-

terça-feira, 17 de agosto de 2010

A boca do jacaré

Veja a repercussão das entrevistas globais. Bem positiva, ainda mais se considerando que o autor é um crítico feroz da emissora, segundo me diz uma amiga lá de dentro..(neste link)

Eles se esforçaram para serem imparciais, com perguntas sobre as alianças espúrias dos dois principais contendores, e cobrando atitude que a candidata verde devia ter tido quando soube do mensalão oficial. E esta última foi a que mais falou, verdadeira metralhadora de palavras.

Mesmo assim, na minha opinião, o Bonner foi menos incisivo com Serra do que com Dilma. De repente, é até natural, afinal, não há dúvida de que o tamanho dos telhados de vidro de cada um é beeeem diferente.

Comportamentos à parte, os três candidatos se saíram bem. 

E as entrevistas parecem não ter modificado o quadro. A do Data-Folha, realizada concomitantemente a elas e a do Ibope, realizada logo depois, mostram que a boca do jacaré abriu. E agora, com o começo da propaganda eleitoral gratuita, e a aparição dos garotos propaganda dos candidatos, a tendência é ela não fechar mais.

A ver....

Homero

Um comentário:

  1. Para mim, o aparente desequilíbrio na "agressividade" do Bonner foi simplesmente o fato de que ele "errou a mão" na primeira entrevista que, por sorteio, foi a da Dilma. Depois dos feedbacks ou mesmo de uma autocrítica, ele maneirou um pouco nas outras. Penso que, caso o sorteado para a primeira entrevista tivesse sido o Serra, o mesmo teria acontecido com ele...

    Abraço,

    ResponderExcluir