-

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Grécia segue na Euro(Copa) e na Euro(Zona)!!!


Jim O’Neil, da Goldman Sachs criou, em 2002, acho, o termo BRIC, unindo os países que tinham mais chance de serem os pilares da economia do Século XXI. Quando ele criou o termo, certamente pensou no som da sigla, e acabou botando na ordem Brasil, Rússia, Índia e China, para dar a idéia de crescimento, construção, afinal BRIC, lembra muito BRICK, que significa ‘tijolo’, material básico para construções no mundo todo, a não ser nos EUA, que preferem fazer paredes de cenário.

Enfim, o termo pegou, hoje já é BRICS, com a inclusão da África do Sul (South África em inglês), e teve época outra em que virou BRICK, mesmo, com a inclusão da Coréia (Korea em inglês), na verdade, uma apelação, pois tratava-se da Coréia do Sul, aí seria outro ‘S’, aí não dava o som pretendido. Mas esse fori passageiros o que ficou mesmo foi o BRICS, até hoje.


Quando veio a crise da Grécia, em março de 2010, eu aprendi que fora criada outra sigla, chamada PIIGS, que bota num mesmo saco, Portugal, Itália, Irlanda, Grécia e Espanha (Spain, em inglês). Na verdade, ela foi criada ainda em 2009, e junta os países mais perigosos, os elos fracos, que contribuem para a instabilidade do mercado europeu, e, portanto, do todo poderoso Euro.

Agora vejam o preconceito embutido na formação desse mais novo acrônimo. O que lembra a sigla?

Porcos!!!

E ainda com o ‘I’ dobrado, para você dar mais ênfase quando a pronuncia: Piiiiiigs ou Poooooorcos, “Vocês, poooorcos países, com suas economias frágeis, vêm sujar, estragar, contaminar a Comunidade Européia (vou botar acento até me proibirem) e, por conseguinte, o nosso EURO, que não” .

Todos os países são primos pobres da família:
  1. A Irlanda sempre foi a mais fraca da Comunidade Britânica, desde priscas eras, lembrem-se da praga das batatas, que causou a diáspora irlandesa rumo à América. E assim como os outros ‘porcos’, está sempre na iminência de dar calote nas dívidas internacionais;
  2. Sobre Portugal, certamente lembram-se da velha piada do “Eu vou a Portugal, e depois vou a Europa”. A união do antigo todo poderoso império lusitano à Comunidade Européia trouxe enormes benefícios ao país, todos os patrícios reconhecem isso. Mas tem estado difícil se manter produtivo, e a derrocada está às portas;
  3. A Itália, com aquela confusão de todo mundo querer ‘parlare’ com as mãos, sucessivos primeiros ministros e presidentes, e um certo Sílvio Santos, digo, Berlusconi no comando, tinha que chegar aonde chegou;
  4. Espanta-me a Espanha, com aquela espetacular indústria de turismo, em que só as ilhas Canárias tem mais quartos de hotel que o Brasil todo (número  contado por um espanhol, a confirmar), e com grupos investidores espalhados pelo mundo, especialmente Brasil; (aliás, vocês sabem que animal abunda, nas ilhas Canárias? Sabem? Canários? Nããããão!! Cães, em espanhol Canes, daí Canárias!! Homerix também é cultura!!!)Agora, tá na pior - de novo - cada vez mais no buraco
  5. Finalmente, a Grécia, que mostra que não basta sediar uma Olimpíada para ter garantido seu sucesso econômico. A coisa agora chega num momento crucial.... Eleições poderiam acabar com o resultado que ninguém quer: Grécia fora DO Euro .... mas deu direita!! Eles seguirão na EuroZONA e também na EuroCOPA!!!
A coisa poderia ser na ordem aí de cima, IPISG, que não quer dizer absolutamente nada, mas poderia ser muito bem GIPSI, lembrando a condição dos ciganos, em busca de um lugar seguro, que é o que toda a comunidade evoluída gostaria que encontrassem.


A idéia é essa mesmo, pejorativa, já provocou protestos de autoridades dos países citados.


