-

quarta-feira, 25 de março de 1998

Paul Is Dead (1998)

         Há tempos que venho pensando em escrever mais algumas linhas sobre os fab-four mas o trem do trabalho vem me atropelando com frequência. Agora que abriu-se-me uma brecha, uso o tempo para contar-lhes mais uma historinha, sem compromisso nenhum além de aumentar-lhes a cultura inútil, mesmo que para nada sirva.
         Alguns podem ter ouvido falar sobre a suspeita da morte de Paul, no auge da carreira dos Beatles em um suposto acidente de automóvel e sua substituição por um perfeito sósia. Ouviram? Seja qual for a resposta, aqui vai um pequeno relato de parte do episódio.
         Tudo o que envolvia, ou fazia menção, ou simplesmente lembrava qualquer um dos 4 Beatles, na época, era motivo de especulações dos ensandencidos fãs. Imaginem um boato como este! Um sem número de evidências que comprovariam a morte de Paul foram encontradas em músicas, declarações, anúncios de jornal, etc. Sei de algumas delas que só interessam aos mais fanáticos e que não cabe aqui detalhar. Restrinjo-me agora ao mais interessante deles.
          Certamente todos já conhecem a capa do último LP dos Beatles, o ABBEY ROAD. Se ainda não sabem do que se trata posso garantir que pelo menos já a viram em algum momento de vossas vidas. É aquela em que os 4 rapazes atravessam a faixa de pedestres da rua dos estúdios da EMI, a Abbey Road, ou Rua da Abadia, em que gravaram a grande maioria de suas belas músicas. Lembraram? Ainda não? Em caso negativo, sugiro que passem imediatamente em qualquer loja do ramo e adquiram o CD, pois trata-se de um dos 3 melhores discos que seres humanos já produziram em todos os tempos. Aliás, é nesse disco que está a chamada equação do amor a qual me referi em uma outra mensagem:  ...and, in the end, the love you take is equal to the love you make!
         Bom, se tiverem a curiosidade de checar, notem:
1.      Os 4 estão em fila indiana;
2.      John segue à frente, de terno branco;
3.      Ringo a seguir, de terno preto;
4.      Paul, a seguir, com roupa informal chique e descalço;
5.      George, finalizando, todo em jeans;
6.      Paul é o único com o pé direito à frente;
         Os demais têm o pé esquerdo à frente;

7       Há um fusca bege descompromissadamanete estacionado no lado esquerdo. Sua licença é 2 8 I F.
         Não seria nada além de mais uma bela capa beatle se os fãs não tivessem usado sua fértil imaginação para descobrir nada menos do que 7 evidências irrefutáveis de que Paul estaria mesmo morto!
         Senão, vejamos:
1.      Os 4 estão em fila indiana, como todo bom cortejo fúnebre;
2.      John segue à frente, de terno branco, como todo bom médico,
         que lhe proporcionara o atestado de óbito;
3.      Ringo a seguir, de terno preto, como todo respeitável padre,
         que lhe proporcionara a extrema-unção;
4.      Paul, a seguir, com roupa normal, mas descalço como todo bom defunto,
         segundo milenar costume da Índia, país que todos eles cultuavam naquele momento;
5.      George, finalizando, todo em jeans, um traje simples, como todo humilde coveiro,
         para lhe proporcionar cova digna;
6.      Paul é o único com o pé direito à frente;
         Os demais têm o pé esquerdo à frente.
         Sinal de leseira de morto.
7.      Há um fusca bege descompromissadamanete estacionado no lado esquerdo.
         Sua licença é 2 8 I F, que naturalmente, quer dizer:
         "Paul would be 2 8 years old, I F he were alive"
         Pode?!!!!!
         Esta capa ficou mundialmente famosa, não por causa disso, mas por si mesma. Desde os idos de 1969, todo santo dia, ao menos uma pessoa, às vezes dezenas, preferencialmente em grupos de 4, repete a coreografia, com pé trocado do 3º e tudo o que tem direito. Entre elas, o bocó aqui! Só que como eu sempre ia sozinho, tinha que esperar por outros 3 bocós para acompanhar-me na jornada e um 5º para tirar a foto, sendo que, na última vez, eu nem máquina tinha! Pedi ao bocó japonês que me enviasse a cópia! Ainda não recebi!
         O citado fusca bege ganhou notoriedade imediata e começou a passar de mão em mão de colecionadores. O último maluco o arrebatou em leilão, alguns anos atrás, pela bagatela de 300.000 Libras esterlinas, ou R$ 1.200.000!
         Vinte e seis anos depois, em 1995, Paul, muito vivo, ainda capitalizou em cima de sua fama de morto.
         Lançou um disco ao vivo com trechos de sua fantástica e muitíssimo bem sucedida excursão mundial.
         A capa do disco mostra a mesma rua, com um fusca similar àquele, estacionado no mesmo ponto, mas com uma licença 5 4 I S, e ele, Paul,  sendo puxado por uma cadela da mesma raça de sua antiga cadela Martha, que ele tinha na época do Abbey Road.  Deu ao disco o nome de "Paul is Live". O nome tem triplo sentido:
1.      "Paul is Live", pois é um disco ao vivo, não gravado em estúdio;
2.      "Paul is Live", pois ele não está morto, mas sim bem vivinho, apesar dos boatos;
3.      "Paul is Live", pois, além de estar fisicamente vivo, está também artisticamente vivo, ainda fazendo turnês de grande sucesso e vendendo muitos discos, 26 anos depois de terminado o grupo.   

         Para completar, a licença é   5 4 I S    pois, " .... now, Paul   I S   5 4 years old! "
         Fantástico, não?!!!!!