-

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Apanhador (?) nos campos de centeio

Finalmente saldei uma dívida cultural. (ainda tenho muitas, claro...)


Li 'Catcher in the Rye', de J.D. Salinger, um livro de 1951, sobre um adolescente americano chamado Holden Caulfield, em seus 16 anos.



Já falei sobre este livro porque sempre ouvi falar dele, desde que foi encontrado nas mãos de Mark Chapman, momentos após assassinar John Lennon, em 1980. E depois, por ser associado a assassinatos programados, no filme Teoria da Conspiração, um dos melhores a que assisti. Falei sobre tudo isso aqui, neste post (link).



O livro é o segundo mais adotado nas escolas americanas e também o mais banido, pra vocês verem!



Vende regularmente 1 Milhão de exemplares por ano!



É angustiante acompanhar a jornada de Holden contada por ele mesmo, desde que é banido de mais uma escola chique, por baixíssimo desempenho. Tudo para Holden 'bores" e "sores", todos para ele são "jerks, flits, morons, perverts" e, principalmente, 'phonies', cuja melhor tradução seria próxima a 'falsos', dá pra contar nos dedos as pessoas que admira, se é que são tantos, e mesmo alguns deles acabam decepcionando e passando às categorias regulares.



A leitura é tensa pois a gente vai vendo o caminho dele para a solidão, ou mesmo a loucura, como ele mesmo admite, em seu mundo particular. Destaco um momento, em especial, em que ele encontra um professor (Luce) num bar, veja como ele o define:

Finally old Luce showed up.Old Luce. What a guy. He was supposed to be my Student Adviser when I was at Whooton. The only thing he ever did, though, was give these sex talks and all, late at night when there was a bunch of guys in his room. He knew quite a bit about sex, especially perverts and all. 
(a qualificação 'old' ele usa sempre, quando se refere a pessoas que se relacionam com ele; note o 'pervert', uma de suas ofensas preferidas e, principalmente o 'and all', presente em praticamente todas as páginas, mais de uma vez, sendo duas aqui em um único parágrafo .. equivalente ao nosso 'e tal')

No papo, que dura duas páginas, Holden irrita 'old Luce' que aconselha, mais uma vez, que Holden procure ajuda psicológica, ao que ele resiste, mais uma vez, e 'old Luce' desiste, mais uma vez, diz que vai embora e nosso pobre herói suplica:
"Have just one more drink," I told him.
"Please. I'm lonesome as hell. No kidding."
Gente, esse trecho me deixou tenso, triste mesmo, até registrei no Facebook o momento.. e agora, ao pesquisar para o post notei que tem até um storyboard com a cena na internet, que compartilho com vocês! Note o adjetivo 'phonies' usado mais uma vez...



Olha, angustiante é o termo. Mas muito bom!!! Um alerta para os pais, para ficarem atentos com seus filhos, se estão se afundando num mundo solitário.

Ainda bem que já passei por essa fase....

Cabe também um comentário sobre o nome do livro.... afinal a gente só o entende já no final, quando questionado pela irmãzinha, de 10 anos, de que ele não gostava de nada (até ela estava de saco cheio disso), e desafiou-o a dizer uma só coisa que ele gostaria.... e ele pensou .... depois descreve uma situação esdrúxula e diz 
'I'd just be the catcher in the rye and all'. 
O que significa isso? Não vou contar.... seria spoiler demais....

Agora, traduzir 'Catcher' por 'Apanhador' foi muito ruim ... se bem que, mesmo entendendo o que ele queria ser, é-me difícil buscar tradução melhor!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário