-

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Rumo ao Norte

É Renata Ventura​.
Em sua missão de 20 dias ....
Em busca de novos mundos, novas vidas, novas civilizações...
Nem tanto!
Na verdade, vai conversar com leitores ...
E conhecer melhor alguns cenários de seu novo livro!

'O Dono do Tempo' vem aí.

É o 3º livro da Saga A Arma Escarlate!




domingo, 24 de maio de 2015

Essa crase!!!!

Essa terrível sucessão de facadas por que passa a sociedade carioca está gerando reações de redes sociais e da mídia impressa também com reportagem de capa da Veja. espera-se a reação das autoridades

Mas trago o assunto aqui por um motivo bem menos trágico

A manchete do Globo de ontem dizia:


'Mais quatro ataques à faca no Rio'

Está correta essa crase aí?

Eu sempre uso aquela regrinha da troca por um complemento de origem masculina. Se a troca por 'ao' cabe bem, então eu concluo que precisa crase. Mas talvez não seja sempre que ela funciona..
Neste caso, troquemos 'faca' por 'revólver'.

Você colocaria 'ataques ao revólver'? Não, né? Você fala 'ataques a revolver', então eu concluo que o gênero não é necessário para impor o uso da crase.

Eu tive um embate com a Comunicação da minha empresa, que usou a expressão 'feito à mão' colocando uma enorme crase. Meu argumento era o mesmo. Se a parte do corpo usada fosse o dedo, você colocaria 'ao', falando 'feito ao dedo'? Não!

Acho que a coisa depende da situação! Então, sem crase!
Veja outro exemplo: 'Feito a moda da casa'  leva crase?

Troca pelo gênero masculino, e você falaria 'Feito ao jeito da casa.' Ficou bem? portanto, a primeira leva crase.

E agora, quem poderá me ajudar??


domingo, 10 de maio de 2015

AS MAMÃES DE NOSSAS VIDAS


91 Dias das Mães ...

     61 de Dona Mira ... desde 1954

     30 de Dona Neusa ... desde 1985

Cada uma a seu modo ...

     Cada uma com sua história ...

          Cada uma com sua cruz ...

Ambas com seu amor incondicional ...

     Tendo os filhos em primeiro lugar...

Dois de Dona Mira ... que saudades do Carlinhos...

Dois de Dona Neusa ... além da própria mãezinha

VIVA AS MAMÃES DE NOSSAS VIDAS

sábado, 9 de maio de 2015

A Las Madres, La Flor

Em 2010, passei o Dia da Mães fora do Brasil. Estive em Buenos Aires!!! Foi muito bom!

Hoje, retomo um ritual desde então. No Dia das Mães, ofereço a todas elas uma lembrança de lá, nesta foto!
Trata-se de um magnífico ponto turístico, descoberto, por acaso, por Neusa, a mãe que me acompanhava.
Estávamos caminhando, longe dela, a caminho do Museu de Arte Latinoamericana, quando ela se virou e disse:
"O que é aquilo?" 
Nenhum de meus provedores de dicas portenhas se lembrara de indicar uma visita a esta impressionante escultura metálica, idealizada por um arquiteto argentino. Fiquei tão estupefato com a coisa que a máquina acabou caindo no chão, causando um leve desalinho na lente. Escangalhada, no sentido paulista da palavra!! Então a última foto que ela tirou foi a que compartilho com vocês, hoje!!
Seu nome oficial é Floralis Genérica e representa todas as flores do mundo. 
Popularmente, é conhecida como La Flor. 
Para alguns mal-humorados portenhos, é La Flor de la Mierda.
Muito porque cada uma de suas pétalas foi transportada pelas ruas da cidade, à época de sua montagem, causando um enorme transtorno. 
Esses argentinos não têm a menor sensibilidade!!






Nós a achamos maravilhosa!
Ela está na Praça das Nações Unidas, na Recoleta, desde 2002, portanto já tem 10 anos de vida!!!
É um gigante de alumínio e aço inox de 18 toneladas, que se fecha (isso mesmo) à noite, e abre em todo seu esplendor às 7:30 da manhã.
Um verdadeiro espetáculo!!!

Parabéns, Mamães do meu Brasil varonil!!!

Homerix Con Las Madres Ventura

MariMarigold - os veinhu estão de volta

Pouca gente que eu conheço viu o primeiro. A crítica recebeu assim, assim. Mas foi um sucesso bem acima do esperado. Pra mim foi ótimo! E fizeram o segundo! A crítica continua reticente, mas eu gostei mais ainda.
 
Estou falando de ‘The Second Best Exotic Marigold Hotel’ que estreou nos cinemas.
A trama segue a mesma: um indiano que faz de seu hotel pousada para os mais velhos!  O primeiro é Dev Patel, o rapaz que fez 'Quem Quer Ser Um Milionário', magnífico ganhador do Oscar sete anos atrás... Os últimos, alguns dos mais memoráveis atores ingleses, encabeçados por Judy James Bond Dench e Maggie Harry Potter Smith, seguidas pelo garotão Bill Piratas do Caribe Nighy, no alto de seus 66 anos, sim, um garoto perto das octagenárias colegas. Quatro  ou cinco atores e atrizes por volta dos 65, 75 anos completam o elenco britânico e mais um monte de simpaticíssimos indianos, com aquele sotaque delicioso e aquelas cabecinhas balançando.
 
