-

sábado, 22 de novembro de 2014

Renata avisa: Nos vemos em Alagoas! E em Brasília.... e no Ceará!!!



Ela já esteve em Maceió, em 2013. Agora é Palmeira dos Índios, 27, 28 e 29 de novembro.

Sendo assim, Alagoas é o primeiro Estado que Renata visita como escritora em uma cidade além da capital!! Lá embaixo, o vídeo convocação!

Na volta, passará em Brasília, para um evento de Novos Escritores em uma escola... Será a segunda vez como escritora. Mas ela já esteve lá antes em um evento de Esperanto.

E em dezembro, de 6 a 14, de novo em Fortaleza, de novo na Bienal!! Mas desta vez como convidada para uma palestra com o tema: 

                       O folclore brasileiro na Literatura Fantástica.


Renata sempre prefere chamar folclore de mitologia. Ela sempre brinca que assim parece mais importante. Nosso folclore sempre foi muito infantilizado. Chamando de mitologia, fica mais chique! E é verdade: imagine se nós tivéssemos conhecido Hércules, Zeus, Netuno e tantos outros como personagens do folclore grego, ou romano!!! Não teríamos dado o mesmo valor.

Numa enquete do site Armada Escarlate Brasil, do Facebook, o Ceará aparece como o terceiro estado em número de fãs, atrás de Rio e São Paulo. mas se dividir pela população, o Ceará está na frente em per capita!!! Ela nunca se esquece da última Bienal, há dois anos (claro!), quando fãs a convidaram para uma festa. Quem fazia anos? Seu livro A Arma Escarlate, um aninho!!! E confeitaram até um bolo com a capa nova do livro!!! Renata simplesmente amou!!! E citou todos eles nos agradecimentos de A Comissão Chapeleira!!

Aqui, o video convite a Palmeira dos Índios!!




quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Manu já tem 10 anos!!

Foi em 2011 que Renato me mandou um video de uma garotinha linda e simpática andando pelos corredores do hospital com tubos pendurados e fazendo charme. Ela combatia a leucemia. Era Manu!

Ela precisava de transplante de medula e procurava um doador compatível. Fiz um post no meu blog ..... E divulguei....divulguei ... divulguei, ele tornou-se o mais visitado até então, com 2000 acessos. 

http://blogdohomerix.blogspot.com.br/2012/01/uma-medula-para-manu.html

Esta e outras campanhas de família e amigos mais próximos fizeram com que se encontrasse um doador.  Foi uma festa!!! 

Olha só como ela está hoje!!!




Ela acabou não fazendo o transplante pois os médicos utilizaram outra técnica ... uma quimioterapia alterada e mais forte do que o coquetel que ela tomava ... que deu certo... e o que importa é que ela está bem, e linda!!!


Vejam um depoimento de sua Tia Andréa
Manu está no período de prova, por assim dizer. O tratamento terminou há 2 anos e meio. Nesse tempo ela faz consultas regulares e exames para monitorar tudo. Até agora tem sido um sucesso. Exames perfeitos, nenhum sinal de recidiva. A literatura médica considera curada a pessoa que, depois de finalizar o tratamento, fica 5 anos sem reincidência. Manu está no meio do caminho. É sempre angustiante, sempre dá medo diante de uma febre ou qualquer outro mal estar que ela sinta.
Nesses dois anos, ela teve problemas pulmonares (um nódulo cicatricial das pneumonias que teve durante o tratamento). Apresentava falta de ar, cansaço fácil. Também teve cálculo renal, ficou internada com cólica renal, tadinha. Gastrite das bravas, vira e mexe tem que ir pro gastro, e puberdade precoce (tudo isso muito ligado aos efeitos adversos da químio). Não satisfeita, foi presenteada com catapora.
Um dia ela se queixou, meio sem paciência: "Credo Tia Deda, que droga! Parece que eu tenho que ter todas as doenças do mundo!"
Está em acompanhamento regular e constante, monitorando recidivas a tempo,  caso ocorram.  Vida praticamente normal, salvo os cuidados normais e medicamentos específicos. O doador fica de stand by. Optaram por não fazer o transplante pelas condições que ela se encontrava à época. Graças a Deus ela respondeu ao tratamento proposto aos 45 do segundo tempo. "

Uma felicidade, realmente!! Sigamos torcendo!!

