-

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Los Bife Franzferdinando

Daqui a duas semanas, a banda Los Bife estará completa novamente, e recomeçará a luta por um espaço.

Uma primeira batalha é pela chance de abrir o show de uma grande banda britânica, a Franz Ferdinand, por acaso, uma das poucas novas que conheço, e admiro. Farão quatro shows no Brasil, e uma banda de cada cidade vai abrir os shows. Aqui no Rio, o show é em 19 de março, na Fundição Progresso.

Claro que a luta é dura, pois concorrerão não somente as bandas do underground , mas também algumas com muito tempo de estrada, já com discos lançados, e algum nome.

Mas enfim, sempre é uma oportunidade para aparecer.

O link abaixo é fornecido pelos promotores da excursão da Franz Ferdinand. Abriram uma pesquisa sobre as bandas favoritas do público. Eles devem ouvir o som das mais votadas e decidir-se. Isto é apenas uma suposição. Não há regras claras.

Há uma boa e uma má notícia no tipo de votação que instalaram:
    • Boa: não precisa ficar votando que nem um condenado, e perdendo tempo, basta apenas um voto;
    • Má: justamente por ser um voto só, ele precisa estar atrelado a um email, então quem quiser votar, tem que divulgar o seu email.

Então, se você ainda estiver disposto a contribuir, siga os passos abaixo:
    1. Entre no link     http://www.day1e.com.br/franzferdinand/
    2. Click em ‘INDIQUE SUA BANDA’, no canto superior direito;
    3. Abre-se um menu, embaixo. Escolha ‘Los Bife’ na janela ‘INDIQUE SUA BANDA’: veja bem, a banda não pretende alimentar um batalhão, é apenas um bife só, no singular, Los Bife;
    4. Coloque o seu Email no espaço reservado;
    5. Dê um click escolhendo Rio de Janeiro;
    6. Dê um click em ‘ENVIAR’;
    7. Aparece ‘Mensagem Enviada com Sucesso’
    8. Se tiver outro email, feche o site, e repita o procedimento.
    9. Obrigado
Fica a seu critério participar de mais esta rede internacional, uma verdadeira legião estrangeira de apoio à banda Los Bife.

Era isso!

Um abraço

Homero Franciscando Novamente Ventura

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Segunda época das impressões

Como reforço a minhas indicações pretéritas, e até mesmo por não ter assistido a mais nada, atualizo informações sobre elas.
 
Primeiras:
  • Avatar é o melhor Drama de 2009, segundo o Globo de Ouro;
  • James Cameron ganhou o Globo de Ouro de Melhor Diretor de Drama, por Avatar;
  • Érico Veríssimo escreveu sobre Avatar, no Globo de domingo, e termina com um: “Minha opinião sobre o filme? Achei sensacional!”;
  • Meryl Streep ganhou o Globo de Ouro de Melhor Atriz de Musical ou Comédia, por Julia & Julie.
 
Segundas:
  • Robert Downey Jr. ganhou o Globo de Ouro de Melhor Ator de Musical ou Comédia, por Sherlock Holmes.
  • Robert Downey Jr. admite que o filme mais parece James Bond mas ficou muito bom, e está preocupado por comandar agora duas franquias, já que é também o Homem de ferro. Ou seja, o sucesso do primeiro já garante uma continuação
  • Uma coisa que me esqueci em minha descrição: a música de Sherlock Holmes é magnífica, trilha sonora que acompanha perfeitamente a ação do filme.
 
Terceiras (shows):
  • Na verdade, nada demais, apenas para citar uma declaração de Dave Brubeck, que achei no site de Ithamara Koorax. Ele agradece por ela interpretar uma música dele. Não é pra qualquer um. O reforço é porque a coisa vai somente até o final do mês.
 
Homero Complementando Ventura

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Show - Musical e Teatro de Graça

Para vocês que perguntaram como  eu ganhei os ingressos, lá vai. Trata-se de concursos do Clube do Assinante d'O Globo, que aparecem no site toda sexta-feira. Precisa ter chave e senha.


