-

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Prefiro o de Frango


Pois é, esse Supremo que deu ares que tinha se voltado aos clamores da população na 'gestão' de Barbosa, com um tardio mas preciso julgamento do Mensalão, agora volta-se aos interesses de poucos. Esse fatiamento que aprovaram, retirando um processo das mãos de Moro, pode gerar outros, e levar a Lava Jato a um desfecho pior em termos de potenciais condenações e ressarcimento de fundos aos cofres públicos!!!!

E 'fatia' lembra .... pizza!!!!
 
Supremo? Volto a preferir o de Frango, à Cubana!!!

Assinei uma petição para que o STF deixe a LavaJato nas mãos de Sérgio Moro. Acho difícil uma reversão, mas assinei, aqui.
 
Meu amigo João, que parece que tem 'carteirinha' como comentarista leitor da Folha, tantas foram aas vezes em que sues comentários foram publicados, emplacou mais esta:
 
Ele escreveu pra mim...
 
"O erro do STF é imperdoável, além disso o argumento oferecido é agressivo à nossa inteligência, quando, na verdade, é uma forma de neutralizar a Lava Jato, que se encontra muito próxima de desnudar os grandotes que integram as confrarias da corrupção que vêm dominando o país nos últimos 12 anos. É obviamente uma ação de proteção a essas confrarias.
Reproduzo o texto da minha nota publicada no site da Folha:
ABRASPAS
Preocupante essa decisão. É notável que a eficiência, a eficácia e a amplitude da Lava Jato têm resultado em ações para erradicar a corrupção, como nunca se fez antes no Brasil, e cujo alcance incomoda e tira o sono de corruptos que ainda estão no prelo.
Corrupção que não tem crachá e que não pode ser tratada de forma fragmentada, sob pena de dispersão. Imagino o sorriso maroto e de alívio dos que privilegiam a impunidade, em detrimento da dignidade do cidadão.
FECHASPAS"
 

4 comentários:

  1. Homerix,

    Obrigado pela postagem. É profunda a minha indignação com tanto cinismo, cujo único resultado prático tem sido o buraco que 12 anos de governos torradores de recursos públicos, que em lugar de educar a população com educação de verdade para todos e todas, com foco em princípios e valores, gasta recursos com "bolsas" que têm requintes de assistencialismo, que é sempre destrutivo. Criou-se um esquemão, com ao menos dois componentes danosos aos interesses do país: i) o viciado assistencialismo que entorpece boa parte do eleitorado, para manter o status quo de poder, com o suposto "aval democrático" do povo; e ii) "troca-troca política" pavimentado pela corrupção que nunca dantes teve espectro tão amplo e penetrante em vários estratos. A ponto do ex-presidente Lula, em dado momento haver festejado "que a direita jamais voltaria ao poder no Brasil". A segurança da sua afirmação seria sintomática desse esquemão? Essa declaração, por falta de melhor expressão, soa um forte golpe na democracia. Democracia que foi a via que permitiu que ele e o PT chegassem ao poder. Como fechar as portas dessa maneira, quando as oxigenações da democracia de verdade é o que brinda o país com o necessário equilíbrio? Não há exemplo no Planeta de qualquer êxito de uma "democracia" de partido único.

    Quando o país tema sorte de ser premiado pela competência técnica, seriedade, coragem, compromisso com o país, entre outros qualificativos notáveis do juiz Sérgio Moro e a sua competente equipe, que criou a extraordinária e bem-vinda Operação Lava Jato, em lugar de buscar replicar o eficaz modelo, nunca dantes havido neste país, o STF surpreende a cidadania com o estranho e injustificável fatiamento. Os argumentos do STF não me convencem, ao contrário ofendem a minha, a nossa, a inteligência dos cidadãos. Se bem é certo que o dia em que o Brasil tiver um maior número de profissionais do padrão Sérgio Moro de qualidade, que permita replicar a eficiência, a eficácia e a amplitude da Lava Jato, talvez o STF pudesse encontrar algum argumento razoável para o fim. Hoje, definitivamente, não! Assim, não consigo ver de outra maneira, que a ação de fatiamento não tem outro propósito senão dispersar e enfraquecer a Lava Jato, que já alcançava os calcanhares de figuras por suposto das mais importantes que orientaram, direcionaram e consolidaram a via de corrupção para alcançar objetivos para a manutenção longeva no poder.

    Quando se discute impeachment da presidente Dilma, em face desse malgrado episódio do fatiamento da Lava Jato, penso que, por falta de opções menos ruins, a prioridade seria a de trabalhar não o impeachment da presidente, mas do STF, para evitar que o país experimente estrago ainda maior, além de preservar o STF como instituição credível, isenta e autônoma.

    ResponderExcluir
  2. Oportuno , coerente e convincente o comentario do Joao. Estamos a menos de 01 passo do caos. Nossa ultima esperanca, o STF, da' sinais claros de falencia multipla dos orgaos vitais, eticos e morais.

    ResponderExcluir
  3. Homerix,

    Recomendo a leitura do Painel do Leitores, de 25/09/2015, no site http://www1.folha.uol.com.br/paineldoleitor/2015/09/1686269-leitores-criticam-decisao-do-stf-de-dividir-investigacao-da-lava-jato.shtml . Veja também a nota do leitor José Salles Neto.

    ResponderExcluir
  4. Figueira e Homerix formam uma bela dupla, escribas goleadores com a qualidade dos grandes atacantes do Santos. Abraços, Camargo

    ResponderExcluir