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

LollaBaleia / Baleialooza



Foi no Fantástico de duas semanas atrás. Estávamos na expectativa. Havia a possibilidade! E então Tadeu Scmidt disse: Anunciamos em primeira mão os artistas que estarão no Lollapalloza 2015! Depois apareceram imagem dos mais famosos, Robert Plant, Jack White, Pharrel Williams, e depois um monte de nomes!! Olhos atentos, os nomes iam passando!! da direita pra esquerda na telinha!

Então apareceu .... BALEIA!!!

B ALEIA  NO  LOLLAPALLOZA
SEM PALAVRAS!!


No dia seguinte, lá estava a descrição das bandas, e lá estava a BALEIA

http://www.lollapaloozabr.com/2015-artist/baleia




segunda-feira, 10 de novembro de 2014

É dia de Paul e eu não Vaul



Sei que é uma decepção pra quem me conhece, ninguém acredita quando eu digo, mas é verdade. Paul McCartney toca amanhã no HSBC Arena, na minha cidade, primeiro show indoor no Brasil, e eu não vou!!! A excursão ainda é parte da World Tour Out There, que iniciou em 2013, e que já esteve por aqui.



Minha ausência faz parte de meu estado de ânimo, e reflete algumas contas que eu faço.



Mas continuo animado e fanático e atento a qualquer coisa beatle que aconteça. Por exemplo, soube ontem que o Brasil é o 3º país em número de shows de Paul McCartney em sua carreira solo, só perdendo pra EUA (disparado o 1º) e Inglaterra (meu guru Renato acha que somos o 2º lugar, no critério World Tours). 

Paul adora o Brasil.



Nunca me esqueço daquela canção que dizia "Serááá que algum dia eles vem aí, cantaaar as canções que agente quer ouvir?" (Detalhes aqui). Pois é, Paul veio uma, duas, três, ... sete vezes, e com os shows do Rio, Espírito Santo, Brasília e São Paulo (2), ainda em novembro, completará 20 shows no Brasil desde o histórico abril de 1990, no Maracanã quando era Maracanã, incluindo visitas a cidades improváveis como Fortaleza, Cariacica (?!), Recife e Goiânia, esta última com direito a chuva de gafanhotos (detalhes aqui) que, aliás, ele recebeu muito bem. E, homenageando o citado guru, tenho que lembrar que desses 20 shows, ele esteve (estará) presente em 14 deles. Isso, sim, é uma dedicação a uma paixão.

Já eu, vou renegar uma declaração minha, que finaliza o post sobre a canção.

Eu dizia:

Mas Paul veio... e cantou  ...
e cantará as músicas que a gente quer ouvir!!!

E eu estarei lá!!!

Novamente!!

E sempre que ele voltar!!!
Pois é, miseravelmente, não respeitei o que eu próprio disse!!


domingo, 9 de novembro de 2014

Depois de PoA, Renata em BH


Foi legal em Porto Alegre, a começar pela recepção, na sexta-feira!! Uma leitora estava lá no aeroporto!! Com medo de não encontrá-la no evento, por causa do ENEM, ela resolveu garantir. Fez bem!! No sábado, i. almoço entre autores amigos Samantha Holtz, Laura Conrado, Adriana Brazil e Raphael Montes, ii. o evento em que falou sobre leitura entre jovens, e iii. mais autógrafos, este de uma leitora ainda da primeira edição de A Arma Escarlate, com a capa antiga, que esperou esta oportunidade por quase 3 anos!!




++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

E no fim de semana que vem, o destino é Belo Horizonte! 
Quem tiver amigos e parentes lá em BH, avisa!!!
Eis o recado dela!!


Gente, vou estar na Bienal de Minas dia 16 de novembro, domingo pós-feriado (!), vendendo e autografando meus livros no estande da Broto Cultural! 

Vou adorar ver vocês todos lá!

Dia 15, sábado, também estarei em um evento em Bh. O Halloween Bruxos Bh! Quem quiser, pode participar! :D Levarei livros para vender e autografar lá também, caso alguém não consiga ir à bienal dia 16!

:-)

Bienal de Minas
Local: ExpoMinas BH
Endereço: Pavilhão de Feiras - Avenida Amazonas, 6.030 - Bairro Gameleira - Belo Horizonte
Estande: Broto Cultural
Horário da mesa de autógrafos: 17h a 18h (mas devo ficar lá no estande o dia inteiro!) :-)

Relembrando o passado

Fila do supermercado, praticamente o único lugar em que escrevo para o blog...

E hoje falo exatamente  sobre supermercado, mais especificamente do som que ouço, sempre, aqui no Prezunic: JB FM. Conhece?

