram Pink Floyd, Led Zeppelin, Deep Purple, e uns poucos outros. E meu gosto musical não foi muito além do início da década de  80 . Aqui no Brasil, teve Titãs, dignos representantes tupiniquins do bom rock, posto que inovadores, audazes, revolucionários.

Eu prefiro, entretanto , agregar a mim a licença poética sugerida sem querer por meu filho. Creio que posso atribuir-me o lado novo da qualificação, pois que, pelo dito no artigo, aquilo que eu mais admiro ainda fará parte do universo de muita gente, por anos, lustros, décadas, no futuro, e ainda será considerado atual, pulsante, gostoso!
O fenômeno ainda é fenômeno para uma maioria e, se 'toda maioria é burra', nela me incluo, com louvor, e prazer enorme.

Abraço
Homero Divulgador Beatle Gratuito Ventura


Eis o link
____________________________________

A construção de uma marca eterna
http://portalexame.abril.com.br/revista/exame/edicoes/0953/marketing/construcao-marca-eterna-501719.html  

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Obama é 'Da Paz'!

Interrompo minha série Beatle para celebrar um grande momento:

Barack Houssein Obama é o Prêmio Nobel da Paz em 2009.


Sei que para muitos pode ter parecido precipitado.

Podem até ter razão.

Mesmo assim, eu estou emocionado!

Dirão que não tem nem um ano de governo, que ainda mantém tropas no Iraque e no Afeganistão, enfim, é verdade.

Creio mesmo que a decisão da Academia tem muito de simbolismo, uma forma de estimulá-lo a ir ainda mais longe nos movimentos que já fez, nesses nem 10 meses de governo. Hão de convir que a decisão de fechar Guantânamo, o discurso no Egito pregando a paz no Oriente Médio, a distensão com a Rússia de Putin, digo, de Medvedev, a disposição de conversar com Ahmadinejad, enfim foram mais, muito mais, que o sapatado e atrapalhado Bush fez em oito anos de desgoverno republicano belicista. Não há dúvida de que Obama criou um novo clima na comunidade internacional, inimaginável até o ano passado.

E a coisa não tem nada de pacífica. Hoje, na CBN, fiquei sabendo que Obama é vítima diária de ameaças de eliminação sumária, por americanos e organizações americanas radicais que simplesmente não se conformam com a presença negra na Casa Branca, via rádio, internet e outras formas de mídia.

Eu, que fui entusiasta da campanha dele, e chorei naquele 5 de novembro de 2008 ( Remember, Remember, The Fifth of November) em que ele foi declarado Presidente dos Estados Unidos da América, não poderia deixar passar o momento. Havia prometido que não falaria mais dele antes de passar o primeiro ano de governo, mas não deu!


Vida longa ao novo Prêmio Nobel da Paz!!!

Um Abraço

Homero Tolinho Emocionado Ventura

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Vem depoimento, vai depoimento

Compartilho os depoimentos que recebi sobre minha mensagem novelística, (http://blogdohomerix.blogspot.com/2011/01/la-se-foi-o-caminho-das-indias-com-seus.html ) sem dar nome aos bois, nem às vacas (brincadeirinha!!!!!).

É ver que vão dos assumidos aos que repudiam o hábito.


Um deles comentou que realmente alguém vai ficar paraplégico, mas logo quem: a filhinha-mimada-do-papai-rico-que-tem-helicóptero-e-iate-que-mora-no-Leblon!!!

Ora, ora, eu pensava que íamos ter uma aula de como a cidade é inadequada e não preparada para uma vida de cadeirante, suas dificuldades para usar o transporte público, para ter acesso aos serviços públicos disponíveis, as calçadas mal calçadas ou pior, as não calçadas, as barreiras para se conseguir um emprego, enfim.

Mas agora veremos é apenas o lado emocional da coisa, os lamentos de quem se vê limitado de uma hora pra outra, sem poder aproveitar as delícias que papai rico poderia oferecer, o desespero da mãe despeitada que vai jogar a culpa de tudo no pai que se casou com uma mulher mais nova, e, provavelmente, lááá no final, a constatação de que sua melhor amiga vai acabar sendo a sua hoje pior inimiga e rival, e que ainda por cima teve a ousadia de se casar com o pai.

Emprego? Ônibus? Andar pelas ruas? Problemas que passarão distante do nosso exemplo de deficiente!!!

