-

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Paul na Praça Vermelha

Resolvi inovar no primeiro dia do ano, no programa Música para Vovó.

Resgatei de minha caixa de DVDs Beatle aquele escarlate que conta como foi um encontro histórico. Moscow, 2003: foi a primeira vez que os russos ouviram ao vivo o som de um beatle!!! Bem, não deu muito certo pra vovó, talvez porque ela estivesse cansada pela noitada de fim de ano, hehehe. Na verdade, ela havia dormido muito pouco mesmo (pouco mais de 3 horas), então aproveitou para tirar uma sonequinha enquanto eu me encantava novamente com um dos melhores DVDs de  Paul McCartney.

E por que o DVD é tão especial? Porque os Beatles eram proibidos na época da União Soviética. Ter um disco dos Beatles era quase um crime. Só no mercado negro se conseguia. E você vai descobrindo essa história através de depoimentos entremeados com as canções do show. Apesar de os Beatles não terem nunca se pronunciado a respeito, à época da guerra fria, só o fato de serem livres e cantarem o amor, era uma inspiração para os jovens soviéticos, que até começaram a aprender inglês por causa deles. E foram considerados importantes para uma revolução silenciosa que aconteceu, e que veio a se concretizar muito tempo depois do fim da banda.

Grandes momentos!!

Destaco, claro, a emoção que foi vê-lo cantando 'Back in the USSR'. Você pode imaginar como essa canção foi uma febre na época do lançamento, em 1968, mesmo com toda a proibição! Daonde Paul tirou a inspiração para fazer uma letra que falava em Moscow e Ukraine girls, Balalaikas, e terminar dizendo que Georgia is always on mymymymymymy mind??? Bem, aí sim, pode-se dizer que os Beatles ajudaram mais diretamente à causa.

Paul foi recebido com honras de Chefe de Estado (ou quase) pelo então Presidente Putin e pelo arquiteto da Perestroika, Mikhail Gorbachev!! Outro grande momento do show, aliás, é quando Putin chega à Praça Vermelha para assistir ao show, cercado de guarda-costas, e pedindo que parassem de dar atenção a ele, e que dirigissem as honras ao astro, que cantava 'Calico Skies'. Paul percebe a chegada, e ao terminar a canção, agradece as 'Important Arrivals'.

Emocionante foi ouvir de novo 'She's Leaving Home', uma das 10 melhores canções beatle, para mim, e que eu ouvira ao vivo em 2002, em Houston! E sempre emocionante é ver como também lá, do outro lado do mundo, seres humanos de TODAS as idades sabem as canções dos Beatles de cor, acompanhando, muitas vezes com lágrimas, o que Paul canta.

Inesquecível. Para mim, imagine para os que lá estavam.... Note, na foto abaixo, a única faixa que se vê, à esquerda, expressando o sentimento deles!



4 comentários:

  1. Realmente este show em Moscou foi um dos grandes momentos da carreira do Paul.
    Paul nunca escondeu que era um sonho de infância seu se apresentar um dia na Praça Vermelha.
    Este sonho, que parecia inalcançável quando ele era jovem, acabou se tornando realidade.
    Nada é impossível quando se tem persistência e talento.

    ResponderExcluir
  2. “De Volta à União Soviética”(_Back in The USSR_), lançada em 1968, marcou a apresentação, em 2003, de Paul McCartney em Moscou, aos deslumbrados russos, incluindo o presidente Putin e Gorbachev. Num local em que era quase um crime ter um disco dos Beatles, esse show na Praça Vermelha representou uma grande virada, o início de uma revolução silenciosa na União Soviética. Foi inclusive, um estímulo para os soviéticos aprenderem inglês.

    ResponderExcluir
  3. Tenho esse cd também só que não sei onde está.Vou procura-lo Realmente esse show foi fantástico

    ResponderExcluir
  4. Eu vi alguns momentos no youtube. A chegada do presidente ao som de Calico Sky for emocionante. E saber que Putin pediu reprise de Back in USSR deve ter emocionado Paul. Ah, com certeza. Então estou aqui pensando nas emoções dele. Ver aquele banner escrito Finally... Ser recebido como foi pelas autoridades e pelo povo russo. Ele que até já tinha gravado um CD especialmente para eles. Eu tenho este CD...A interpretaçao dele de Summertime é maravilhosa. Capa do disco com a estrela vermelha.
    Uma vez conversei com um senhor russo que me falou como foi a chegada daquele CD. Uma rajada de ar fresco, foi o que ele disse. Encheu a todos de esperança.
    Exite um livro sobre a imprtancia dos Beatles na juventude soviética. Tenho vontade de ler.

    Depois do show Paul fez turismo de verdade. Visitou um mundo de lugares que queria de fato ver de perto. Moscou. Muito bacana isso. Mais uma semelhança dele com meu pai. Meu pai, até bastante conservador ( por outro lado tinha ideias bem revolucionárias), tinha certa queda pela Rússia. Nâo pelo comunismo da União Soviética ( mas ele conhecia os livros de Marx e sabia que aquilo não era o verdadeiro comunismo, nunca foi, mas pela cultura. Pois não é que ele amava o som da balalaika? Seus intrumentos preferidos que me lembro: viola caipira, gaita de foles e balalaika. Paul se lembro dela também. Meu pai gostava da dança dos Cossacos. Gostava da literatura russa, de Tchaikowski, e quando viu o filme Girassóis da Russia disse que sentiu como se estivesse chegando em casa. Coisa de vida passada? E será que Paul também era de lá? Ele até fez uma poesia se perguntando como seria se Tchaikowski fosse de Liverpool.

    O video de Paul caminhando pela cidade fascinado com tudo vale ser visto.

    ResponderExcluir