-

domingo, 25 de dezembro de 2016

Meu amigo João

Fui passar a noite de Natal com meu grande amigo João.

Quando escrevi meu post sobre Boyhood, de 2015, intitulei-o com a pergunta que o diretor do filme fez aos principais atores que queria para o filme

Isso era porque era um projeto de 12 anos! Enfim, assim foi.
Pois bem, o único a comentar foi meu amigo João, que nunca me abandona neste meu pouco acessado blog. Só que parece que ele leu a pergunta-título, e resolveu pular todo o resto do texto, e respondeu-a com um

" Homerix, o que fazer nos próximos 12 anos? 
Trabalhar com multiplicada dedicação e seriedade para recuperar o país, que foi solapado pela tsunami bolivariana dos últimos 12 anos"
Ele aproveitou para registrar seu sentimento em relação ao momento! Como sempre faz, doa a quem doer. Escreve frequentes cartas à Folha de São Paulo protestando contra tudo o que acha que tem que ser protestado, e o índice de sucesso de publicação é impressionante!!


Pausa para um detalhe importante
João foi fundamental em minha carreira.

Fiz aqui, neste link, uma breve homenagem a ele.



João é o cara mais correto que eu conheço! Sempre pela ética e probidade, marca sua vida pelo desejo de que este país se torne uma Nação, coisa que hoje vemos cada vez mais distante. É o que pauta seus movimentos em qualquer esfera. Pessoal, profissional, e até esportiva. Não tem temores em falar verdades, mesmo com potenciais chances de colocá-lo em perigo.

Lembro-me de um causo que contou, quando dirigia sua Santana Quantum velha de guerra (velha mesmo, ficou com ele até acabar) e parou, como sempre obediente à lei, num sinal vermelho. Nisso, percebeu ao lado uma viatura da polícia passando vagarosamente pelo mesmo sinal vermelho que ele respeitara, e parou logo em seguida em frente a um bar, saindo seu motorista em direção ao estabelecimento. Ao ficar o sinal verde, João não teve dúvida, avançou e parou em frente à viatura, e foi tirar satisfação do policial, que já tomava um cafezinho com o balconista, perguntando se estava em serviço, e ao receber a resposta positiva, não teve dúvida e lascou:  
"Por que passou o sinal vermelho

O senhor não é um homem da lei?"
That’s Big John!!
Até quando o assunto é o mais importante dentre os menos importantes, ou seja, o futebol, João persegue o correto!! Ele não se conforma com a subida do Fluminense da terceira pra primeira divisão sem passar pela segunda, lá em 2000. Ele só vai sossegar quando o Fluminense cair de novo e voltar pelos próprios méritos. Até que isso aconteça acho que ele é mais anti-Flu do que Santos, seu time de coração, aliás, nosso.

Pra completar minha homenagem reedito a de sua filha Angélica, que me chama de Tio Homero, tão bonitinho, já com duas filhas maravilhosas, no meio de 2014:

Hoje recebi uma foto do meu pai em frente ao Kremlin, na Rússia. Pensei naquelas coisas todas que imaginamos quando criança. Meu pai teve uma infância bem pobre, vendeu pipa e entregou mercadorias da mercearia pra ganhar um trocadinho. Estudou, estudou pra cacete na escola pública! Queria ser físico (passou no vestibular da USP) mas disseram pra ele (e é verdade) que isso não dava futuro. Um amigo disse que geologia era a profissão do momento. Tentou transferência, não deu, então passou novamente no vestibular da USP à essa altura já trabalhando como professor de física e matemática. De lá pra cá, muita coisa aconteceu mas acho que nem ele imaginou que um dia correria o mundo dessa forma. E ainda vai correr! Me enchi de orgulho!
Sim, e depois dessa foto, outra missão apareceu... está no México

Rio - Luanda - Rio - Londres - Luanda - Rio - Houston - Caracas - Rio - Lima - Cidade do México, essas as cidades em que morou com a família desde 1985, nos últimos tempos sem os filhos, já tocando as vidas deles, mas sempre com Solange, grande companheira... nunca me esqueço de quando recebeu o convite para ser Gerente Geral em Angola, acho que em 1995, e pediu um tempo para perguntar à família, chegou em casa, veja bem, em Londres, meio sem jeito, e contou sobre o convite para se mudarem para Angola, e Solange disse .. 
Você já aceitou, né?Quando arrumamos as malas?