Sei lá, vamos ver.

Ou melhor, vamos ver nada!

Ainda estou resistindo!

Outro dia, passando pela sala, sem querer ouvi a mãe abandonada se gabando de ter conseguido negociar o preço do apartamentinho simples que ela estava comprando depois da separação, de 8 para 6 milhões de reais ... bem apropriado à realidade brasileira ....

E ouvi a manequim mór alegando para o irmão que não poderia recebê-lo para morar no Rio porque o apartamento dela é pequeno ...... Me tira us tubo!

Acho que não estou perdendo nada!

Abraço

Homero Câmbio Desligo de Novela Ventura



Adorei o final do texto. bela sacada.
Tô com vc. Há anos não assisto até a metade da novela, mas.. os apelos
acabam me seduzindo. Como diz vc: fazer-o-quê!!!!
Mas tenho uma birra do Manoel Carlos, cá entre nós. Acho um porre
esses negócio de só ter Helenas e o pior de tudo é  transformar meu
bairro num "principado". É o inferno!!!!!!!!!
O trânsito, já caótico, fica pior e as pessoas migram ( como aves) pra
cá nos finais de semana!!!!!!!
É um Leblon do imaginário dele, nada a ver com o todo dia de todos nós!
Como foi o show dos meninos da PUC?




As únicas coisas que se salvam nessas novelas são os seus trocadilhos. Essa do "se é mayer é bom" é ótima;  e os do Casseta&Planeta, "com a minha nas índias". O resto é trama ordinário, substancialmente inferior ao que oferece Brasília nos dias de hoje. É competição desleal para os novelistas...





Bom sinal !
Sinal de que você é normal

Sds



Pois é noveleiro assumido ventura... eu tb falei que nao ia assistir pq daqui a pouco to indo embora e acaba o gostinho das novelas.Mas ca estou eu vidrada nas histórias do Maneco...
Bjs




OK Noveleiro Assumido, pode mandar o teu comentário para OGlobo. Estou seguro que será bem recebido.  Mas eu mesmo, não vejo novelas. Não sei se Menelau foi o maior dos espartanos, pois tinha Aquiles, cujo único ponto fraco era o calcanhar, que aliás o liquidou (Ulisses). É claro, Menelau venceu Páris, o grande sedutor, como está na música do Zé Ramalho. Drama causado pela formosa Helena, que foi "raptada" e levada para Troia, (eu vi o filme, se não me engano em 1965 ou 66). Não por acaso, tudo escrito por um "certo"  Homero, no século VIII BC. Os gregos eram bons mesmo.

Forte abraço,



Nao 'seje novelero'. É um ópio e uma maneira de disfarcar a realidade. Na semana final da última novela, as mabchetes do O Globo e da Folha, Veja eram sobre a novela, sua audiencia etc. Como se o Brasil só precisasse ou só se importasse com isso. Que nao temos problemas, que nao temos falta de ética, que nao temos futebol no Brasil que chame a atencao, etc.

Sds




 Se é Mayer é bom ..... Lapidar o seu humor. Devias ter uma coluna em algum jornal de expressão.


hahaha!!!
Também estou resistindo a esta novela, ao menos, por enquanto.


Homer, bom dia.

Eu resisti bravamente a Caminho das Índias. Principalmente, para não incluir "are baba" no meu vocabulário cotidiano. Sua antecessora, "A Favorita", era muito melhor, ágil e diferente. Amei!
Eu gosto das novelas do Manoel Carlos, assisti algumas "Helenas", mas confesso que essa ainda não me despertou vontade de dar uma espiada. Prefiro ficar vendo "Yo Gabba Gabba" e "A casa do Mickey Mouse" com a filhota... rsrsrsrsrs

Mas tem um porém: leio o que vai acontecer no jornal! Pra exemplificar, a personagem da Alinne Moraes (Luciana) vai sofrer um acidente e ficar paraplégica. Taí, não precisa ser exímio conhecedor de Manoel Carlos pra saber que ele vai inserir um personagem "mais real".

Bom, se eu me empolgar com "Viver a Vida", já tenho alguém pra comentar!

Beijoca


Homerix, bom dia!

Saiba que nessa decisão você está acompanhado: também jurei que essa não assistiria!

Agora é só esperar.