Mas eles, que sabem onde a porca torce o rabo, que se entendam....

Abraço

Homero Sem Preconceito Ventura

23 comentários:

  1. Chefe Homero

    Muito boa essas considerações, como sempre.

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Prezado Homero,

    É assustadora a idéia de que nossas esperanças relacionadas aos eventos vindouros poderão cair por terra como ocorre na Grécia.
    A recessão é ampla e as ondas já podem ser observadas aqui no Brasil.
    Abraços,

    ResponderExcluir
  3. Assisti a apresentação musical em casa já que a TIC vetou o acesso ao arquivo na PETROBRAS. Excelente. Parabens ao seu filho e aos dois músicos.

    Em relação aos PIGS, tenho dois exemplos que a coisa por lá anda muito feia.

    Minha cunhada, que mora em Florença, conversando com a minha esposa relatou que a situação está muito difícil.

    Mesmo depoimento de uma grande amiga de minha filha que morava em Madri, trabalhando como guia de turismo, mas retornou para a casa dos pais.

    Atenção : Não decepcione os botafoguenses, tricolores e vascaínos no último jogo do Santos na Brasileiro 2010.

    ResponderExcluir
  4. Estimado Homero

    PIIIGS me recorda um corinthiano chamando um colega palmereinse

    Sds

    ResponderExcluir
  5. Mas esta semana você está inspirado. Deve ser o show :))

    ResponderExcluir
  6. Calma, Raquel, não tire conclusões precipitadas. Este texto, na verdade, foi escrito em março, quando descobri o termo PIIGS, mas aí foi aparecendo um assunto aqui, outro ali, e ele foi fincando pra trás. Agora que a Irlanda voltou à berlinda e Portugal já vem aí, rebobinei, modifiquei uns tempos de verbo e soltei. Mas parece que não agradou muito, foi um de meus textos de menor repercussão...

    Sim, o show me inspira, estou muito ansioso, ou melhor, a expectativa é enorme, pois diz-se ansioso quando a coisa é negativa, não é mesmo?

    Abraço

    Homero Contando As Horas Ventura

    ResponderExcluir
  7. Nem sempre, caro amigo.
    Noivas ( e é o máximo um casamento) também
    ficam ansiosas!!!!
    ótimo show!!! Vou acompanhar pela TV!!!!!
    Quanto ao fato de "menor reprecussão", já dizia Nelson Rodrigues,
    "toda unanimidade é burra"

    ResponderExcluir
  8. Homero,

    muito informativo o seu texto, pois eu conhecia os brics, mas desconhecia os porcos...muito consciente e em boa hora esta sua crônica...

    ResponderExcluir
  9. Excelente texto, Homero.

    ResponderExcluir
  10. A primeira vez que eu li, sobre PIIGS, achei que tinha sido uma piada para suavizar o texto. Que nada!

    ResponderExcluir
  11. Na verdade o que se pode concluir é que a idéia é passar uma mensagem subliminar no acrônimo, preconceituosa ou não, já que BRIC tem um apelo até positivo em contraposição ao infame PIIGS.
    Nessa linha, os BRIC poderiam muito bem ter sido "batizados" como CRIB que, em inglês, significa berço (entre outras coisas. veja em http://en.wikipedia.org/wiki/Crib).
    CRIB passaria um idéia de incubadora, de emergente, de algo novo no cenário econômico mundial.
    Que tal?

    ResponderExcluir
  12. Homero, além de escrever bem, você é um professor. Adoro ler seus artigos, são educativos.
    abraços,
    Terezinha Santos, do Clube de Comunicação

    ResponderExcluir
  13. Será que Weber tinha razão? A ética protestante é mesmo mais eficiente para o desenvolvimento do capitalismo? A ética católica é pouco adaptada a esse sistemam econômico?
    Vejam que, tirando a Grécia, todos os demais países que formam os PIIGS são formados por populações predominantemente católica. No caso da Grécia, a predominância é de cristãos ortodoxos, cuja ética econômica é bem parecida com a católica.
    Olhando para os países europeus de sucesso, com exceção da França, todos são países de ética protestante. Coincidência ou Weber tem alguma razão?

    sds,
    Tiago

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essas ideias já foram amplamente rebatidas. Toda vez que aparecem economias de sucesso, surgem ideias de fatalismo cultural. Como explicar o sucesso recente de China e Coreia se há bem pouco tempo reclamavam que o confucionismo não era bom para o capitalismo?

