-

domingo, 16 de outubro de 2016

Eu Sou O Espetáculo - No Céu

Cinco anos sem ele.
Minha homenagem ao maior dos humoristas brasileiros, 
rivalizando com Chico Anysio. Jô Soares só um pouco abaixo.
A nova guarda vai ter que remar muito para desbancar um dos três..
_________________________________________________________

Quando eu era criança, havia vários LPs disponíveis em casa para se tocar na vitrola.

Sei que tem gente que não a menor ideia do que seja, nem LP muito menos vitrola, mas seguimos.

Minhas memórias ressaltam, além dos LPs dos Beatles, claro, três que eu ouvia e ouvia de novo e de novo e de novo até gastar a agulha ... que muita gente também não sabe o que é...

Um, era o Bolero de Ravel, com aquele crescendo irresistível de instrumentos de orquestra, em melodia maravilhosamente repetitiva.

Outro, era o Time Out de Dave Brubeck, com as históricas canções Take Five e Blue Rondo A La Turk.

O terceiro, não era de música, era de humor, e se chamava 'Eu Sou o Espetáculo'.

O Humorista era José Vasconcellos.

Muito antes dessa febre que temos hoje de comediantes em pé, eram poucos os que seguravam uma plateia por duas horas apenas no gogó, e com seus textos, e com sua interpretação, sozinhos no palco, sem cenário, sem produção apurada, sem muita música.

José Vasconcellos foi o pioneiro.... e depois veio Dercy Gonçalves, desbocada. Logo depois, Chico Anysio, Jô Soares e Costinha, este último, aliás, nem precisava falar nada, bastava chegar e ficar parado, e fazer 'Uau'...

Naquele disco, eram 50 minutos de gargalhadas garantidas. Impagáveis as imitações de locutores famosos da época, de atores notáveis de todas as nacionalidades, narradores de futebol de todos os cantos (o esférico choca-se contra a muldura), um deles, claro, que era gago (a-pi-pi-ta o j-u-u-u-u-iz ... a bo-bo-la tá cum o-o-o-o e-e- jááá num tááá mais com ele ---- gooooooool). Impagável a história do italiano que foi com o filho numa partida de futebol sem ter a menor ideia do que se tratava. Lembro -me até hoje, de muitos momentos... sem jamais esquecer da história do casal de velhinhos no hotel às escuras tentando apagar a velhinha, digo, a veLinha.


Depois de muito sucesso, e impressionado com o mundo de fantasia de Walt Disney, investiu todos os seus recursos na Vasconcelândia, que intencionava repetir  em São Paulo o sucesso que conheceu na California. Sem qualquer apoio, o projeto foi um fracasso e ele quase foi à falência.


Recuperou-se com seu talento e fez muito sucesso na TV, principalmente como o gago Rui Barbosa sa-Silva da Escolinha do Professor Raimundo.


Afastou-se da TV devido ao mal de Alzheimer que o acometeu no começo do milênio, e faleceu no último 11 de outubro, vítima de parada cardíaca. 


Homenagens de todo o canto, e até no Twitter, reverenciado pelos comediantes em pé de hoje, que beberam na fonte de Vasconcellos, teve no Programa do Jô um excelente momento revivido, o episódio do Coronel Melo Maluco pegando um táxi a caminho do Aeroporto Santos Dumont.


Impagável!!! Sempre de pé, com domínio absoluto, preenchendo todos os cantos do palco, ele conta como o Coronel sofreu no trajeto ao Aeroporto e o que ele fez, como retribuição ao pobre motorista.


Esse é pra ver muitas vezes!!!




Se o seu firewall deixou um quadro branco acima, 
leve o link abaixo pra casa e divirta-se

São quase oito minutos, dos quais não se pode perder um segundo sequer.

Obrigado, Zé!!!

Homerix Um Pouco Mais Triste Ventura















s

11 comentários:

  1. Eu tenho esse disco!! Mas ainda não ouvi...

    ResponderExcluir
  2. Quer dizer... "disco"... eu tenho no computador.

    ResponderExcluir
  3. Bela homenagem Homerix. Quem quiser saber um pouco mais sobre ele, pode ver um documentário no YouTube (com testemunhos contundentes de Chico Anysio e Jô Soares), em:
    http://www.youtube.com/speedbox01#p/u/12/izz6AwDk-tA
    Aliás, este documentário contém curiosidades como o Jô magro (aos 22 minutos) e a informação de que o Zé foi piloto comercial da Cruzeiro e da Transbrasil...

    ResponderExcluir
  4. 54.051.... E Homerix, eu era ardoroso fã do José de Vasconcelos.... tinha uma coleção de piadas de português, antológicas... pra mim, que era fansinho de carteirinha, não perdia oportunidades de assisti-lo....
    Esta final apresentação no Jô foi magistral.
    Paulus sozinho.

    ResponderExcluir
  5. Confesso que nunca fui de ver tv desde pequena e mantenho este hábito até hoje. Entretanto, ouvia minha mãe comentar sobre o José Vasconcelos. O vídeo está impagável. Com todo respeito dá para a gente se sujar de óleo de tanto rir.
    Claira

    ResponderExcluir
  6. Valeu Homerix,

    Bela amostra e homenagem ao Zé. Carismático e dono de humor inteligente, já deixa muitas saudades.

    ResponderExcluir
  7. Homero, grande lembrança. Ele era genial e vai se juntar a outros grandes como Golias, Costinha, ...

    Armando Ferreira

    ResponderExcluir
  8. Vi na UTI no jô, e claro, na medida do possível ria e consegui assim passar uma horinha não vendo a "hora" de sair dali!

    ResponderExcluir
  9. Essa da Vasconcelandia não conhecia. O cara era um piadista mesmo. Deus o tenha.

    ResponderExcluir
  10. O José Vasconcelos era realmente um comediante completo, pois ele era excepcional tanto quando fazia o humor excêntrico (típico do Costinha e do Golias), quanto quando fazia o hunor teatral (típico do Chico Anisio e do Jô Soares).

    Grande perda.

    ResponderExcluir
  11. Homero, parábéns pela linda homenagem ao Zé! Realmente um ótimo artista. Fiquei emocionado também com a homenagem póstuma feita pelo Chico Anysio no Zorra de sábado passado...Bonita mesmo! Uma pena é constatar que muitas pessoas, até de nossa geração, nem se lembrarem dele...Saudações Vascaínas ! Arnaldo Coelho

    ResponderExcluir