Uma tática é tentar fazer muitas coisas entre às 18H00 e às 21H00 e ficar bem cansado, usando a novela como tema para dormir. Costuma dar certo! Gostou? :-))

A minha favorita para isso era a reapresentação de Pantanal. Devia ter gravado uns capítulos só para isso! :-)

Abração e tenha uma ótima semana,




Pô meu, isso é que é ser eclético, até de novela tu entende ! 

Boa semana,



Olá, Homero,
Todo o 2º parágrafo mais o início do 3º vc "copiou" de mim, embora não tenha escrito nada, mas é exatamente o que acontece(u) comigo.
Impressionante como os seres humanos têm reações semelhantes ante os fatos.
Abraço



Putz (hehe), Homero.

Novela eu não assisto de jeito nenhum!! E pra falar a verdade, fico meio perplexa de ver que tanta gente, quase todos ao meu redor, dedicam seu tempo a isso. Sem julgamentos demais, cada um com seu cada um, claro. Mas eu prefiro tããããão mais fazer qualquer outra coisa, como bater um papo com alguém querido, ler um livro, estudar pro Yôga, ouvir uma música...

E acho também um desperdício por parte da rede Globo. Eles sabem que atigem tantos milhões de pessoas,  não custava nada fazer algo de maior conteúdo, né?

E aí eu acabo ficando às vezes totalmente deslocada da roda social, não sei nome de ator quase nenhum, muitíssimo menos de personagem de novela! A verdade verdadeira, é que já há uns 3 anos que eu nem ligo a TV!!!!! A não ser pra assistir DVD. rsss

Boa sorte pra manter a resistência dessa vez! :-)

Bom dia!



Homero , bom dia  !

Este novo ' Novêlo " ( lembra  desse nome do tempo de nosso avós, aliás eu lembro do tempo de minha mãe ! ) a desenrolar com o nome de " Novela " , além da  excelente Lília Cabral , e de algum personagem   vivenciando a Vida Real,  não tem mais nada ! 
É um elenco fraco , mas  a Novela  também é um ponto fraco da maioria dos brasileiros .
Já  ouvi  a seguinte frase : " O José Mayer  tem pinta é de pedreiro !
Mas,  a surpresa  surge de onde  menos se espera !
Estou tentando  um  portador para te enviar a relíquia ( tomara que sim .)
Abraços,




Meu querido cronista,

já deixei de assistir novelas há pelo menos três edições. Não tenho paciência e muito menos família para reunir. Assim fico fora do assédio global. Na maior parte das vezes em que me deixei ficar diante do canal 4, a raiva e a indignação me fizeram um mal extremo: enxaquecas, desarranjos intestinais e urticária, só para mencionar algumas das patologias que assomaram minha existência. Fico "puta", se me permite dizer, com a forma como os autores de novelas denigrem a literatura, os autores sérios, e, pior, ganham muito mais dinheiro que o mais talentosos dos escritores.

Coisas do capitalismo que emburrece e valoriza a mediocridade.

Meu querido cronista, certa vez ouvi um palestrante, jornalista frances, que pelo tempo decorrido e pelo tempo vivido não me lembro o nome, dizer que não devemos permitir que certas mensagens ou mediocridades intelectuais penetrem em nossas mentes. Ele nos propos a seleção daquilo que seria captado por nosso olhar e nossos sentidos. Desde então me tornei radical: saiu do cinema se o filme não vale a pena, desligo a televisão se a programação não merece minhas horas de lazer após um dia arduo de trabalho, fecho o livro se em suas páginas não encontro absolutamente nada que me acrescente, desligo o rádio (ou solicito ao motorista do taxi que desligue seu rádio) quando as letras absurdas tentam invadir minha mente por via do sentido da audição.

Pois é meu amigo, a família é importante, entendo, e sinto muito por você,

um abraço de sua fã maior,



Eu assumo, não sou nada noveleira, DETESTO NOVELA!!!!!! Simplesmente vejo a primeira semana (só para conhecer os personagens) e vejo a última semana pra chegar a conclusão de que novela é tudo igual, todas as personagens casam, tem filhos e são felizes pra sempre. Os vilões se dão mal (adoro quando eles acabam bem, ex.: a psicopata da última que conseguiu fugir da cadeia... a-d-o-r-e-i! algo novo!). O máximo que faço é "as vezes" entrar no site pra ver se "algo de novo" aconteceu... mas minhas noites são direcionadas a séries da tv a cabo... isso sim, sou viciaaaaaada!!!!

