-

sábado, 3 de agosto de 2013

Dona Mira entende de futebol


Sento-me à poltrona para assistir a Barcelona x Santos, estréia do Neymar.

Ao ver o alinhamento dos times em campo, resolvi reclamar no facebook, abrir uma conversa, sei lá... Ninguém apareceu afora uma amiga que fez um comentário jocoso e corretíssimo.

Mas a publicação serviu para registrar algumas declarações da expert em futebol que assistia o jogo comigo: Dona Mira, do alto de seus 90 anos e sua bacia quebrada

Veja!!

Homero Ventura

8 comentários:

  1. Homerix,

    Que bom. A Dona Mira entende de futebol. O mesmo não posso dizer dessa diretoria do Santos, cujo resultado Profissionalismo 8 x 0 Amadorismo, sumaria bem a diferença de gestão entre o clube espanhol e o nosso. A propósito, você é testemunha e conhecedor da minha lúcida e sólida opinião, de que, não é de hoje, que essa é a pior diretoria que o Santos já teve em toda sua história. Maculou as tradições do Santos com vexames catastróficos. Sempre disse isso com fatos e dados e, infelizmente, sempre estive correto. Essa situação sempre foi absolutamente previsível, consolidada por está tragédia anunciada, que só não enxergariam ou prognosticariam os cegos do futebol. Esses dirigentes incompetentes, principalmente o presidente, já deveriam estar bem longe da Vila há muito tempo. Por mim, teriam saído no dia em que demitiram o Dorival Jr, para "fazer graça" com o Neymar, numa explícita demonstração de amadorismo, de falta de liderança e de falta de seriedade. A seqüência tem sido trágica. Chega de conversa com essa gente, pois são limitados intelectualmente e não entendem nada de futebol. Merecem mesmo é uma boa sova, daquelas que os pais aplicam nos filhos por traquinagem, por exporem ao clube a situação tão ridícula. Estivesse no Brasil, certamente faria parte do grupo que deverá receber essa diretoria com o "tratamento carinhoso" que merecem, pois o que eles fizeram é a síntese da incompetência que foi a de levar o clube para esse amistoso com requintes de campo de concentração e de execução pública internacional: 8x0 é muita humilhação, ainda que seja para o Barcelona, num amistoso ridículo, anacrônico e desnecessário. Sou santista há mais de cinqüenta anos, vivemos alguns momentos difíceis, é verdade, mas nenhum outro com essa envergadura, sem trocadilho, por favor.

    Convém lembrar que já tinham exposto o clube, numa final de mundial de clubes, sem qualquer preparação. Chegaram ao ridículo de querer expor o Pelé numa jogada de marketing amador, que o Rei foi lúcido o bastante para não cair no ridículo.

    Espero que essa diretoria, que se tiver ainda algum apreço pelo Santos, que preste o grande serviço, de apresentar renúncia imediatamente. Se esses dirigentes insistirem em continuar, que sejam destituídos (impeachment), pois há motivos de sobra para isso, e que se convoque eleições imediatamente.

    PS: Há um mal educado corretor de textos infiltrado no seu blog, que insiste em remover os tremas, quando tento grafar as palavras com base na Norma Culta. Recomendo desativar esse desserviço.

    ResponderExcluir
  2. Dá-lhe João! Abs, Camargo

    ResponderExcluir
  3. Homerix,

    O UOL publicou ontem uma nota: após vexame, Santos cogita desistir de amistoso contra o Barça no Brasil: “não temos a obrigação”, lembrou-me a distante época de 1986 ou 1987, já não estou certo quanto ao ano, mas foi em Luanda, quando houve um torneio de tênis entre as empresas de petróleo atuantes em Angola naquela ocasião.

    Uma das empresas fez viajar a Luanda um dos seus colaboradores, especialmente para representá-la no evento, quem se dizia um tenista por excelência. Tanto, que além do torneio, faria uma partida de exibição, em Cabinda.

    Bem, o torneio, no regime mata-mata, marcava o que seria a primeira partida, e última, daquele colaborador, contra o representante de uma empresa belga.

    Jogo agendado para as quadras tênis apensas ao Estádio dos Coqueiros, por razões de trânsito complicado, este espectador chegou ao local com algo como 15 minutos de atraso. Ao ingressar na "arena", via-se o colaborador empenhado, muito suado e escarlate, lutando duramente, mas sem conseguir devolver as bolas do adversário, e resultou perdedor daquele set, que, para quem chegava ali, naquele momento, imaginaria que se tratava do primeiro set. Ledo engano, era o segundo, numa vexaminosa derrota relâmpago. Tão relâmpago, que a "exibição" de Cabinda foi cancelada na mesma velocidade. E o voluntarioso missionário regressou imediatamente à sua origem. Amadorismo dá nisso. O adversário belga era profissional ranqueado, tal qual o Barça sobre o Peixe.