      Excluir
  14. Texto excelente, como é de hábito, mas tem bem pouco de usa opinião.

    Devemos concluir que, se os protestos dos PIIGS fosse atentido e mudassem o nome, grande parte da crise estaria resolvida, certo? ;-)

    ResponderExcluir
  15. Tiago, que interessantte conclusão!!!

    Alessandro, mudanças de nome de nada adiantariasm. O que ressaltei foi que no caso do BRIC, tijolo, denota construção; noPIIGS, porcos, denota sujeira, que é como as nações poderosas consideram aqueles 5 países menos dotados. O título foi dado bem antes das crises. É certo que os fundamentos econômicos dos países não deixavam ninguém animado, mas chamar todos de porcos, fui uma sacanagem...

    ResponderExcluir
  16. Darwin Magnus Leite17 de outubro de 2011 21:35

    Homero, muito bom. Mais um texto para refletirmos e a nos ajudar a entender um pouco desses tempos loucos. A atual crise econômica evidencia a fragilidade da política da União Européia. O Brasil deveria aproveitar esse momento e ampliar seus mercados, mas nossa competitividade deficiente, travada pela ânsia arrecadadora do Estado. Espero que possamos ser realmente o tijolo de crescimento sustentado que nosso país merece.

    ResponderExcluir
  17. Obrigada pelo esclarecimento Homero! Confesso que eu desconhecia os PIIGS.
    Tudo isso demonstra a fragilidade sob a qual nossas percepções, e nossa crenças - pq não? - estão fundadas. Se para as nações poderosas as de menores condições são vistas como sujeira, pode-se inferir o quão facilmente podem ser "varridas"para que haja "limpeza". E aí..., por motivos diversos, já vimos o filme!

    ResponderExcluir
  18. Homerix... os comentários acima recentes, tem seus fundamentos e esclarecimentos... as relações éticas com fundamentos religiosos, não deixa de ter uma correlação. Os Brics e piigs ,ressaltando suas diferenças, também...
    Paulus

    ResponderExcluir
  19. Não sei porque não incluiram mais um "I", da Islândia, que "quebrou" na crise de 2008.
    Não sei como está agora pois tenho acompanhado.
    Talvez não tenha sido incluída por não estar na "Eurozona" (ou será que está?).
    Se fosse, ia reforçar ainda mais o tom pejorativo: PIIIGS!!! (ou POOOrcos como gosta de gritar a torcida corintiana para os palmeirenses...)
    P.S. Cá pra nós, CRIB tambem ficaria legal no lugar de BRIC, não?

    ResponderExcluir
  20. Prezado Homerix,

    Depois do assunto Star Trek, minhas crônicas favoritas são essas onde você cita fatos sobre diferentes países. Tinha me esquecido da crise das batatas irlandesa e sua importância para a formação dos E.U.A..

    Aliás, falando de Star Trek, acabei de ler a curiosa notícia de que o novo Mr.Spock, o ator Zach Quinto, assumiu publicamente sua homosexualidade. Eu já tinha lido críticas à série que diziam que na nave do futuro tinha tripulantes negros, mulheres, asiáticos, russos e alienígenas, mas não um homosexual. personagens homosexuais no futuro.

    ResponderExcluir
  21. Homerix, adorei o texto! E, respondendo ao Tiago, não tenho a menor dúvida que, em termos econômicos, a razão estava com Marx e que a ética católico-ortodoxa é muito pouco competitiva... não, não é uma coincidência. #pena.

    ResponderExcluir
  22. Belo texto...A muito queria saber...hoje sei exatamente.Parabéns...com muita clareza que o texto tem...

    ResponderExcluir