-

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Terapia Beatle, after Homerix




Rolou pelas redes uma ótima figura com o tema Beatles, mais especificamente suas letras. Vejam que legal >>>>

A partir do diagnóstico de quatro sintomas do paciente, o tratamento vai evoluindo com recomendações tiradas das letras dos Beatles, primeiro quatro mais externas, depois quatro intermediárias, depois quatro mais internas, até chegar à receita final e definitiva

Let It Be

Genial!

Imediatamente, incluímos a matéria na Grade Regular de Mestrado na nossa universidade preferida, a Universidade Beatle (link), que agora tem 21 cursos, além de 15 matérias eletivas e outros 15 cursos de verão.

Sim, mas não antes de corrigir alguns probleminhas!

Faltou o brilhante autor falar com um especialista, consultar o nosso quadro de docentes.

Acho inclusive que a coisa deveria começar, antes, com o grito primal do infeliz, pedindo SOCORRO!! >>>>>

Começo as adaptações com os Quatro sintomas, ali, na parte exterior do diagrama! Nenhum deles está presente em nenhuma letra de músicas dos Beatles! Não há "I'm sad", "I'm angry", "I'm hurt" ou "I'm stressed" em letras de música dos Beatles! Por que não foram na fonte? Os rapazes deram  declarações claras de desconforto psicológico ao longo da carreira, até em nomes de músicas, como "I'm a Loser" e "I'm Down", de 1963 e 1964, que eu escolhi, de imediato. Tem também outra canção chamada "I'm so tired", que eu poderia colocar direto o título, mas preferi a frase seguinte "I'm feeling so upset". E pra terminar, tem a super depressiva "Yer Blues", que tem a primeira frase assim "Yes I'm lonely, gonna die...", as duas últimas, canções de 1968, quer coisa mais problemática que isso? Escolhi o começo da frase. 

Vejam abaixo as primeiras mudanças no diagrama!


(desculpem o mau jeito da edição...
o que importa é a mensagem...)
E então, vêm o aconselhamento dos Beatles, como bons psicólogos que eram, mas que requerem algumas adaptações, e vou explicar por quê. Repare que todo o aconselhamento já vêm a partir de 1966, quando os psicólogos chegam à maturidade

O primeiro nível está Ok, com "Picture yourself in a boat on a river" da canção "Lucy In The Sky With Diamonds", tem "Nothing is real" de "Strawberry Fields Forever", "Get By With A Little Help From My Friends", da canção "With A Little Help From My Friends", todas de 1967, e "Take a sad song and make it better" da canção "Hey Jude", de 1968.

Já no terceiro nível, eu só manteria "Don't carry the world upon your shoulder", um ótimo conselho, também tirado de "Hey Jude", mas trocaria as outras três receitas, sem dúvida. Em primeiro lugar, trocaria os dois trechos de "All You Need Is Love", que são conselhos muito complicados, por dois bem mais direto ao ponto, de outra canção de John, a revolucionária "Tomorrow Never Knows" de 1966, vê bem se não são melhores. A canção começa com o verso "Turn off your mind, relax and float downstream", do qual peguei a primeira parte, da canção também peguei "Surrender to the VOID", aliás "The Void" seria seu título original. 

A terceira mudança no terceiro nível,  pode parecer um sacrilégio minha orientação, mas eu decidi tirar do diagrama aquele trecho do hino "Imagine" ..."Imagine all the people living for today", primeiro porque é mais uma convocação ao mundo (assim como as outras do corpo da canção) do que um conselho pra quem está com aqueles sintomas, mas o real motivo é porque ela NÃO É uma canção DOS Beatles, "Imagine" NÃO É uma canção Lennon/McCartney, ela é só de John Lennon, feita depois que os Beatles acabaram, portanto NÃO PASSA no critério dos conselhos possíveis. 

E, para o lugar dela, corrijo uma injustiça histórica do autor do diagrama: ele não colocou nenhuma letra de George Harrison, que foi a terceira força psicológica, digo, autoral da maior banda de todos os tempos!!! Então, selecionei: "It's all within yourself", da canção "Within You, Without You", de 1967. 

O quarto nível está OK, com "Jai Guru Deva", a saudação da canção "Across The Universe" de 1968, e "Come together right now", de "Come Together" de 1969, e "Don't make it bad" de "Hey Jude", terceira vez que aparece aqui, e "Life goes on" de "Obladi Oblada", de volta a 1968. Para então finalizar com o espetacular conselho final, "Let it be" que Dr. Paul McCartney tirou de um sonho que teve com sua mãe, e colocou na música de mesmo nome, do último LP lançado pelos Beatles, mas que foi lançada em compacto, em 1969. Ficou faltando Ringo Starr, mas é difícil extrair algum conselho de "Octopus's Garden" e "Don't Pass Me By", suas duas únicas canções na era Beatle, ele entenderá. 

Então a tábua psicológica dos Beatles ficaria assim, após a intervenção de Homerix.



Meio tosco, né!!!
Felizmente, um bondoso e desconhecido amigo fez um trabalho decente e consertou!!!
Veja que beleza!
AMIGO, IDENTIFIQUE-SE!!


2 comentários:

  1. Olha o que fiz baseado no seu post! Só troquei algumas posições, vê se tá bom: https://postimg.cc/mhrkzP32

    ResponderExcluir
  2. kkkkk desculpa, sempre esqueço de assinar! Abraços! ~~Bruno Longo

    ResponderExcluir