    Dizem que o amistoso, na verdade, representou a disputa do Troféu Joan Gamper, tradicional torneio de pré-temporada realizado pelo time catalão. E o Peixe ficou em segundo, certamente a atual e incompetente diretoria do Santos usará este argumento para minimizar o vexaminoso massacre. Como futebol é cultura, Joan Gamper foi o nome adotado por Hans-Max Gamper Haessig, um suíço quem foi o fundador e primeiro presidente do Barcelona.

    Na linha do tragicômico, se essa incompetente diretoria continuar, então será melhor marcar amistosos de recuperação contra a Samoa Americana ou com contra o Tahíti. E grafar o resultado dos últimos jogos contra o Barça na forma de logaritmo na base 2. Assim, o resultado de sexta-feira passada foi só 3x0. Dói menos...

    ResponderExcluir
  4. Adorei! Ela falou pouco e falou bonito! Até quem não entende como Dona Mira vai ver que o pobre time do Santos tomou um sacode de uma equipe organizada, cobrada e que realmente leva a sério seu futebol. Parabéns Homero, você tem uma ótima comentarista esportiva em casa!!!

    ResponderExcluir
  5. Janaina Goncalves5 de agosto de 2013 09:42

    Na simplicidade a verdade!

    ResponderExcluir
  6. Calma moçada. Já vi goleadas piores, porque nelas jogamos com figurões e não com o time que ganhou a copinha desse ano. Sou Santos desde sempre, vou continuar a ser e confio nessa molecada boa de bola que foi jogada inadvertidamente aos leões catalães.
    Vamos em frente, gente.
    E dona Mira teve razão em todos os comentários.A molecada parecia hipnotizada, parados, vendo os idolos jogarem. Isso passa, gente!

    ResponderExcluir
  7. Homerix,

    Lido no UOL há pouco. Esse incompetente está à busca de uma saída honrosa. Teria sido mais honroso admitir a incompetência e entregar o cargo, juntamente com toda a diretoria. O piro presidente que já passou pelo Santos. Que nunca mais volte à Vila...

    ---------------------------------

    15/08/2013 - 20h40
    Em meio à crise, presidente do Santos pede afastamento por um ano
    Ricardo Perrone e Vitor Pajaro
    Do UOL, em São Paulo e Santos

    Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro não resistiu à avassaladora crise que atingiu o Santos após a goleada por 8 a 0 para o Barcelona. O presidente do clube pediu um ano de licença por motivos de saúde. O vice Odílio Rodrigues assumirá o cargo.

    ResponderExcluir
  8. Homerix,
    Veja essa: “Após prejuízo com Neymar, parceira do Santos desiste de medalhões”, lida no site http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2013/08/17/apos-prejuizo-com-neymar-parceira-do-santos-desiste-de-medalhoes/
    Veja, ao menos, o trecho:
    ABRASPAS
    Em meio à crise e às mudanças na cúpula santista, a Teisa (Terceira Estrela Investimento), parceira do clube em contratações, também passa por uma reestruturação. Houve mudança de diretores, de estrutura jurídica e de foco de investimentos em jogadores. Depois de sofrer prejuízo com a venda de Neymar, a empresa desistiu da compra de medalhões e só vai adquirir jovens mais baratos.
    A Teisa foi criada em 2010 por empresários santistas para ajudar o clube na contratação de atletas e a conquistar o terceiro título mundial. A empresa é uma ideia da gestão do presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, que se afastou nesta semana, e tinha diversos membros do seu comitê de gestão. Adquiriu o percentual de alguns jogadores, como Neymar e Aourca, e ajudou com a compra de outros, como Montillo e Miralles.
    ABRASPAS

    Estou cada vez mais convencido que diretoria toda, inclusive o presidente devem ser “agraciados” com o afastamento vitalício da Vila Belmiro. Salvo melhor explicação, essa história dessa tal de Teisa está mal contada, pois parece mais uma engrenagem que atua em ambiente de conflito de interesses. O que o futebol brasileiro precisa é a eliminação do intermediário, do agente, que fica com o bônus e o clube, com o ônus. Esse modelo enriquece os agentes, empobrece o clube e frustra o torcedor, que tem sido a dura realidade dos clubes...

    ResponderExcluir