Todos estão de volta no segundo filme (menos Tom Wilkinson que compunha o primeiro elenco, mas morreu... digo... o personagem) e contam desta vez com a ainda catalizadora presença de Richard Gere, sobre quem, aliás, é uma das ótimas falas do livro, de Dev querendo convencer sua bonita mãe a ir jantar com ele: ‘Mãe, ele é tão bonito que chego a rever minha convicção heterossexual!!
Não perca!!! Você vai encontrar tudo o que tem num bom filme inglês, ou seja, ótimos diálogos e sotaque inglês, e tudo o que se encontra num bom filme passado na Índia, ou seja, muita cor, muita música, muita dança, muita simpatia e, claro, muito sotaque indiano falando inglês. Perfeito!
Precisa ver o primeiro filme antes do segundo?  Não!! Pode assistir este aqui direto! Vai perder só algumas coisinhas, mas nada que atrapalhe o entendimento.
Não perca! Parece que vem uma franquia aí... Aposto que no terceiro, virão anciões de outros países!!!

sexta-feira, 8 de maio de 2015

O grande retiro! (vem coisa boa por aí)

Felipe em seu momento Jimmy Page em show no SESC -SP

E a Baleia vai acumulando 
     belas imagens, 
          belas fotos, 
               belos cartazes, 
                    belos sons..
 

O segundo disco vem por aí ... 
     já ouvi os primeiros acordes .... 
        está sensacional!!

Estão em retiro gravatorial,
     todos reunidos mais produtor 
          numa casa/estúdio 
               durante 10 dias  
                    fora do Rio!!!
 

Espero que dê tudo certo!

E você, já conhece?
E você, já tem o disco? 
É a hora!!!
www.baleiabaleia.com
Fale comigo!

sábado, 2 de maio de 2015

Querem acabar com 'Um Modelo Animador'

'É uma escola que eu gostaria de estudar!'
Isso foi o que disse minha filha
Renata, ao visitar a Escola SESC de Ensino Médio de Jacarepaguá, quando foi convidada a dar uma palestra e conversar com os alunos.
Hoje, n'O Globo, um Ventura mais famoso, o Zuenir, dedica sua coluna à escola .
E termina o artigo sentindo-se do mesmo jeito que a Renata.
E pensar que pensam em derrubar tudo pra fazer estacionamento pras Olimpíadas......


Não deixem de ler!!!

Um modelo animador

Passei uma tarde na Escola Sesc de Ensino Médio, em Jacarepaguá, fiz uma palestra e fiquei impressionado com o entusiasmo das professoras com quem conversei

Você conhece algum estabelecimento de ensino onde os professores adoram o que fazem e não têm do que se queixar? E mais: onde os alunos gostam de aprender? Eu conheci uma escola assim no Rio de Janeiro, em Jacarepaguá — justamente na semana em que mais de 200 professores saíram feridos por bombas e balas de borracha em Curitiba, durante duas horas de confronto com a PM. Em greve desde o último dia 25, eles protestavam contra a aprovação de um projeto do governo estadual. O sindicato da classe anunciou que vai processar criminalmente o governador Beto Richa e o secretário de Segurança “por conta dessa barbárie instalada por um cerco militar jamais visto aqui nessa praça”.
Diante dessa crise, que atinge outros estados, a experiência a que me referi foi tão animadora que me fez esquecer aquelas más notícias. Chama-se Escola Sesc, de nível médio, fundada há seis anos, um modelo de ensino integral para 500 alunos, que moram num campus de 130 mil metros quadrados, com teatro, biblioteca, ginásio coberto, piscina semiolímpica, sala de dança e ginástica. A Vila Acadêmica é composta por quatro prédios. Dois para alunos e dois para alunas. Em cada andar também reside um professor com sua família. Os demais membros do corpo docente ficam alojados na Vila dos Professores.
Cada mestre residente, isto é, de dedicação exclusiva, é orientador de um grupo de dez alunos, com os quais se reúne diariamente. Os estudantes têm uma rotina de dez horas de atividades diárias de diferentes disciplinas em salas de aula, com no máximo 15 alunos, e nos laboratórios, oficinas de arte, música, dança e teatro.
Mas o mais importante é o resultado dessas práticas pioneiras. Passei uma tarde lá, fiz uma palestra e fiquei impressionado com o entusiasmo das professoras com quem conversei. É como se cada uma fosse a autora do projeto. Hoje no Brasil é raro não ouvir dessa categoria profissional uma queixa ou reivindicação. Do outro lado, o dos alunos, o que me surpreendeu foi o nível de interesse e conhecimento de adolescentes entre 14 e 18 anos (são leitores de livros, acredite), vindos de várias partes do país e filhos de famílias com renda entre um e três salários-mínimos.
O que deixo de contar aqui por falta de espaço resumo assim: Quando baixar a crise de pessimismo com o que acontece com o nosso ensino, aquela sensação de “não tem jeito”, já sei o que fazer: eu vou pra Jacarepaguá. Não para a colônia, como na marchinha “Neurastênico”, mas para a escola-residência do Sesc.


Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/opiniao/um-modelo-animador-16028986#ixzz3YzD1a51v
© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.