Abs,




Apenas registrando o que conversamos, eu não sabia que todos os pares das Helenas tinham sido representados pelo José Mayer. Sem dúvida nenhuma, a tara do Manoel Carlos é com o Mayer. Essa história de Helenas é só para disfarçar...


Caro amigo,

Concordo com usted em gênero, número e gráu.
Há muito que fujo das novelas, nãos as asisto, pois que hoje, tirando a pirotecnia da tecnologia das montagens e locações, passam pela urbanidade, se não locais, de nossa cidadezinha, do Leblon de Manuel Carlos, vai alhures à India, que, realmente nos trouxe muitos conhecimentos culturais, belas locações, mas que exibiu aos jovens desconhecidos, talvez aquilo que não se ensina na escolaridade, qual seja a diferança das castas. Mas o cerne, sempre é a trama familiar, hoje muito "confusa", aliás, sempre foi........... Nelson Rodrigues chocou quando exibiu as realidades nuas, mais do que cruas.
Compreendo sua condição de excelente e ajustado membro familiar, que acaba assumindo este horário em seu curriculo, às vezes, talvez muitas, de chocar com seus princípios, como absorvi de seus comentários.... porque a família sendo o primeiro plano, baixas à ela para feliz condição de participante ativo, na presença (passivo na concordância). E o que é desconcertante é que as familias adeptas destes horários e viciadas nestas sequencias, induzem seus filhos e mformação a assisti-los. Como podem amanhã, reprimi-los, ou limita-los, se agem, em concordancia com o que veem e torcem?
Os psicólogos falam muito destas situações, já assisti uma entrvista a este respeito.
Tou contigo  e não abro



Homero.
Quando criança, costumava ver as novelas por conta das minhas avós e pais, que eram e são noveleros. Hoje, em minha própria casa, não as vejo mais, exceto um ou outro capítulo, por conta dos meus horários. A das Índias foi a que mais pude assistir. Mas meu tempo de novela me fez perceber algumas particularidades que podem ser consideradas como a receita de uma novela:
1- Existem sempre dois núcleos que se encontram por conta de uma personagem. A história nunca é sobre uma classe apenas.
2- Como no Romantismo, quem é mau é sempre mau e quem é bom é sempre bom.
3- Em toda novela existe pelo menos um personagem que: ou não sabe quem é seu pai (ou pensa que sabe), ou não sabe quem ou onde está seu filho (ou pensa que sabe). Em muitas, essas duas variações coexistem.
4- Seja no Rio ou em São Paulo, só existe um restaurante, uma boate e, no caso do Rio, a praia fica reduzia a poucos metros.
5- A moral é relativa. Um marido que traia a esposa pode ser um canalha enquanto outro, que também trai a esposa pode ser um mártir.
6- Ser bom e honesto é sinônimo de ser tolo,  burro e frouxo. Já os maus e desonestos são inteligentes, espertos, impetuosos.
7- Os casais que se formarão ao final da novela se conhecem logo nos dois primeiros capítulos.

Hoje as tramas estão mais ágeis e, pela primeira vez (que eu me lembre), na novela das Índias, a mocinha não terminou com seu primeiro par, mas para isso ele foi reposicionado. Acho que "erraram na mão" e ele passou a ser visto como inconveniente para a mocinha pelo público.



Homero,

Não me lembro da última novela que acompanhei, a ponto de conhecer personagens, debater destinos, etc. Talvez tenha sido uma em que a Cláudia Raia tinha um romance escondido com o mecânico da rua. Para vc ver que não me lembro direito nem do nome da novela, nem dos personagens. Bom, talvez isso seja já um prenúncio do "alemão" e não de um maior ou menor interesse, é verdade. O fato é que comecei a ter outros interesses neste horário, gosto mais de filmes, assinei a tv a cabo e, principalmente, percebi que estava discutindo os destinos dos personagens como se fossem pessoas independentes. Como se o autor, autoritária e ditatorialmente, não estipulasse as escolhas "de vida" dos personagens a seu bel prazer. Algumas entrevistas, concedidas durante e após as novelas, pelos autores, me desencantaram, como se eu tivesse acordado, subitamente, para a realidade da ficção. Novamente, pensando bem, o errado sou eu: desde o princípio a expectativa em relação aos personagens deveria ter sido mais "realista" ou,aliás, mais ficcional, entende?!

