-

domingo, 17 de novembro de 2019

CdP 3 - Não comi peru no Peru

Mais uma Crônica duPerú.

As Outras duas





Não cometi no Peru o mesmo erro que cometera no Chile, onde não consegui comer comida típica.

Resultado de imagem para refrigerante peruanoNo primeiro almoço, normalmente eu não me arrisco e vou no tradicional, do meu país, e foi o famoso bife com fritas, carne boa, fritas bem feitas, mas pra acompanhar, e para beber, como era em meio a um dia de reuniões, nada de álcool, mas tentei e gostei do refrigerante nacional, o Inca Kola, como veem, cor de detergente, e alguns turistas exigentes dizem que gosto também, maldade, gostei muito, parece um tutti-frutti, legal mesmo, e segui bebendo até o final da missão!! Claro, mesmo sendo um emblema cultura, quase patrimônio do país, muita história, e tal, mas hoje já é propriedade do outro cacófato poderoso, a Coca Cola.


Resultado de imagem para ceviche peruanoDe noite com os brasileiros, claro, levaram a todos nós para comer o tradicional ceviche.... peixe, temperado com limão, ou lima, uns vegetaizinhos, muito chique, só que o peixe é apenas marinado, portanto, cru, e cru, tô fora, acho que eu e Neusa somos o único casal brasileiro que não curte o tal de sushi de jeito nenhum, sempre que vamos, com amigos, preferimos as opções cozidas, aquele yakisoba, e olhe lá. Enfim, trata-se do prato nacional do Peru, e há uma certa disputa com o Chile sobre a origem, e tal, já haviam tentado me empurrar quando estive lá... não entra...

Resultado de imagem para tortellini con cangrejo peruanoDe frutos do mar, para fugir do tal cebiche, adorei uma especialidade local, com a grande costa que tem, fiquei no tortellini recheado com caranguejo, coberto com um molho deliciosamente calórico que esqueci o nome. Como sobrou molho no prato, pedi o tradicional pãozinho, para exercitar um hábito brasileiro de raspar o tacho. Não havia na casa. Na falta do adereço ideal, passei ao Plano B, e marquei em cima o arroz da colega, torcendo pra que não acabasse. O pensamento positivo deu certo, e ela cruzou talheres deixando uma quantidade enorme de grãos no pratinho em separado que trouxera o acompanhamento. Claro que jamais teria feito uso da iguaria se estivesse no próprio prato acabado. A gana pelo fantástico molhinho não era tão grande assim...

As carnes me agradaram mais, aliás como sempre. Na primeira, na verdade um verdadeiro strogonoff sem picar a carne. O molho era idêntico. O que me encantou mais foi o Tacu-Tacu, na variação 'Dos Pobres'. Nome e comida muito interessantes, de origem escravocrata. Fui apresentado a ele pelo Gerente Geral local, um peruano, no cardápio daquele restaurante do molhinho, mas a forma que servia era acompanhando pulpos, ou polvo, que eu dispenso.
 

Finalmente, na última noite em Lima, fui apresentado ao famoso TacuTacu a los pobres. E o lugar recomendado não poderia ter sido melhor: o restaurante Brujas de Cachiche, cujo cardápio ressalta 3000 Años de Gastronomía Peruana... depois dizem que foi Colombo quem descobriu a America! Ambiente gostoso, nem precisava abrir o cardápio, e pedi: TacuTacu a los Pobres. Para beber? Un Pisco Sour! Papos depois chega o digníssimo: um lomo amassado, como se fosse um paillard, duas bananas à milaneza, um ovo sunny side up (*), e o famoso charutão de frijoles neros ponteados por muchos granos de arroz, levemente apimentado... Aqui não valeu o conselho para viajeros a Mexico: "Nunca acredite num garçom que diz que a comida não está picante!" Aqui, a pimentinha veio no ponto certo.
(*) Pra quem não sabe, esta é a forma que os americanos designam um ovo mal passado; quando é bem passado, é 'sunny side down'. Bonitinho, né?


Que delícia!

Resultado de imagem para tres leches peruano
Para complementar, foi a primeira vez que pedi 'una sobre mesa', calma, na verdade 'un postre'. Antes haviam me dito que eu não poderia deixar o Peru sem comer un Tres Leches! Quando mencionaram o nome, a boca encheu-se-me de água... As glândulas do doce se atiçaram... Sim, eu conhecia a iguaria, na verdade, dos tempos de Houston, uma cidade que é invadida pelos sul-americanos, e a sobremesa é servida em muitos restaurantes. E também era feito pelas brasileiras, afinal trata-se de um bolo super suculento feito com doses generosas de leite condensado, leite em pó e leite leite. Fica molhadinho!! De matar. Claro que o 3 Leches que veio no restaurante era mais chique.

Resultado de imagem para pisco sour peruanoA cachaça nacional é o Pisco, feito de uva, e o drink mais famoso é o Pisco Sour (fala-se 'sauer'). Também há a disputa com o Chile sobre a origem, acho que isso vai até o fim dos tempos... A favor do Peru, o fato de Pisco ser o nome de uma região do país. Ponto pra eles. Ao sair, lembro de um bar que me com o sugestivo nome 'The Last Pisco Sour', ao que imediatamente atendi o convite. Muito bom, e trouxe, claro, uma garrafa para casa.



Um comentário:

  1. Homerix,

    Muito interessante esta postagem.

    O Peru é extraordinário em assuntos gastronômicos e vinhos, também. Você mencionou alguns exemplos, mas há um expectro de comidas especiais, como o Lomo Saltado, a Causa, Olluquito, Arroz Chaufa, Ají de Gallina, Frijoles Adobados, Cerdo Agridulce con piña y puré de camote, a fabulosa Pachamaca (asado bajo tierra). É interminável. O melhor ceviche eu comi em Talara, con pescado fresco local, limão de Piura, camote, cebola morada. Inesquecível. Outra experiência é com as frutas, como a tuna, que uma flor de cactus (nopal), deliciosa. Quero voltar ao Peru para conhecer o que não conheci, pois o período de 2 anos foi de trabalho intenso, sem oportunidades de conhecer este maravilhoso país, mais a fundo. Recomendo.

    ResponderExcluir