Concurso BOOM
Ganhava quem escrevesse as frase mais interessantes respondendo

Qual a personalidade que você gostaria de ser e por que?
    Geoff Emerick, pois participou desde os 15 anos do universo beatle. Estagiário da EMI Studios, depois engenheiro de som. Testemunha, visual e atuante, do maior fenômeno da história da música.

Concurso Carmen, o IT do Brasil

Ganhava quem escrevesse as frase mais criativa, respondendo,

Qual a sua música preferida de Carmen Miranda e por que?
    Eu prefiro 'Eu Dei' pois ela declara, eles perguntam, ela admite, eles pedem, ela argumenta, ela repete, eles imploram, ela nega, ela provoca, eles desistem, ela conta, e enfim, nós adoramos!


Concurso Ithamara Koorax
Essa foi só dizer que ela comemora 20 anos de carreira, e ser um dos primeiros


Concurso Fábio Porchat  
(Stand-up comedy .... Ainda vou)
Essa foi só dizer que ele é roteirista do quadro Exagerado, no Fantástico, e se um dos primeiros

........................................................................................................
Mas não é sempre que ganho. Acabo de perder o....

Concurso Leoni
Tinha que responder a um Quiz sobre ele, e escrever uma frase respondendo à pergunta
Qual a sua música preferida de Leoni e por que?
Eu respondi:
    Ele achou a ‘fórmula do amor’, mas é ‘exagerado’ dizer que tenha ‘fixação’ por ‘garotos’ e ‘como eu quero’ ir ao show ‘só pro meu prazer’, disse ‘por que não eu’, e escolhi estas, pois são ótimas!
Mas não levei, ou por nao ter acertado o quiz, ou porque não escolhi uma só, ou porque a coisa é fraquinha mesmo.
Abraço

Homero Sempre Tentando Ventura

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

De graça, até injeção?

Ganhei ingressos para três espetáculos nesta semana.

E fui!

Em tempo, o nível de feedback de minhas Segundas Impressões baixou a 10%.
Entretanto, sigo compartilhando.

Vamos lá!

1. Boom  - Teatro Miguel Falabella, no Norte Shopping
    Peça? Show? Musical? Resposta: de tudo um pouco, mas não sobra nada, ou quase nada. Trata-se de uma oportunidade para Jorge Fernando aparecer, para ele se exibir. Ele mesmo admite isso. Para quem não sabe, é um ator (?) de comédias besteirol (dispenso) que acabou se revelando um excelente diretor de novelas, chegando à posição de diretor geral de núcleo, da poderosa TV Globo. Então, tem seu valor. Mas a peça (?) é uma lástima! Incrível que tenha se perpetuado por 10 anos. O dia em que fui era exatamente a re-estréia, no exato décimo-primeiro aniversário. Ó, se eu tivesse pago o ingresso, tinha ficado puto. Como ele define, ele se exibe, conversa com a platéia, fala palavrão, revela que foi naquele bairro a primeira vez que ele deu(!), dança com a graça de uma baleia (aquela pança pra lá e pra cá), canta, ou melhor dubla, canções sem nenhuma criatividade, divide o palco vez por outra com um casal de atores, apresenta umas tiradas engraçadas, outras desgraçadas, tudo com muito escracho, pouco humor, enfim. Valeram os comes e bebes, já que era estréia. Ele termina pedindo divulgação, pois não consegue trabalhar com a casa pela metade. Vai ser difícil. Está na categoria ‘Injeção ’. No caso de Jorge Fernando, ‘Pica no Cu’ (em português de Portugal, bem entendido)