Transcrevo aqui trechos de letra, que vocês vai logo identificar... Interestelar canoa, adapte-me ao seu ne me quite pas, puro afã, místico clã de sereia, castelo de areia, cuida bem de mim, então misture tudo dentro de nós, andar com fé eu vou que a fé não custuma faiá, o que sera o amanhã, responda quem puder, tudo azul, Adão e Eva na paraíso, ser feliz, nos seus olhos dormir e depois acordar, pra nunca perder esse riso largo e essa simpatia estampada no rosto, quem foi que disse que eles podem vir aqui nas estrelas fazer xixi, ah esse maldito fecho eclair!

Captou? Uma atrás da outra, grandes sucessos dos Anos 80 (João, defenda-se! Explique porque deveria ser Anos Oitentas!). Quem diria que aquela década musical fraca, depois dos esfuziantes 60's e 70's seria lembrada ainda hoje?! Quase certamente porque o que veio depois foi sofrível. Quem de vocês caracteriza uma série de sucessos decentes, destas citadas décadas, e da presente, que já vai pelo meio e vemos o que temos, o que somos obrigados a ouvir??


Por outro lado, por onde andam os autores/interpretes das citadas? A maioria deles teve seu ápice naquela década, e ainda vive repetindo seus sucessos, o simplesmente sumiram. Veja Baby Consuelo, agora 'do Brasil' ainda cantando a mesma coisa. Veja Dalto, este então, cantor de um sucesso só. João Bosco e Djavan estão quietos. Guilherme Arantes perdeu o cabelo e a criatividade. Kleiton e Kledir voltaram para os pampas. Simone só volta todo ano na época do Natal, Gil e Caetano são exceções, porque gênios, mas não mais produzem hits, o que faziam ano após ano aquela época.


Mas o que me inspirou mesmo a escrever foi uma cançâo que provocou arrepios, aos primeiros acordes, e ao longo dela, e ainda agora, ao lembrar..... Foi com medo de avião, que eu segurei pela primeira vez a sua mao...... Agora ficou fácil, todo mundo compreende, aquele toque beatle, I Wanna Hold Your Hand, Yeah Yeah Yeah, .... Arrepia ou não?? E Belchior, então, vocês viram o que aconteceu! Aquele rapaz latino-americano, com a velha roupa colorida, abro a vidraça e grito quando o carro passa, teu infinito sou eu, como nossos pais, onde foi encontrado? No Paraguai, depois de deixar seu carro estacionado no aeroporto por meses, com uma conta maior que o valor dele. O declínio do apogeu deve ser difícil...

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Gouranga!!

Obrigado! Você também!

Na linha do 'construa um edifício gigante, em qualquer lugar ermo, e coloque 5.000 trabalhadores lá, que a vizinhança vai se adaptar' sobre o qual já falei (ver aqui), surgiu um outro restaurante aqui perto do trabalho que merece a visita. É uma linha oposta ao 'Costela Dourada' que serve carnes, e até nisso é bem-vindo, na linha da diversificação.

O 'Obrigado' que abre este post é em resposta à saudação do título, que também é nome do restaurante vegetariano de que falo, que abriu ali na Gomes Freire, 625, 2º andar (com direito a elevador), na Lapa, o Gouranga Veggie.

Gouranga quer dizer 'Seja feliz' lá pelos lados da Índia.

E o local dá uma série de motivos para isso.
  1. Como disse, tem elevador! E dos modernos! Inclusive com botões para ir a andares não existentes, talvez invisíveis, cheios de luz e encanto, estágios intermediários entre a terra e o firmamento, hehehe;
  2. Você é recebido com um Caipihare, um chá geladinho, feito de gengibre, mel e limão, ótimo para abrir os trabalhos (e limpar a garganta). Engraçado que não tem álcool mas deixa um gostinho que lembra ... além do nome;
  3. O ambiente é 'clean' e tem um clima indiano em cada detalhe. Tem um portal que leva ao saguão principal lindão, que não sei se é indiano mas é de muito bom gosto,
  4. Tem garçonetes trajadas com batas (ou algo assim) indianas, todas com um coque no cabelo;
  5. O cardápio, por enquanto, é fixo, com pratos do dia, e tem bom preço. R$ 32,00 com direito a saladinha, prato principal, suco e sobremesa;
  6. Tudo, eu disse, tudo, é servido em aço inoxidável, talheres, copos, pratos e pratinhos. Motivo, agressão zero ao organismo;
  7. Nada disso valeria se a comida não fosse boa. As opções do dia eram uma lasanha aos 4 queijos com falafel ao molho de iogurte, e um arroz com beterraba, panachê de legumes e feijão branco acompanhado do mesmo falafel. Eu escolhi a lasanha e adorei! Um conviva escolheu o outro e adorou. A sobremesa era uma queijadinha supimpa (perdoem o termo da época de meus avós, aliás, que não conheci). Analisando o cardápio, vimos que na quinta tem um certo escondidinho que merece ser encontrado;
  8. À saída, um Chay, um leite com ervas quentinho e saboroso;
  9. E, pra finalizar, você estranha o número que sai na máquina do cartão, exatamente os mesmos R$ 32,00 do cardápio! Não cobram gorjeta!
  10. AH, sim, na saída, como todo santo ajuda, fui de escada e notei que a cozinha é no primeiro andar, fica aberta ao público, clara, limpa, organizada!
Dez boas razões para estar feliz, não?

