-

sábado, 14 de maio de 2016

Nação Secreta - Qualidade Nada Secreta

Hoje tem, na TV!!
________________
Incrível como ainda não escrevera sobre a franquia Missão: Impossível. A qualidade de sempre está de volta, estrelada por Tom Cruise e um conjunto excelente de asseclas, que agora fazem um elenco fixo, com cenas espetaculares, locações estonteantes, vilões hipnotizantes, roteiros mirabolantes, muita mentira, mas sempre muita satisfação ao deixar a sala de projeção. O vilão feito por Phillip Seymour Hoffman no 3º filme segue, entretanto, imbatível. Uma pena ele ter partido tão cedo deste plano... Ainda bem que o veremos ainda no último filme de Jogos Vorazes. Ele já havia gravado quase tudo quando morreu...
 
Assistia à série na TV, de 1966 a 1973, estrelada por Peter Graves, no papel de Jim Phelps, e que teve, desde 1970, a ilustre presença do Sr. Spock (saudade!!!), após terminar sua missão de cinco anos buscando novas vidas, novos mundos, novas civilizações, audaciosamente indo onde nenhum homem jamais esteve (a série Jornada nas Estrelas terminara em 1969, com a missão abortada após o ano 3).
Cruise com Rebecca Fergusson: uma igual
A franquia passou para o cinema, com Jim Phelps sendo interpretado por Jon  Voight, e não me conformei com a traição do personagem ao final .. depois entendi... era porque o protagonismo mudaria de Phelps para o super agente Ethan Hunt, personificado por Tom Cruise, que ao longo da série foi assumindo cada vez mais importância, até se tornar produtor, acho que nos últimos dois filmes. E também, cada vez mais fazendo ele mesmo as cenas que naturalmente seria feitas por loucos dublês.

Fui assistir ao 5º filme – Nação Secreta - logo na estréia. A maluquice de Cruise continua, cada vez mais forte, desde a cena inicial em que se pendura num avião em decolagem... espetacular e segue, especialmente nas cenas embaixo d’água, numa estrutura que só pode passar na cabeça de roteiristas também doidões, mas que têm um efeito espetacular ... vou parar de usar o adjetivo!!! 

Estão presentes todos os ingredientes da série, inclusive com os disfarces perfeitos, as surpresas de good guy / bad guy, o bunker de tecnologia  que de repente aparece, as ferramentas que saem dos bolsos e funcionam perfeitamente para o objetivo desejado, as piadas do gênio Benji (Simon Pegg) e seu desejo de participar da ação, as escapadas sensacionais, as perseguições eletrizantes, a maldade do vilão, a fidelidade de Hunt à esposa, desta vez sem mesmo ela aparecer. E, claro, a missão segue sendo entregue por uma mensagem gravada, desta vez em um meio inusitado e um desfecho mais ainda. A música tema segue impactante .... e temos que lembra que foi feita por Lalo Schiffrin, um argentino .. quando será que teremos uma música nesse nível feita por um brasileiro? Boto fé no Felipe!!!
 
Alec Baldwin faz o chefe da CIA inconformado com os métodos da IMF, agência de Hunt. É dele o melhor 'quote' do filme, quase no fim, quando lista as qualidades incríveis do agente que ele abomina. Certamente entrará para a lista dos 'memorable quotes' do cinema' e deve figurar entre as Top Ten!!!
 
Ah - não deixe de notar a homenagem a Hitchcock cena cena da Ópera
 
Nação Secreta é considerado por muitos o melhor Missão: Impossível.

Resumindo, apenas uma palavra ...
 
ESPETACULAR!!!

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Homerix, algumas considerações: a série televisiva contou com dois protagonistas diferentes para Phelps, asscim como foi com A FEITICEIRA. Tom cruise é um dos produtores desde a primeira adaptação para o cinema, com Brian DePalma, sendo que Bruce Geller também é roteirista desde a primeira adaptação e Geller era um dos roteiristas originais da série televisiva. A homenagem à Hitchcock também está presente desde o primeiro, aliás, é justo o primeiro que mais traz homenagens ao mestre, visto que DePalma é um grande discípulo de Hich.

    Por fim, o filme é excelente, espetacular, e ainda muito mais emocionante e envolvente quando visto em salas portadoras da tecnologia DBOX.Estou até pensando em assistir novamente, desta vez, em IMAX. E Rebecca Ferguson, o que é aquilo? Impressionei-me com a moça, lindíssima e talentosíssima, daria uma bondgirl perfeita. Aliás, filmes como esse devem muito à franquia 007. Espero que não pare por aqui e que venham outros episódios.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Homerix,

    O comentário é aliciante, no sentido construtivo do termo. Quero ver o filme, que poderá servir de fonte de alienação para distração da dura realidade que vivemos. Na verdade necessitamos de muita inspiração para trabalharmos a recuperação do país, antes que isso se torne uma missão impossível, sobretudo se a série bolivariana que ora passa no Cine Venezuela, passar na íntegra no Cine Brasil, em gênero, número, grau e os requintes devastadores que assolam o setentrional país vizinho.

    ResponderExcluir
  4. Homerix,

    Por falar em nação secreta, na secreta, tentaram "recriar" a CPMF. Que coisa! Enquanto o governo brasileiro procura avançar no bolso do seu contribuinte, como forma contumaz de resolver seu problema de caixa, com mais impostos, como a CPMF, veja o exemplo do ministro da Fazenda do México, Luis Videgaray, ao afirmar que o governo deverá apertar o cinto, mas que não haverá novos impostos, nem aumento de alíquota dos existentes. Isso pode ser lido no site http://www.eluniversal.com.mx/articulo/cartera/economia/2015/08/29/shcp-gobierno-debera-apretarse-el-cinturon, publicado hoje. A conferir.

    ResponderExcluir
  5. Homerix, as usual, without spoilers... Ficaram somente os teasers... Mas prefiro manter a já tradicional linha que sigo, somente para evitar eventuais deslizes seus... rs rs rs ... Primeiro, apenas uma lida em diagonal no seu texto e nos comentários de seus outros leitores... Depois de ter assistido ao filme, aí, sim... Liberado ! Antes que me esqueça I: vem aí os agentes da U.N.C.L.E. - LEMBRAM ?! Foi o trailer da vez... AQME II: muito boa a abordagem de JF (Cine Brasil, VEN, etc...) - Bom, voltando ao filme pp dito, tenho que concordar (pra variar) que foi realmente fantástico e é, disparado, o melhor filme da série... Para mim, pontos altíssimos: a cabine esfumaçada; Rebecca Ferguson (pensei que fosse sentir falta de Paula Patton, lamento, mas não deu pra sentir)... indescritível a moça !!!; a dupla Benji (hilário) e Brandt (e mais ao final o já tradicional Ving Rhames no papel de Luther); impagáveis as 2 cenas (do início e final) do Alec Baldwin com o Jeremy Renner ao lado, negando tudo ...parecia até o Cunha...ou Youssef...; o "mergulho fatal" de 3 minutos e a mocinha dando uma de salva-vidas... rs rs rs Bom, fico por aqui. Não consegui identificar a homenagem a Hitch...Abrçs, A2

    ResponderExcluir