2. Ithamara Koorax  - Bar do Tom, no Leblon
    Este sim, tudo de bom, verdadeiro show. Ela é lídima representante do grupo artista-desprezado-no-Brasil-conquista-o-mundo, aliás, a quem ela dedica todos os seus shows, em declaração gravada, lida por um terceiro. Hoje ela é considerada uma das três melhores cantoras de jazz DO MUN DO, juntamente com Diana Krall e Cassandra Wilson. Sua voz é um desbunde de afinação, alcance vocal, força e leveza, por paradoxal que seja. Ela está no Brasil para lançar seu novo disco Bim Bom – The Complete João Gilberto Songbook - que está tocando muito nas rádios americanas de jazz (você já o ouviu por aqui?). Interessante que o João Gilberto é aquele sutil cantor, marco da bossa nova, mas como compositor, dá pra contar em pouco mais de duas mãos suas obras de próprio punho, por isso deu pra fazer um CD Complete. A temporada aqui é curta, até o fim do mês, depois vai percorrer Europa, Ásia e Estados Unidos, para somente depois andar por umas capitais brasileiras. Pois é! Vamos ao show: não espere monotonia no repertório. Pra começar a banda bota, como aquecimento, o tema de Batman, do seriado da TV, total surpresa. Depois, entra Ithamara, e começa a surpreender: tem ‘My Favourite Things’, sim aquela da Noviça Rebelde, tem ‘Smoke Gets In Your Eyes’, onde a gente vê todo o seu grave, tem ‘Human Nature’ (sim, de Michael Jackson, numa versão infeliz em português, mas que ela tempera com primazia, acompanhando com a voz o solo de guitarra), tem Lulu Santos, tem Jorge Ben Jor, tem uma espetacular adaptação lenta do sucesso Disco, ‘Got To Be Real’, tem ‘El Día Que Me Quieras’ (sim, em bom espanhol), ela leva três ou quatro canções do novo disco, e, claro, dois bossa nova classics, ‘Corcovado’ (.. how lovely ...) e ‘Garota de Ipanema’ (.. but she doesn’t see ...), estas duas cantadas da mesma maneira: abre na versão original com um canto suave, segue na versão em inglês com um canto vigoroso, e volta na versão suave. Ambas magníficas. Ah, claro, a banda, muito boa, guitarra, baixo, teclado, bateria, todos brasileiros, alguns com muita estrada, açambarcados para o show. Sem dúvida, um must see !!! Comprei o CD, mas ainda não ouvi, mas deve ser um must have !!! Está na categoria ‘ Banana Split ’.

3. Carmen, O It Brasileiro  – Teatro João Caetano, no Centro
    Também nota 10. Andréa Veiga mostra que não é apenas uma ex-paquita. Ela incorpora Carmen Miranda, com maestria, neste musical, que pega a vida e os sucessos da Pequena Notável durante a década de 30, mostrando suas origens, a descoberta dos grandes compositores da época, a ‘exportação’ para Argentina, onde os porteños a idolatravam, e depois para a terra do Tio Sam, onde a Brazilian Bombshell realmente bombou. Andréa e os outros quatro atores (que variam papéis durante o show) cantam muito bem, acompanhados por uma banda de cinco músicos, ao fundo, um figurino muito legal, cenário minimalista, mas suficiente, tudo de bom. Pena que não levaram ‘Eu Dei’, uma pérola de duplo sentido do grande Ary Barroso, que foi a canção, aliás, que me propiciou o ingresso de graça.  Até 7 de fevereiro, em temporada popular. Está na categoria ‘ Pizza com Guaraná ’.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Segundas Impressões Cinéfilas

Continuando a prática, segue minha análise sobre mais 3 filmes, sempre evitando ser um spoiler : tento não estragar nenhuma surpresa fundamental do filme ..... só de leve.

A primeira resenha do ano teve 15% de respostas.

Eis alguns filmes recomendados por amigos, em retribuição: 'Procurando Elly', 'Abrazos Partidos', 'Segredos de Família' e 'Cerejeiras em Flor', dos quais consegui assistir ao último.

Ainda sobre a primeira, um novo dado: 'AVATAR' já é a segundo maior sucesso financeiro da história do cinema! O mundo já deixou 1,1 Bilhões de dólares nas bilheterias em menos de um mês de exibição mundial! Perde apenas para, claro, os 1,8 Bi de ‘Titanic’, por coincidência, também do mesmo diretor James Cameron. Bem, acrescente-se que quase 15 anos de inflação separam os dois filmes e que ingressos 3D são mais caros, o que está contribuindo para a velocidade de arrecadação ora presenciada. Já sucesso econômico, índice de lucratividade, é outra história, já que este custou quinhentinho e aquele 'apenas' duzentinho. Outra sobre o filme: na coluna Logo d'O Globo, Arnaldo Bloch admite que chegou na sala de exibição como eu, de má vontade, disposto a descer o malho em ais uma porcaria americana, mas acabou aplaudindo, junto com muitos outros, aliás, isso está acontecendo em muitas sessões.