Dá-lhe, João!

Obrigado por compartilharmos essa amizade, já há 30 anos!!! 

Ah, se você conhecer o João, e ele lhe estender a mão, prepare-se.... ele tem um aperto de mão de gente grande ... como ele é .... e como é seu coração!!!

15 comentários:

  1. Tio Homero, rs... Lindo texto! Sou uma fã não assumida do meu pai, então aproveito o ensejo pra dizer o quanto eu também o admiro! Meu pai é o meu melhor exemplo de honestidade e dedicação. Parabéns pelo sincero e grandioso texto! Dá-lhe João Figueira!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Homerix,

    Obrigado pela homenagem. Saí de uma classe bem inferior, de família humilde, pois minha mãe era doméstica e costureira para completar o parco salário do meu pai, quem era padeiro. E, não fosse a excelente qualidade do ensino público de então, e a natural e intensa dedicação, não haveria forma de mudar de vida. Foi muito estudo e trabalho duríssimos.

    ResponderExcluir
  4. Estimado Homero. Eu também sou um privilegiado por conhecer o João. E concordo plenamente com todas as tuas observações sobre nosso amigo.

    ResponderExcluir
  5. Homero, sensacional!

    O João merece esta homenagem em seu blog.

    Feliz 2017!

    Marcusso

    ResponderExcluir
  6. Acabei de ler a tua sobre o João. Muito bacana! E o João é isso mesmo! Tb muito contentes em poder chamá-lo de amigo!
    Michèle Bertani

    ResponderExcluir
  7. Muito legal o texto Homero. O João Figueira é de fato um cara sensacional e por isso coleciona fãs (como eu) por onde passa...
    André Bitar

    ResponderExcluir
  8. Homero que lindo! Já me sinto amiga de infância do João! Que gostoso no Dia de Natal saber que temos pessoas do bem tão próximas da gente! Obrigada por dividir isto conosco! Beijos para a família Ventura e para a família do João!!!! Que o espírito natalino perdure mais 365 dias!!!!
    Sandra Vassalo

    ResponderExcluir
  9. Linda homenagem e um super reconhecimento - ao amigo e profissional, Homer. Infelizmente, não tive a oportunidade de trabalhar com ele. Grande abraço a tds
    Michella Moura

    ResponderExcluir
  10. Assino embaixo. O João é tudo isso e muito mais. Um privilégio tê-lo junto no trabalho e como amigo. Camargo

    ResponderExcluir
  11. Muito legal o texto! Aproveitei pra reler o seu poema de despedida que estava no link e é sensacional...
    Juliana Mattos

    ResponderExcluir
  12. Lindo texto e linda homenagem!!!
    Lecy Silva

    ResponderExcluir
  13. Grande ser humano esse nosso amigo João !!
    João Augusto Carrinho Antonio

    ResponderExcluir
  14. Homero, sensacional a homenagem ao João. Bonita e merecida. Tive a oportunidade de trabalhar por vários anos próximo a ele, uma pessoa muito humana e ao mesmo tempo de uma dedicação sem igual ao trabalho e seus ideais.
    É uma pena constatar, no entanto, que esse grande coração continua nutrindo sentimentos negativos a um Clube cuja história remete às origens do próprio futebol brasileiro. Quem sabe, revisitando esse assunto através do relato de profissionais imparciais ele repense sua posição:

    http://espn.uol.com.br/video/375757_pvc-explica-antigos-casos-de-tapetao-e-mauro-cezar-analisa-fluminense-esta-entrando-de-carona-de-novo

    Ou então, ainda não se conformando com o fato do Clube ter sido de fato beneficiado, mesmo sem ter causado as confusões, poderia canalizar essa revolta aos maus dirigentes da época e não à Instituição.  Até porque, se as cartolagens do futebol brasileiro fossem motivos suficientes para sermos Anti-clubes, nâo sobrariam times para se torcer.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  15. Chefe Homero

    Ótima homenagem ao JF. Eu também tenho grande admiração por ele.

    Um grande abraço e que 2017 seja ótimo para todos nós e para o Brasil.
    Itamar

    ResponderExcluir