-

sábado, 11 de junho de 2011

Parabéns ao Vasco, campeão de primeira!

Amigo(a) vascaíno(a)


Em 2008, no final do ano, o Vascão estava prestes a cair.

Uma vascaína pediu-me que 'postasse' um comentário sobre esporte num blog que o filho dela estava publicando. E eu fiz uns 3 ou 4.

Um deles dizia mais ou menos isso:
      Os vascaínos não devem considerar a caída para a Segunda Divisão como o desastre final, o pior dos mundos. Tenho certeza que, caso se confirme, o ano de 2009 será inesquecível para o time da Colina. Haverá uma reconciliação com a torcida, que ficará de bem com o time e encherá os estádios, dando um apoio jamais visto em anos precedentes. E, se tiver só um pouquinho de competência, volta triunfalmente em 2010, quem sabe com o título de campeão da Segunda Divisão, afinal os competidores não serão lá essas coisas. Será uma campeão de segunda, mas será um campeão (HeHeHe).
Dito e feito, o Vasco foi campeão da segunda divisão!

E agora tenho que me penitenciar da piadinha:  Agora é um campeão de primeira!


Conquistou a Copa do Brasil ... e com isto, já são 3 anos seguidinhos com um time carioca campeão em nível nacional. Que coisa!

Quando Neusa cumprimentou seus amigos vascaínos, um deles respondeu com uma mensagem que contava um pouco da história do Vasco.

É meio grande, mas quem quiser, leia. Eu li, e gostei. E fiquei impressionado com o conhecimento do cara. E até entendo o  porquê da enorme paixão demonstrada. Os episódios contados são de se orgulhar.

Eu mesmo não sei quase nada da história do Santos, antes da chegada de Pelé e daquele grande time!!!


Então é isto!


Se tiverem tempo e curiosidade, leiam!

Abraço

Homerix Entendendo de Vasco Ventura


Breve História do CRVG
Clube de Regatas Vasco da Gama


A diferença do torcedor do Vasco para os outros é que ele  perca ou ganhe ele é sempre bem feliz "...tua imensa torcida bem feliz,  norte sul deste país..." - Hino do CR Vasco da Gama - de Lamartine Babo para nós basta olhar para trás e ver o que esse clube representa em termos da história esportiva, política e social. Basta ver alguns poucos episódios: O clube foi fundado como uma associação esportiva voltada para o remo, então o sporting mais popular da capital, por um grupo majoritariamente de portugueses. Em poucos anos já havia se tornado uma referência nacional para o remo. Então fundiu-se com um clube de football, também majoritariamente de portugueses, o Lusitânia. A partir daí passou a disputar o Campeonato da 3ª Divisão. Em 1922 o football na capital federal era um sporting extremamente elitista que só aceitava players majoritariamente das classes sociais mais  abastadas e brancos, of course. O time do Vasco então faz sua ascenção à primeira divisão do campeonato carioca com um time composto basicamente de  brancos, negros e mulatos, quase todos empregados do comércio (em lojas de portugueses). Foi uma campanha brilhante no seu primeiro ano na primeira divisão, os Camisas Negras, o uniforme oficial do Vasco era uma camiseta negra com a Cruz de Cristo (o termo exato seria a Cruz da Ordem de Cristo),(não é cruz de malta como popularmente dito) - símbolo das velas das naus portuguesas de antanho - e gola na cor branca, ganharam quase todos os jogos, tendo empatado apenas um match, chegaram à última rodada já campeões por antecedência para jogar contra o Flamengo no estádio deste. O Flamengo ganhou por 2X1, em partida que o árbitro teria sido muito parcial, segundo uns para o campeão de 1922, segundo outros para o vencedor da partida, porém consensualmente foi um match disputadíssimo. Após a conquista do título, os grandes clubs da capital - Fluminense, Botafogo, Flamengo e América - reuniram-se e resolveram fazer a tentativa do que seria a maior vergonha do football nacional, convencer o CRVG a eliminar de seus quadros esportivos seus players negros e mulatos para poder continuar a disputar o campeonato carioca. Em carta de texto curto o então presidente do Vasco respondeu que seria uma vergonha para sua instituição excluir de seus quadros atletas que haviam demonstrado suas virtudes no campo e conquistado título tão importante, e que então preferia ver o CRVG não disputando o campeonato com aqueles clubes excludentes. Desta querela surgiu a desculpa de que o Vasco não poderia participar do campeonato por não dispor de estádio próprio. O Vasco então recorreu às suas bases, comerciantes portugueses e rasileiros das mais diversas origens e status social, que finalmente viam-se representados no viril sporting bretâo. Com o dinheiro arrecadado comprou-se um terreno em São Cristóvão e importou-se o cimento em Portugal. Em 1927 estava concluído o Estádio de São Januário, então a maior arena esportiva da América Latina, com sólida e refinada arquitetura, murais em azulejos portugueses dos mais famosos artistas de sua época. Vamos dar um pequeno salto no tempo. Prepare-se... upa! Chegamos à década de 40. Fora o lançamento da CLT e da Justiça do Trabalho, os discursos, desfiles de carnaval, festividades oficiais e cerimônias públicas no campo do Vasco, o Estádio de São Januário foi palco do famoso discurso de Vargas acerca da necessidade de uma siderúrgica no Brasil para poder sustentar a guerra iminente, que acabou sendo o estopim para o acordo com os EUA e a criação da CSN. Quanto à participação do Brasil na 2ª Grande Guerra Mundial o CRVG participou ativamente no esforço de guerra, sendo o único clube do país a bancar os custos integrais de uma aeronave para a FEB. Após a 2ª Grande Guerra Mundial o CRVG conquista os primeiros títulos internacionais do futebol brasileiro, o Sul-Americano de 1948 disputado no Chile, uma série de torneios na Europa, como o torneio de Paris e a Taça Tereza Herrera, que é o início da lenda do encantamento brasileiro no futebol - e que gerou uma legião de torcedores do Vasco no Velho Mundo, como o Thierry Henry (jogador francês campeão do mundo de 1998) entre outros. O modo brasileiro de jogar futebol, uma mistura da escola argentina do "toque e corre" com a ginga dos negros e mulatos foi experimentada pela primeira vez no Vasco ainda no final da década de 20 com a contratação de um coach uruguaio. O espaço dos negros e mulatos no football foi conquistado com muito suor e técnica dos Camisas Negras. Assim abriu-se espaço para o primeiro ídolo do futebol brasileiro o "Diamante Negro" Leônidas da Silva que brilhou na Copa de 38. E todos os craques negros e mulatos que seguiram-se: "Mestre" Didi, Barbosa, Zizinho, Sabará, Nilton Santos, Garrincha, um vascaíno de nome Edson - mais conhecido como Pelé, Ronaldo(s), Romário e tantos e tantos outros.