Bem, vamos lá!!
  • 2012  - Na linha do mundo-enfrenta-ameaça-liderado-por-presidente-americano-negro, iniciada por Morgan Freeman em 'Impacto Profundo', e seguida por Barack Obama em '2009 - O Ano Em Que Caiu a Ficha', agora temos Danny Glover em '2012'. Agora, em vez de um astro em rota de colisão com a Terra de Freeman, ou um inferno astral de Obama, é uma conjunção astral que ameaça Glover e seus egoístas pares do G8, o propalado alinhamento dos planetas do Sistema Solar, previsto pelos Mayas, há milhares de anos. A razão do adjetivo que usei você vai descobrir no filme, quando você assistir, não posso antecipar. Sim, porque apesar dos clichês quase irritantes dos heróis se salvando por um triz 3, 5, 10 vezes, o filme merece muito ser visto. Os efeitos especiais são espetaculares, não há mais limite para o cinema, ou quase: ainda não conseguem fazer um corpo que cai muito mais convincente que em 'Um Corpo Que Cai'. E tem uma ironia no final muito interessante, mas sobre a qual eu não vi ninguém ainda mencionar. E tem um elogio à eficiência dos chineses, direto, específico. É certo que vale o dinheiro e tempo investidos.
  • Encontro de Casais  – Bem, esse eu não assistiria, se não fosse a surpresa de ver todas as sessões de Sherlock Holmes esgotadas no Cinemark, e o assisti pra não perder a viagem. Vince Vaughn atua no, produz o, e assina o roteiro desse filme de relacionamentos entre casais, com algumas poucas cenas engraçadinhas, nada mais que isso. Eu estava certo ao não me dispor a sair de casa para presenciar esse encontro..
  • Cerejeiras em Flor  - Filme alemão, que se passa também no Japão: mulher descobre que marido tem doença terminal, e tenta melhorar seus últimos dias.  Lento mas tocante, faz pensar em como agir com os filhos e a família, o trabalho. O ritmo de tartaruga é quebrado com uma reviravolta ao final da primieira meia-hora que muda o desenrolar da trama de uma forma surpreendente. O filme é daqueles que nasce e morre no circuito alternativo, das pequenas salas, mas esse tem vida longa. Leva nota 8. Já o local em que vi leva 10: o Instituto Moreira Salles antiga mansão do banqueiro encravada na selva da Gávea, há 10 anos funcionando como centro cultural. O próprio local já é um programa legal.

A partir de agora vai ser impossível manter o ritmo.

