-

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Marco Antonio, Um Professor - O texto


Após Pedro, Um Geólogo,
Carlos, Um Engenheiro,
Rosana, Uma Secretária,
Esta é a carta de despedida de Marco Antonio Farah,
após 48 anos de dedicação à Petrobras.
Uma mensagem de otimismo!!!
__________________________________

Caros e estimados colegas.

Após mais de 48 anos como empregado me desligarei da Petrobras na próxima sexta-feira dia 16 de junho. Meu ingresso na Petrobras foi fruto de um sonho que tinha desde criança, surgido ao ver material informativo sobre a empresa e sobre a carreira de engenheiros trazido por meu irmão mais velho que cursava Engenharia Química. Foi um impacto para todos conhecer qual era a proposta dessa nova empresa nacional em um país, ainda quase que agrícola, e com a nobre missão de lhe dar independência em uma área considerada estratégica. Ainda sem compreender bem o que se passava, interessei-me fortemente e comecei a seguir os passos da Petrobras por meio das notícias nos meios de comunicação da época. Fiquei atraído pela sua força, ainda que muito nova, mas que mostrava muita determinação para cumprir a missão que lhe foi dada. Esperançoso, preparei-me muito ao longo de minha formação para realizar esse sonho, que se tornou realidade ao ser aprovado no concurso para a turma de Engenheiros de Processamento de 1969.

Em todo o tempo em que estive na Companhia ocorreram muitos desafios como alguns são mostrados na tabela a seguir, os quais a Companhia superou tendo como base a qualificação e determinação do pessoal nos órgãos operacionais, lastreada pelo apoio da Pesquisa, Engenharia e Treinamento. E com otimismo espero que a Petrobras vença os atuais desafios, da mesma forma que fez em outras ocasiões.
Como ilustração e de forma simplificada, são mostrados nas tabelas e gráficos ao final, diversos desafios e ações que a Petrobras realizou para superá-los e os resultados dessas ações expressos em números de produção e de processamento de petróleo, com incrementos substanciais em cada uma dessas etapas.

Considero as áreas Financeira, Econômica e Contabilidade muito importantes, principalmente, nos momentos de desafios econômicos, no entanto, entendo que somos uma empresa intensiva em tecnologia e como ocorrido nos outros casos será com a tecnologia que os problemas serão superados completamente.
Tabelas e gráficos, neste link:

Nesse ano de 2017 tive a oportunidade de perceber em colegas das UOs a mesma garra, determinação e qualificação que fez a Companhia crescer e vencer todos os obstáculos anteriores, o que me deixa muito otimista quanto ao futuro da Companhia. E igualmente recompensado por ter ajudado na formação desses colegas. No entanto, aparentemente de forma contraditória, senti em muitos colegas um desânimo que me deixou preocupado e deve ser tratado. O motivo desse desânimo, nesse momento, não cabe ser polemizado. Ele pode estar relacionado à dívida da Petrobras ou às causas dessa dívida ou, ainda, a possibilidade de, em função desta dívida, não tenhamos mais a Petrobras como uma empresa de petróleo integrada, do poço ao posto, deixando de atuar de forma plena. O que a colocaria em uma situação diferente das outras companhias de petróleo, como a Total, a Exxon Mobil, a Royal Dutch Shell, a BP e a Chevron que tiveram lucros maiores com as operações de refinarias e de petroquímicas o que amorteceu o impacto da queda do preço do petróleo em seus lucros. Como foi o caso da Petrobras, onde a área de Refino é a que tem apresentado os maiores lucros nos dois últimos anos.

Como motivo de esperança, o maior problema atual que é a dívida, teve forte redução que foi obtida, principalmente, com o lucro do E&P e do Refino, como divulgado pela Companhia em seu último balanço trimestral, com redução de cerca de 10 % do índice dívida líquida sobre lucro operacional (antes dos impostos, juros e depreciação), aproximando-nos da meta para 2018. No entanto, volto a dizer, a baixa autoestima pode tornar mais difícil vencer o atual desafio.

Por isso, para tentar ajudar, procurei transmitir a alguns colegas palavras de otimismo, mostrando que em todos os desafios o que nos fez vencê-los foi a força da equipe, a sua determinação e a sua qualificação para as atividades. E, também, pela mesma razão resolvi expor para vocês meu otimismo no momento de minha saída da Companhia.

Ele também é função de que esse momento é aquele em que, conceitualmente, a Companhia está mais preparada em relação a todos os desafios pelos quais passou. Ela mostra dados de reservas e de produção de petróleo, de refino, de lucro operacional e de lucro líquido no primeiro trimestre de 2017 equivalentes aos de outras companhias de petróleo. Superavitária em produção de petróleo e, praticamente, tendo o conjunto de nosso parque de refino adequado para processar qualquer tipo de carga com ótima rentabilidade. Esse ponto tem garantido grandes lucros para a Companhia, suportando momentos de preços baixos no petróleo. Não nos encontrávamos nessa situação em nenhum dos desafios anteriores, e estávamos nesse ponto, estruturalmente, mais expostos tanto no E&P quanto no Refino aos problemas enfrentados, mas que ainda assim foram vencidos.

Espero, em breve, ver vencido o desafio atual e que a Petrobras continue atuando de forma integrada em todos os segmentos da indústria do petróleo, do poço ao posto e realizando a missão que lhe foi atribuída e que muito nos orgulha de abastecer de forma sustentável todo o mercado brasileiro de petróleo e de derivados.

Enfim, agradeço à Petrobras por tudo o que me proporcionou, pessoal e profissionalmente, dando-me a chance de realizar o trabalho de formação e desenvolvimento dos profissionais, o que sempre foi, é e será motivo de grande orgulho para mim.

Agradeço a todos os colegas da Companhia envolvidos direta ou indiretamente em minhas atividades pela constante e pronta colaboração e pelo reconhecimento que sempre tiveram comigo.

Agradeço em especial a aqueles colegas mais jovens da UP, que nos últimos anos sempre estavam prontos a me ajudar em qualquer que fosse a atividade, mesmo naquelas na mais burocráticas, que não podemos deixar de fazê-las, mas que, com o passar dos anos, se tornam cada vez mais complicadas para serem executadas. 

Agradeço à minha família, em especial à minha mulher Lucia, que me apoiou e orientou em todos os momentos de minha carreira.

Obrigado a todos e um abraço


Marco Antônio Farah

2 comentários:

  1. Uma brisa de ar fresco nesse momento tão difícil para a Petrobras! Parabéns e obrigado!

    ResponderExcluir
  2. Meu caro Homero
    Transmita ao Marco Antonio meus parabéns pelos seus 48 anos vestindo a camisa de nossa querida Petrobras.
    Assim como eu (40 anos) e voce, já fora da equipe, mas torcendo para que tudo se resolva e a nossa Petrobras volte a crescer.

    Abraços
    Itamar

    ResponderExcluir