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Baleia em Curitiba


Mais uma impossibilidade que só é possível porque esta Baleia é uma banda!

No link lá de baixo uma opinião sobre o show deles lá na capital do Paraná, da qual destaco este excerto:
"(...) o show é de uma consistência e pressão absurdas. A cada canção os presentes no teatro não sabiam se batiam os pés, as mãos, balançavam as cabeças, ou se olhavam atentamente sem piscar nem respirar, que era pra não perder nenhum detalhe da festa."
Pra ilustrar, são tantas fotos bacanas. Selecionei estas

(claro, puxando a brasa  pro meu experimentador musical...)

Hoje partem para Sampa, onde tocarão apenas duas músicas, abrindo e fechando um show de lançamento de uma revista. Abrem com Casa. Fecham com Noite de Temporal/Little by Little, num improvável dueto com ninguém menos que Elza Soares!!!!


A Ver!!


http://regradostercos.com/2014/10/31/3131/

domingo, 2 de novembro de 2014

Adeus, Nallinha Escarlate!!!

Sempre nos orgulhamos, eu e Neusa, de termos uma afilhada carioca. Nossos compadres nos deram esse presente há 24 anos. Laurinha cresceu, hoje é advogada, oabeizada, e está encaminhada.

Quando ela tinha 9 anos, ganhou de presente uma companhia a qual se dedicou desde então. Nalla era o nome dela. Uma Golden Retriever encantadora, aliás, como quase todos os representantes da raça. Eu nunca tive cachorro, pois sempre morei em apartamentos, mas devo emanar algum aroma simpático a cães, pois todos gostam de mim. Mesmo os que não conheço, aqueles que passeiam acoleirados na rua mesmo, vêm me dar uma cheiradinha básica, os donos ate perguntam se eu tenho cachorro. Com Nalla, ou Nallinha como a chamavam, não era diferente. Ela era deliciosa, deitava-se aos pés da gente para receber o carinho que adorava.

Laura e minha comadre a tratavam como família, e de vez em quando, pregavam umas pecas nela, fantasiando-a com algum apetrecho, óculos, bonés, enfim, que faziam sucesso no Facebook.

Uma dessas peças nos deixou ainda mais encantados... Esta aqui, uma graça, não? Nossa Nallinha, lendo A Arma Escarlate!!!



Pois, como eu disse, ela chegou há 15 anos. E teve festa de debutante pra ela este ano, juntamente com os 24 de mami, com direito a bolo com confeito na forma de cachorro. Como sabem, um ano de vida canino equivale a +/- sete humanos, então ela já havia passado dos 100. Já não conseguia andar direito, chegou a usar um andador com rodinha para as patinhas traseiras. E tinha as doenças da idade. Até que se foi, uma tristeza imensa para todos, em especial para Laurinha, enfim.

Com certeza está no céu dos cachorros...


Laurinha está ainda triste, mas segue com a presença constante de outros dois cães, a Tuquinha, uma vira-lata que veio com a avó quando esta foi morar com eles, já há tempos e Enzo, que veio com o namorado, um buldogue francês, com aquela carinha de .... buldogue francês, muito simpático, carinhoso e afável, veja só, ali embaixo!

Ao falar com minha comadre sobre esta homenagem, ela me contou que justamente hoje, eles se despediram oficialmente de Nallinha, e relatou:
"Esta semana recebemos as cinzas dela e hoje, com uma pequena solenidade , enterramos a caixa com as cinzas embaixo do coqueiro, local preferido por Nallinha nós últimos meses. No buraco foi colocada também a coleira, um osso de brinquedo que ela adorava e um pão. Nalla era louca por pão! Nesse espaço, faremos um canto com mesa, onde poderemos sentar para o café da manhã e ler jornal na sombra."
Super, não?