-

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Michael Jackson vs The Beatles

Hoje, pela manhã, em meio às notícias sobre o triste desaparecimento Michael Jackson, o Megale divulgou uma estatística segundo a qual ele teria vendido 750 milhões de discos (o que acredito!), muito à frente dos beatles, que teriam vendido 170 milhões e de Elvis Presley, que teria vendido 140 milhões.
Ao que eu respondi imediatamente:

Caro Megale
Também estou devastado pela perda do ídolo, admirava muito o lado artístico de Michael Jackson, mas vamos com calma nas comparações. Se não me engano, sem consultar nada, pois estou de Blackberry, há um verbete de Guinness, com mais de 15 anos de publicação, que elege os Beatles como a maior entidade vendedora de discos, tendo ultrapassado a marca do bilhão. O que não tira o feito do astro desaparecido. Estou muito triste pelo passamento de Michael, que iluminou o mundo desde criança. Pena que tenha terminado em meio a controvérsias.
Interessante que, apesar da admiração, há mais de 10 anos não ouvia um disco dele, até ..... o último fim de semana, quando viajei para Tiradentes (viu, Boechat!) e escolhi, dentre os 6 CDs eleitos para me distrair enquanto dirigia, o disco Bad de Michael Jackson!!!!
Os outros foram Prelude (de Eumir Deodato), o Bolero de Ravel, Time Out (de Dave Brubeck), e coletâneas do Aerosmith e The Who!
Que coisa!
Depois dizem que não existem pressentimentos!
Abraço
Homero Muito Triste Ventura
Rio de Janeiro

Agora confirmei: na verdade, o número dos Beatles passa do 1,5 Bilhão de discos vendidos, segundo o Guinness Book of Records.
Claro que estatísticas são estatísticas, há fonte e fontes, enfim, números podem divergir. Há quem alegue que os Beatles eram 4, Michael era 1, então, per capita .... enfim, o choro é livre!
E nessa linha da redução a uma mesma base, como o tal 'descontando a inflação...' que se usa muito quando se quer comparar números passados e presentes, não se pode esquecer fatos importantes:
1.        Contagem de discos vendidos depende da época: vender 1 milhão de discos, como Elvis, no final da década de 1950 vale mais do que vender 1 milhão de discos no final da década de 1960, como os Beatles, que por sua vez vale mais do que vender 1 milhão de discos no começo da década de 1980, com Michael Jackson. A população mundial vai crescendo exponencialmente, as técnicas e tecnologias de divulgação vão se aprimorando, a televisão chegando a bilhões de pessoas, e por aí vai;
2.       A carreira de Elvis durou mais de 20 anos, de 1956 a 1977, quando morreu; a carreira de Michael Jackson durou quase 40 anos, desde 1970 (no Jackson Five a 2009, quando morreu; a carreira dos Beatles durou menos de 8 anos, desde outubro de 1962, lançamento do primeiro compacto, com Love Me Do e P.S. I Love You, até o álbum Let It Be, lançado em maio de 1970, um mês depois do fim da banda.

Enfim (terceira vez que uso, coisa feia!), tudo descontado, não se pode esquecer o legado que deixou Michael Jackson, que, felizmente, deverá ser lembrado pelo lado positivo, do astro pop, grande compositor e intérprete, que revolucionou a música, e porque não dizer, a dança.
Certamente, suplantará o lado negativo, controverso (nunca comprovado), que marcou os seus últimos 10 anos de vida!
Muito mais coisa boa a lembrar do que coisa ruim!

Nenhum comentário:

Postar um comentário