8 comentários:

  1. DARWIN MAGNUS LEITE11 de junho de 2011 16:52

    Homero, a homenagem foi mais que merecida, afinal depois de tanto sofrimento a torcida vascaína merecia essa conquista. Não dá pra dizer que é um timão, mas dá pra comemorar bastante, principalmente em cima dos eternos gozadores rubro-negros.

    Valeu,

    Darwin M. Leite.

    ResponderExcluir
  2. Concordo com tudo isto que não entendo... mas chegarei lá, talvez pelo estrada da solidariedade amigal.
    Paulus

    ResponderExcluir
  3. Homero, realmente a história do VASCÃO é uma das mais bonitas em todo o Brasil...E nada mais justo do que voltar à sua posição no cenário do futebol brasileiro...O CAMPEÃO VOLTOU!!! como você muito bem menciona...Falando em Pelé, ilustre vascaíno, assim como o outro Rei, etc. e etc...Só faltava mesmo John Lennon ter sido torcedor do VASCO...Quem sabe, algum dia um estudioso do assunto não acaba descobrindo... SAUDAÇÕES VASCAÍNAS !!! Arnaldo Coelho

    ResponderExcluir
  4. Homero

    Bela homenagem que você fez ao Vasco, que mostrou mais uma vez ser uma potência, haja visto a mobilização de pessoas verificada nesta última semana, e aos vascaínos, que seguramente formam a torcida mais participativa do Rio de Janeiro.

    Obrigado

    ResponderExcluir
  5. Homero V:
    O Santos, mesmo antes de Pelé, tinha sido bicampeão paulista em 55/56. Já era um time de muita qualidade. Antes disso, tinha sido campeão, se não me engano em 1935. Nos meus tempos de menino, início da década de 50, o Santos era o quinto time paulista, abaixo da Portuguesa de Desportos, que tinha um excelente time nesta época. Depois de 55, o Santos sempre teve bons times. Não sei se isto te ajuda a conhecer um pouco mais do Santos, especialmente vindo do Corinthiano
    Brandão.

    ResponderExcluir
  6. Apenas lembrando que o Vasco mereceu totalmente o título nacional que conquistou e vai tentar ganhar sua segunda Libertadores, que acho um pouco mais difícil...
    Brandão

    ResponderExcluir
  7. Difícil é o Corinthians ganhar UMA libertadores sequer....

    ResponderExcluir
  8. Marcia Figueiredo13 de junho de 2011 15:13

    VASCO CAMPEÃO COPA BRASIL 2011 -
    O Clube de Regatas Vasco da Gama escreveu mais uma página brilhante em sua história. Soma-se agora dois campeonatos sul-americanos (1948 e 1998(Libertadores), quatro brasileiros ( 1974,1989,1997, e 2000) e agora a Copa do Brasil, conquistada num duelo sensacional com o Coritiba.
    Na semana em que um de seus mais ilustres torcedores fez aniversário - O Tremendão Erasmo Carlos completou 70 anos no último domingo dia 5 de junho , o Vasco o presenteou com este magnífico título.
    Fiquei emocionada com a vitória do Vasco da Gama. Esse time já merecia um campeonado. O Ricardo Gomes construiu um time de primeira e tenho certeza que vamos vencer mais!
    Na noite do jogo estava com um grupo de vascaínos em minha casa e nunca vi tanta emoção , muito choro, muita alegria e prazer. Ninguém conseguiu dormir de tanta emoção.
    No dia seguinte era tanta gente gritando nas ruas que parecia que estávamos na Copa do Mundo. Todos com a camisa e a faixa de campeão. Eu , claro com a camisa!

    Escrevo um dos hinos mais bonitos dessa história para vocês conhecerem.
    Viva o Vasco!!!!!!!!!!

    Hino do Vasco
    (Composto em 1949)
    Letra e Música
    Lamartine Babo
    Vamos todos cantar de coração
    A Cruz de Malta é o meu pendão
    Tu tens o nome de um heróico português
    Vasco da Gama, a tua fama assim se fez
    Tua imensa torcida é bem feliz
    Norte e sul, norte e sul deste país
    Tua estrela, na terra a brilhar
    Ilumina o mar
    No atletismo és um braço
    No remo és imortal
    No futebol és o traço
    De união Brasil-Portugal

    ResponderExcluir