Lembro-me, também, de meus pais coibindo, nas minhas irmãs, qualquer gosto que elas pudessem ter pelas novelas. Intelectuais ou intelectualóides, achavam que as filhas deveriam ter interesses mais elevados, ler livros, debater assuntos mundiais, enfim. Comigo, nem se preocupavam: homem não se interessa por novela e estamos conversados! As coisas mudam, o mundo gira, águas passam e hoje lá estão, ambos, assistindo a "Caminho das Ìndias", "Viver a vida", debatendo a personalidade dos personagens, criticandos-os ou elogiando-os, absolutamente inseridos nos mundos criados pelos autores. E, como se esta mudança já não fosse enorme, como se já não bastasse, ainda incorporaram novos programas "não intelectualizados" ao repertório, como o BBB, por exemplo. Não perdem uma edição! E, de novo, lá estão a discutir atitudes de cada participante, torcer, revoltar-se ... Ainda não soube deles ligando em um paredão para tirar ou manter algum preferido mas não me espantaria caso já tivesse acontecido.

Abs.



Pois é Homero, fiquei coladinha nas Índias e no final acabei no fundo do Ganges!!
Puxa, porque a Gloria Peres tinha que adoecer logo agora...



Quem diria.....por essa eu não esperava.



Homero,

Há muitos anos atrás, acho que por volta de 1977-8, vi o José Mayer andando na rua. Ele estava iniciando a sua carreira, tanto que eu o reconheci como ator, e me lembro de ter comentado com alguém que aquele rapaz estava na profissão errada. Mesmo que tivesse talento seria muito difícil fazer carreira sendo tão feio fisicamente. Ainda bem que fui trabalhar com petróleo, eu é que não teria nenhum futuro como analista do que as mulheres acham bonito.

Um abraço,

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Filme, Musical e Show

Filme:  Verdade Nua E Crua.
    Trata-se de  uma comédia romântica daquelas que homem suporta, e gosta!! E tem uma cena de orgasmo no restaurante, que é antológica! Não chega aos pés da cena de Meg Ryan em ' When Harry Met Sally ', mas é muito divertida. E não é 'fake', como na citada.

Musical: Hair Spray.
    O tema é meio bobinho, mas a diversão é garantida.
    Afora umas duas ou três canções meio piegas, as outras 20 são ótimas, o desempenho vocal de n-1 atores é perfeito. O '1' daí de cima, claro que é o Edson Celulari, mas que é totalmente perdoado, pois ele está hilariante!!! Não chega a um John Travolta, que fez o papel no filme, mas dá perfeitamente conta do recado! Acho que agrada até aos da linha 'não-suporto-musicais'. E a baixinha é fe-no-me-nal! Um espanto!! Canta  muito bem, dança inacreditavelmente bem e ainda faz espacate!!!

Show: Diário do Rock
    Esse ainda vai ser, amanhã, no Teatro Rival, às 7:30. Mas assisti ao outro, do ano passado, onde eles bombaram. Todos saíram eletrizados. Trata-se de uma banda de rock composta pelos petroleiros Canellas e Osmar, que já deixaram os 50 para trás, e dois filhos deste último, levando tudo o que tem de bom no Classical Rock.

sábado, 3 de outubro de 2009

Uma fantástica coincidência

Depois que eu a descobri, fiquei imaginando o que estaria eu fazendo, e sentindo, e imaginando, naquela sexta-feira, em meus quatro aninhos, nove meses e um dia, na pacata cidade de Santos, no Brasil, enquanto na já vibrante cidade de Londres, Inglaterra, do outro lado do Atlântico, acontecia aquela fenomenal obra do destino. No mínimo, eu devo ter passado por um breve estado de apoplexia, tendo deixado meus pais intrigados.

Pode não significar nada para a maioria das pessoas, mas para mim, aficionado como sou dos dois fenômenos, você pode imaginar.


Escrevi um texto sobre ela, há muito tempo....
http://blogdohomerix.blogspot.com/2010/12/5-de-outubro-de-1962-que-dia-1998.html


Abraço e bom fim de samana.

Homero Beatler & Bonder Ventura