-

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Suicidas, o livro!

Post Original de setembro de 2012
____________________________ 
 “Hoje é a primeira vez que pisaremos em Cyrille’s House sem a presença dos nossos pais. Também não poderia ser diferente. Não estamos indo para brincar no balanço ou nadar na piscina enquanto nossas mães conversam sobre a última moda em Paris. Desta vez, iremos por algo muito mais sério. Nós decidimos nos matar.”


Nenhum outro livro me chamou tanto a atenção desde um outro que vocês conhecem, um que começa com ‘A Arma’ e termina com ‘Escarlate’. Dediquei boa parte do domingo da Independência à sua leitura. Foram 340 páginas, em dois períodos, o primeiro terminado pela necessidade de me aprontar para uma visita que chegaria em meia hora, e o segundo terminado pelo compromisso de ter que levantar cedo para trabalhar, mesmo que ainda sem sono. Na segunda-feira, matei o resto.

O texto de abertura deste post é o que se encontra na contracapa do livro ‘Suicidas’, Editora Saraiva, de Raphael Montes, de 22 anos de idade. Normalmente, opta-se por colocar uma sinopse do livro nesse local. Renata assim o fez e o resultado foi uma sinopse forte, matadora, que chama à leitura! Aqui, atingiram esse objetivo com esse trecho aí de cima, extraído do próprio livro. Mas não há dúvida de que a escolha foi perfeita!!! Foi o que me atraiu! E ela não estraga nada do livro, afinal você a encontra no final do 1º capítulo.

Leitura tensa, envolvente, intensa.

Três linhas de narrativa: uma no presente, duas no passado. Tudo perfeitamente conectado pelo autor: a descrição da noite em si, as anotações de um dos participantes em flashback, que vão revelando os motivos que os levaram a tomar aquela decisão, e finalmente, o encontro, no presente, um ano após a noite trágica, das mães dos suicidas, para discutir o relato da noite em si, registra do por aquele mesmo suicida, visando buscar razões e culpas. Impactante!

Um romance policial com gosto de Conan Doyle!

Pronto pra virar filme! De sucesso! Primeiro, com a ambiência original, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Basta fazer uma seleção de elenco no cast de Malhação. Filme de baixo orçamento. É só escolher os cenários e investir em maquiagem, alguma computação gráfica e dezenas de litros de líquido escarlate. Depois do sucesso nacional, certamente Hollywood deve fazer um remake... uma moda atual da Meca do Cinema. Aí é só mudar o ambiente para, vamos dizer, Los Angeles e Carmel!

Pena que o filme será Rated R... quem sabe NC-17, na classificação de censura, americana. A versão nacional será censurada para menores de 18 anos. No mínimo!
Violento? Sim, muuuito!!!

Ao mesmo tempo que adolescentes não poderiam assistir, seria ótimo para a juventude ter uma ideia do que drogas e álcool e falta de objetivo podem levar as pessoas a fazerem. 

Ao menos, os pais poderão assistir e verificar que muitos deles têm comportamento similar aos pais dos garotos que resolveram se suicidar. Um alerta fenomenal!! Uma chamada à consciência de pais que deixam filhos soltos, sem um mínimo de supervisão... mas antes disso, que não se preocuparam em ensinar valores, de moral e ética, a eles!!

Mensagem dura, essa ...

Homerix Ainda Pensando Ventura