Abraço

Homero Acabando Férias Ventura

sábado, 2 de janeiro de 2010

AVATÁXIMO

 
AVATAR  - A minha relação com esse filme começou com uma absoluta má vontade. Pelo trailer que vi, considerei já ter passado da idade de apreciar animações em computação gráfica, com temas épicos, batalhas mirabolantes, enfim, havia decidido não ver. 
Aí vem o Felipe e pergunta: Qual foi o filme de James Cameron que você não gostou? Aí comecei: ‘Rambo II’, ‘Aliens – O Resgate’, ‘True Lies’, ‘Exterminador do Futuro 1 e 2’, e, claro, ‘Titanic’. Bom retrospecto, é verdade! Mas achei pouco. E daí que o cara gastou 500.000.000  de dólares na produção (coloquei todos os zeros de propósito), que a tecnologia usada é inovadora, que o 3D é perfeito, que o projeto durou 10 anos para ser concluído, e daí, quero que ele se exploda.  
Aí, a Renata foi ver, e disse que o filme era isso, aquilo, e ficava de mal comigo se eu não fosse. Felipe foi ver e confirmou. Perguntei se a mãe ia gostar, e os dois foram positivamente unânimes. 
Enfim, acabei indo! Comprei ingressos na sexta para ir no sábado (porque a coisa está assim, não chegue em cima da hora pra comprar). A sessão começa bem com todos os trailers já necessitando que colocássemos os óculos especiais, muito bons, especialmente ‘Alice No País das Maravilhas’, dirigido pelo sempre inovador Tim Burton, em mais uma parceria com o magnífico Johnny Depp, como o Chapeleiro Maluco, e ‘Toy Story 3’, não um trailer, mas um divertidíssimo teaser. 
E, finalmente, começou AVATAR. Resumo da história: com uma hora de filme (ele tem 2:40 hs), fiz questão de mandar um torpedo pra Renata e Felipe: AVATÁXIMO!!! 
Agradecimento, ao vivo, por terem me obrigado a ir! Im-per-dí-vel! Dá para se enxergar cada um dos quinhentos milhões de dólares gastos. A presença de Sigourney Weaver dá um certo peso ao elenco, o 3D é realmente perfeito, mas o que encanta realmente é o universo criado por James Cameron, que assina também o roteiro. No planeta Pandora, uma civilização (humanóides, porém gigantes, de 3 metros de altura), que vive em total harmonia com sua natureza, e em briga com colonizadores humanos em busca de recursos naturais. 
Os Na’Vi são muito interessantes, corpos esguios, ágeis e resistentes, e a tecnologia faz com que seus movimentos na tela sejam precisos, leves, as orelhas pontudas são uma gracinha, denotando as reações, de alerta, alegria e tristeza (especialidade de nossos cachorros). 
James Cameron se deu ao luxo de desenvolver uma língua própria para a sua civilização, o que dá enorme autenticidade à coisa. Grande decisão. 
Muito, mas muito legal mesmo, é a conexão entre alguns humanos e seus Avatares Na’Vi, que é o cerne da teoria de Cameron. Quando um humano dorme, seu correspondente (sua outra persona, seu avatar) acorda, e vice-versa, o que gera uma série de situações interessantíssimas. 
E os animais de Pandora são absolutamente encantadores (e também assustadores, claro), assim como a comunicação do povo com seus ancestrais, suas origens, suas divindades. 
Teve aplauso no final. 
Olha, simplesmente Nota 10 !!!

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Primeiras Impressões Cinéfilas

  • Tirando um pouco de atraso, andei visitando algumas salas de cinema, e compartilho minha opinião. 
Sempre a Seu Lado  – baseado numa história real, de dedicação de um cão a seu dono. Não falo mais nada além disso. É o seguinte: como eu já sabia da história, chorei um balde; quem não sabe, chora uma banheira; se tiver cachorro, uma piscina. E pras mulheres, ainda tem o Richard Gere. Vale a ida!

  

Julia e Julie  -  duas histórias reais entrelaçadas: a de Julia, uma cozinheira que aprendeu a cozinhar tarde, mas  que revolucionou a culinária nos EUA, com um livro e com instruções em TV; e de Julie, uma cozinheira amadora que resolve fazer todas as receitas do livro da quase homônima, quase 50 anos depois, e registrar tudo num blog que vira um sucesso. Bem legal, Meryl Streep dá um show, e segundo o Felipe (viva o U-Tube!), ela está i-gual-zi-nha à verdadeira Julia Childs, e por isso, está concorrendo ao Globo de Ouro, pra variar um pouquinho; 
  • Lula – o filho do Brasil.  Muito bom. Bem realizado, tocante, emocionante. Não dá pra negar que a história d’O Cara dá um bom filme. O ator que faz o Lula está quase perfeito. A trilha sonora é boa, às vezes um pouco desconectada da época em que aparece no filme, por exemplo, o namoro dele com a primeira esposa acontece entre 67 e 69, tendo ao fundo ‘Você’ do Tim Maia e ‘Como Vai Você?’ do Antônio Marcos, que foram lançadas depois de 1970. Mas é perdoável e se encaixa bem. Muito legal a coincidência que acabou unindo as vidas de Lula e Marisa (não conto). E muito legal também que finalmente se ouve a voz de Marisa, ainda que como personagem de filme. Glória Pires também arrebenta, aliás, todo o elenco está muito bom, coisa notável num filme brasileiro. O filme tem grandes cenas, mas a melhor é justamente o comício no estádio de futebol, marcante. Vai ser sucesso lá fora, e candidato a Oscar.